TESTEMUNHOS

 Para ler os outros testemunhos em inglês
 

Maria de Fátima Fonseca, 67 anos – Bombarral

Após ter começado a participar nos retiros do Pe. James, a minha vida tem vindo a mudar e a melhorar constantemente. Desde pequena que sofro muito dos intestinos de tal forma que não me podia alimentar convenientemente porque tudo me fazia mal. Tendo períodos alternados de diarreia constante, cólicas e prisão de ventre. Desde que tenho vindo aos retiros do Pe. James, tenho melhorado bastante.
Também sofria de glaucoma (tensão ocular muito alta) há quatro anos. Tinha de fazer exames e tratamentos de seis em seis meses, que me faziam mal aos intestinos tendo que suspender o tratamento por indicação médica durante uns tempos.
Fui a um retiro do Pe. James e, na oração de cura pedi, a Deus a minha cura deste problema.
Ao fim de um ano, voltei à médica e disse-me que estava admirada com a minha tensão ocular que estava normalizada sem tratamento.
Desde os 30 anos sofria também de Artrite Reumatoide. Nas orações de cura do Pe. James, peço ao Senhor que me cure e tenho sentido grandes melhoras: tenho alturas em que faço análises e os valores estão quase normais, sem necessidade de fazer tratamentos. Louvado seja nosso Senhor.

Emília Sampaio, 55 anos – Guarda

Participei pela primeira vez num retiro do Pe. James, no Sameiro em Braga, e tinha um problema de saúde nos ovários, útero, pulmões e estômago. Após a Comunhão, senti uma picada nos meus ovários e útero acreditei que Deus me estava a curar e pela sua graça fiquei curada.
Também o meu marido se aproximou mais de Deus, tendo feito uma confissão de vida e tem vindo sempre aos retiros. Graças a Deus.

Maria Graça Silva, 63 anos – Lourinhã

Quando participei pela primeira vez num retiro do Pe. James em Fátima, no ano 2006, sofria de fobia, já há cinco anos. Depois de ter regressado para casa, verifiquei que tinha sido curada do meu problema. As consultas que ia de seis em seis meses passaram para dois em dois anos, por rotina. Posteriormente apareceu-me uma doença pulmonar em que os médicos não me passam medicamentos e tenho vindo a melhorar pela graça de Deus.
 

Maria Amália, 71 anos – Beja

Tive um período da minha vida que quando me levantava da cama parecia uma velhinha toda curvada e com os pés com formigueiros, que em causavam grandes dores. Fiz vários exames e os médicos não conseguiram detectar nada. Fui ao retiro do Pe. James a Fátima em 2007 e, na oração de cura, senti um calor na minha perna e disse: “Senhor se quiseres podes curar-me!” E o Senhor curou-me. Até hoje, nunca mais tive dores.

Lurdes Gonçalves, 52 anos – Fundão

Obrigado Jesus, por me teres curado do tumor no útero em Maio 2012. Pedi oração ao Pe. James e por milagre fiquei curada. Após a operação nem sequer foi necessário fazer quimioterapia nem qualquer outro tratamento porque Jesus curou-me.
Obrigado Jesus pelo Rev. Pe. James.

Elisabete Martins, 33 anos – Sintra, Portugal

Venho agradecer a Nosso Senhor Jesus Cristo, Pai Celeste, Espírito Santo e Mãe Celeste Maria pela graça que me foi concedida através do Rev. Pe. James, ontem dia 26 de Maio 2012. Em plena oração, após a Eucaristia comecei a sentir-me mal, ódio e desatei com gritos agressivos. Deus libertou-me aí com o seu poder e nesse momento senti um cheiro a rosas durante a crise de possessão.
 Eu estava possessa do demónio há muitos anos, tinha uma maldição feita conta mim desde o ventre da minha mãe para que eu não nascesse mas Deus não permitiu. Tinha também feito erros ao ir a bruxos e videntes para saber coisas. Ao longo destes 33 anos não tinha sorte no trabalho, amor e tinha muitos medos em criança. Ultimamente tinha estado a ser acompanhado pelo Pe. Sousa Lara de Lamego exorcista formado pelo Rev. Pe. Gabriel Amorth no Vaticano.
Deus existe, meus queridos irmãos, e eu já sabia, mas uma vez mais tive a confirmação. As pessoas presentes puderam testemunhar esta situação.
Irmãos, abram os vossos corações a Deus, ele está sempre à nossa espera do nosso sim sincero. Sem a nossa aceitação, Deus não pode agir. Louvada seja a Santíssima Trindade e a Virgem Maria Eternamente. Amem.

Ana Figueiredo, 21 anos – Setúbal, Portugal

Tinha problemas psicológicos e de comportamento desde os 16 anos. Sentia-me sempre rejeitado na escola e no grupo de amigos. Vim pela primeira vez a um retiro do Pe. James, no dia 20 de Junho de 2012, na sexta-feira no momento de adoração o Pe. James disse que cinco pessoas, com o nome de Ana foram curadas. Acreditei que era eu e senti logo a cabeça leve. Sinto-me muito bem e feliz. Louvado seja Deus.

Maria Cesaltina, 57 anos - Vila Real, Portugal

Desde há muito tempo que tenho uma doença crónica: síndroma diverticular no intestino), mas só me foi diagnosticado, na sequência de um acidente grave que tive quando cai numa escada rolante em Outubro de 2009. Este acidente desencadeou uma infecção ficando gravemente doente ao ponto de ter sido internada durante um mês. Participei pela primeira vez num retiro do Pe. James em Novembro de 2010 na Consolata- Fátima, e numa das orações de cura diante o Santíssimo Sacramento, senti que algo se tinha arrancado do meu peito direito e em movimentos de uma cobra percorreu o meu intestino. Acreditei que o Senhor me estava a curar. Fui fazer uma TAC no princípio do ano de 2012 e está tudo bem, sem que tenha voltado a ter qualquer crise. Louvado Seja Deus.

Gracinda Navalho, 53 anos – Sardoal, Portugal

Participei num retiro do Pe. James há cerca de quatro anos em Fátima (2008) e experimentei a efusão do Espírito Santo. Foi uma experiência maravilhosa, obtive a minha conversão e a cura do meu problema que já se arrastava há quatro anos. Sofria de dores em todo o meu corpo, de depressão prolongada, tomava muitos medicamentos sem obter a cura. Desde esse momento nunca mais tive problemas e consegui libertar-me de todos os medicamentos. Desde que me encontrei com Cristo, a minha vida mudou em todos os sentidos: nunca mais me senti só, sinto muita alegria no coração, rezo o terço todos os dias pela conversão dos pecadores, almas do pregatório e para que haja muitas e santas vocações.
Louvado seja Deus!

Maria Emília. Retiro no Porto - Março 2012
Vim pela primeira vez ao retiro, com a intenção principal de agradecer.
O meu neto de 18 meses sofreu uma encefalite causado pelo vírus da varicela. Deu entrada no hospital imobilizado do lado direito e com graves lesões diagnosticadas e um prognóstico muito reservado, onde tudo podia acontecer.
Acreditamos em Deus e três semanas depois saiu do estado de coma e começou a recuperar. Na oração de cura, após a Eucaristia de sexta-feira, o Pe. James mencionou que uma criança chamada Miguel estava curada. Acreditei que era o meu neto.
Quando acordou na manhã seguinte podemos dizer que renasceu.
Obrigada, Meu Deus. Obrigado Pe. James.

Lília Miranda 38 anos – Leiria. Retiro no Porto - Março 2012

Quero testemunhar a cura do cancro da minha mama, neste retiro. Quando voltar ao médico, vou pedir que me faça uma reavaliação. Não consigo descrever o que sinto porque este estado está acima de qualquer classificação. Eu amo Jesus.

Jorge Ribeiro, 35 anos – Ílhavo. Retiro no Porto - Março 2012

No retiro de Fátima em Fevereiro 2011, na oração de cura e libertação, fui curado de alcoolismo.
Várias vezes tinha tentado deixar de beber sem pedir ajuda a ninguém, mas não conseguia. A minha esposa Elsa já costumava ir a retiros do Pe. James e convidou-me a vir, pois via-me a entrar no álcool e a acabar com a minha vida. Ela dizia-me: “anda conhecer o Pe. James! Ele é um Santo e ensina coisas boas, coisas do Céu, do Espírito Santo, anda para te curares”. Eu dizia que era tudo uma palhaçada e que ela estava ficar doida.
Quando vi que não tinha mais nenhuma saída, que a Elsa era capaz de ter razão fui ao retiro de quatro dias em Fátima. Depois dos ensinamentos, da Santa Missa houve Adoração. O Pe. James invocou o Espírito Santo para que curasse todos os que estavam naquela sala. Eu ajoelhei-me e abri o meu coração a Jesus e pedi que me curasse do vício do álcool e que curasse o meu fígado que estava doente.
Foi aí que senti fortes dores no abdómen, do lado direito no fígado, comecei a suar e pensei que ia desmaiar, mas parecia que era Jesus a curar-me. Comecei a chorar sem conseguir parar e as dores passaram. Aí o Pe. James disse: “Jorge estas curado”. Acreditei e dei graças ao Senhor. Fiquei curado. A partir desse dia, nunca mais bebi nem socialmente. Jesus mudou e moldou toda a minha vida. Agora sou um pai de família responsável: trabalho, vou à Santa Missa todos os Domingos, confesso-me e rezo todos os dias. Vivo em Jesus e Jesus vive em mim embora nem sempre consiga fazer tudo conforme Deus me manda. Mas quando peço já tenho a humildade (que antes não tinha) para pedir perdão a Deus e tentar mudar e não pecar outra vez.
Glória a Deus.

Zulmira da Cruz Teixeira 60 anos – Matosinhos. Retiro no Porto - Março 2012

Fui uma doente crónica com fibromialgia desde os meus 32 anos. Os médicos diziam-me que nunca mais ia poder andar sem ser em cadeira de rodas ou auxiliada com canadianas, que utilizava em casa mas sempre com muitas dores. Há seis anos atrás, a 26 Setembro 2005, deixei mesmo de andar.
Em Setembro 2011 participei num retiro do Pe. James no Porto. Após a Efusão do Espírito Santo de Domingo fui para casa e no dia seguinte sentia-me com força no corpo e, sem dores, deixei uma canadiana e sentia-me bem e forte até que deixei cair a outra e comecei a andar sem sentir as dores que sentia. Estou muito feliz e dou Graças a Deus por este Milagre na minha vida.

Rosa Conceição Carvalho 69 anos – Coimbra. Retiro no Porto - Março 2012
Durante muitos anos, sempre que chegava do trabalho à noite a casa, tinha muita comichão na zona do soutien, cinta e peito dos pés (todas as partes do corpo onde estava apertada). Se coçasse muito a pele ficava muito vermelha até que fazia sangue. Punha muitos cremes nas não resolvia o meu problema.
Participei num retiro do Pe. James em Vila do Conde em 2011, e num dos momento de oração de cura e libertação, o Pe. James disse que estava muita gente a ser curada de alergias e eu senti que tinha sido curada e nunca mais tive comichão no meu corpo. Jesus curou-me. Louvado seja Deus.

Sandra Cristina Costa Moreira 33 anos – Paredes. Retiro no Porto - Março 2012

Desde os 14 anos que tinha epilepsia e andava a ser tratada no hospital de São João. Fui a um retiro do Pe. James a Vila do Conde em 2011 a convite de uma amiga. Tomava 15 comprimidos diários por causa da doença.
No sábado no decorrer da oração de cura, o Pe. James disse o meu nome: “Sandra, estás curada de epilepsia”. Desde esse momento deixei de tomar os medicamentos e não voltei mais às consultas de epilepsia. Encontrei Jesus no meu caminho que mandou os seus anjos e deu-me a força do Espírito Santo que pôs na minha mente que o meu médico é Jesus. Eu fiquei curada. Obrigada Jesus!

Maria Gracinda Pinheiro 60 anos – Maia. Retiro no Porto - Março 2012

Participei no retiro da Consolata, em Novembro 2011 em Fátima. Na oração de cura e libertação de sábado, recebi uma cura física nos meus joelhos que tinham artroses e fragmentos soltos que não me possibilitavam ajoelhar.
Desde esse momento deixei de ter dores e já me posso ajoelhar sem dores diante o Santíssimo Sacramento. Também recebi curas espirituais: comecei a rezar mais, os meus pais, embora fossem católicos, só iam à igreja por ocasião de casamentos e baptizados, agora, ao fim de 84 anos, vão à comunhão.

Lúcia Costa 60 anos – Famalicão. Retiro no Porto - Março 2012
Participei no retiro do Pe. James em Fevereiro 2011 Fátima. Depois de 27 anos de intoxicação de pó proveniente do meu trabalho, fui curada de asma e de dores nos rins e ossos. Não me conseguia ajoelhar e agora já o posso fazer. Graças a Deus.

Ana Teixeira 63 anos – Lixa. Retiro no Porto - Março 2012
Semanas antes de participar no retiro em Fátima – Consolata Novembro 2011, foi-me diagnosticado um cancro no fígado. O Pe. James, num dos intervalos, rezou por mim e na oração de cura senti um formigueiro em todo o meu corpo. A dor com que fui para o retiro já não a trazia de volta para casa. Fui operada no dia 24 de Novembro. Não preciso de tomar medicamentos e foi um milagre a operação. Louvado seja Deus.

Maria Sousa Leite, 68 anos – Lixa. Retiro no Porto - Março 2012

Desde que comecei a participar nos retiros do Pe. James já fui curada de muitos problemas tais como: maus pensamentos; incontinência que durava há seis anos; neurose obsessiva; de digestão que não me permitia comer nada à hora do jantar; amargoso na boca e de diabetes que desapareceram. Louvado seja Deus.

Sílvia Maria, 71 anos – Vila Real. Retiro no Porto - Março 2012

Há cinco anos que sinto uma dor violenta no peito esquerdo e um peso muito grande que me faz sentir mal, parecia que morria. Também tinha muitas dificuldades em ajoelhar-me.
Vim ao retiro do Porto, Março 2012 e no sábado o Sr. Pe. James rezou por mim e desde esse momento deixei de sentir as dores que tinha e passei a dormir bem e já me consigo ajoelhar sem dores.

Alzira de Jesus Coelho, 56 anos – Vila Real. Retiro no Porto - Março 2012

Em Abril 2010 foi-me diagnosticado cancro na língua. Fui aos retiros a Viseu, Porto em e a Fátima - Consolata 2011.
Após os retiros fiz exames e os valores estão normais para admiração dos médicos que não sabem explicar esta situação. Devido à radioterapia fiquei a tomar um comprimido diariamente para relaxar. Ontem, 31 Março 2012, quando o Sr. Pe. James rezou por mim senti uma libertação interior e após o retiro não me lembrei de tomar o comprimido. Fui para o quarto dormi muito bem e estou a passar o dia muito bem-disposta. Deus curou-me, sinto uma paz muito grande dentro de mim. Louvado seja Deus.

Rosa da Conceição Fernandes, 64 anos – Madeira

Eu tinha um quisto no braço esquerdo há mais de 9 meses que ia crescendo ao ponto que já o tapava por ter vergonha. Fui a uma consulta e a médica assim que me viu disse-me que tinha de ser operada, o mais rapidamente possível. Como eu tenho uma infecção no corpo disse à médica que não me deixaria operar e que seria Jesus a tratar do meu problema, ao que a médica me disse que era uma pessoa de muita fé.
Vim a um retiro do Rev. Pe. James a Viseu em Julho 2011 e nos momentos de oração entregava ao Senhor o meu problema para que Ele fizesse a Sua vontade. Quando voltei para casa na segunda-feira à noite ao tomar banho dei-me conta que já não tinha o quisto no meu braço. O Senhor curou-me. Louvado seja Deus.

Violinda Santos, 53 anos – Coimbra

Eu e o meu marido éramos os dois viúvos e com dois filhos cada um, casámo-nos pelo civil. No retiro do Pe. James Manjackal, entendi que não podia prosseguir nesta situação marital pois ela não é do agrado de Deus. Comecei por essa razão a pensar na necessidade de regularizar a minha situação matrimonial.
Pelas comemorações dos 50 anos do grupo de oração e cristandade em Fátima no qual participámos, no momento da comunhão e ao olhar para o sacrário senti algo a mexer dentro de mim que não me deixava estar bem comigo própria. Fui-me confessar e disse ao Sr. Padre que me confessou que não tinha o Sacramento do Matrimónio. Passado um mês casámo-nos e recebemos o Sacramento do Matrimónio. A partir desse momento tenho vindo sempre aos retiros do Pe. James e a nossa vida tem melhorado muito. Dou Graças a Deus.

Maria Julieta Antunes, 54 anos – Entroncamento

Desde 1986, aproximadamente que eu comecei a andar com uma grande depressão, mas não aceitava que estava doente. Em 1990 fui ao médico e comecei a fazer tratamento, chegando a tomar 30 comprimidos diários.
A vida não tinha significado para mim e eu queria “ceifá-la” para acabar com o meu sofrimento. Eu sentia-me a pior mãe e esposa e mesmo medicada essa ideia não me deixava, mas não falava disso a ninguém porque tinha vergonha.
Uma amiga convidou-me para ir a Fátima a uma assembleia e lá soube que o Sr. Pe. James Manjackal viria a Fátima em Setembro de 2006. Senti um enorme desejo de estar presente nesse retiro e acabei por ir.
Bendito esse dia! Sei que a partir daí ganhei força, coragem e a minha vida ganhou um pouco de cor. Em Agosto de 2007, num funeral e tomando consciência de que uma jovem havia cortado os pulsos para se suicidar, constatei que eu não pensava mais nisso! Louvado seja o Senhor. Fui ao retiro do Pe. James na Anadia e aí tive uma cura física: um dedo do pé que tinha partido e que não ficava bom e um problema de pele ficou curado.
Depois, num retiro na Consolata, o Sr. Pe. James na oração de cura disse o meu nome e que eu estava curada, para não duvidar! Apesar de já tomar muito menos medicamentos ainda tomava anti-depressivos, ansiolíticos mas hoje não tomo nenhum desses medicamentos. Fiquei realmente curada da depressão. Sou uma pessoa feliz e dou Graças a Deus pela minha vida, pelo meu marido e pelos meus filhos que amo muito. Louvado seja o senhor Jesus! Obrigado Pe. James, Deus o abençoe.

Maria da Conceição Abreu, 48 anos - Madeira

Aos 7 anos de idade tive um acidente e fiquei com epilepsia, fui medicada desde então até agora. A minha vida era vivida com muitas limitações. No retiro do Pe. James de Fevereiro 2011 na Consolata num dos momentos de oração senti-me a ser liberta e uma alegria muito grande dentro de mim. Comecei a chorar de emoção quando o Pe. James através do Espírito Santo disse o meu nome. Eu estava a pedir ao Senhor a minha cura e Ele atendeu a minha oração. Agradeço a Deus por esta graça que me deu.

Isabel Nascimento Ramos, 32 anos St.ª Cruz - Armamar

O meu primeiro retiro com o Pe. James foi em Viseu em Julho 2011. Aí obtive a cura de uma dor que tinha no fundo das costas e me causava um mal-estar constante e uma sensação de pressão naquele sítio. O Senhor curou-me no momento da oração de cura. Fiz uma confissão no decorrer desse retiro e o Sr. Padre que me confessou disse-me que o Senhor queria que eu tivesse outro filho. No decorrer da Santa Missa, tive a sensação de se ter mexido dentro de mim um bébé, pensei que talvez fosse um sinal de Deus e que ia engravidar novamente. Depois do retiro de segunda para terça senti o calor de um bébé ao meu lado. Na terça-feira fui a uma consulta de planeamento familiar e disse à médica que estava a sentir que estava grávida. Fui fazer o teste de gravidez e deu positivo. Estou grávida novamente. O que eu senti no final do retiro após a Efusão foi uma grande paz, como se tivesse nascido de novo. Antes pensava que o Pentecostes só tinha acontecido aos Apóstolos, mas agora sei pessoalmente por experiência pessoal que o Pentecostes também nos pode acontecer a nós agora.

Paulo Fraga, 41 anos – Fafe

No retiro em Fátima no ano passado (2010), na adoração ao Santíssimo Sacramento pedi ao Pe. James para rezar por um casal que se tinha separado: “ajude Padre James para que o casal se volte a reconciliar, o marido foi viver para casa dos pais”. Após o retiro, passado algum tempo fiz um telefona ao casal e eles já se tinham reconciliado. Agora vivem unidos como marido e mulher, e pediram perdão um ao outro. Louvado seja Deus.
Eu pessoalmente fui curado de dores nas costas e tinha enxaquecas muito fortes. Depois desse retiro em Fátima, nunca mais tive essas dores. Obrigado Padre James, louvado sejas Jesus Cristo.

Maria Gomes Cerrão, 80 anos – Madeira

Tive 11 filhos e aos trinta anos fiquei muito doente dos ossos, eram dores e um mau estar constante. Os médicos não descobriam o que estava na origem das minhas dores. Vim a um retiro do Pe. James e num dos momentos de oração de cura senti que fui curada, já não sinto mais aquelas dores. Louvado seja o Senhor.
 
 

Ângela de Jesus Gomes, 69 anos – Madeira

Tinha fortes dores de cabeça e dores no coração que me causavam mal-estar no meu dia-a-dia. Há três meses, tive conhecimento dos retiros do Pe. James e vim participar. No momento de adoração ao Santíssimo Sacramento senti um calor a subir pela minha coluna acima e desde esse momento que não sinto mais as minhas dores. Obrigado Jesus por esta cura.
 
 
 
 

Rui Miguel, 32 anos – Braga

Em Junho passado fui pela primeira vez a um retiro do Pe. James em Vila do Conde. Nesse retiro, sem ter pedido qualquer tipo de cura física, fui curado de enxaquecas.
Desde os meus cinco anos que sofria dessa doença e com muita frequência era “atacado” pelas enxaquecas. No retiro de Vila do Conde, no Domingo, antes da Efusão e imposição das mãos, eu estava com imensas dores de cabeça. Após a imposição das mãos pelo Sr. Pe. James Manjackal quase que imediatamente fui curado das dores de cabeça, pois elas desapareceram e até ao dia de hoje, 20 Novembro 2011, nunca mais voltei a ter aquelas horríveis dores de cabeça.
Tudo pela graça de Deus e intercessão do Sr. Pe. James.
 
 

Maria Isaura Batista Santos, 53 anos – Chaves

Há cerca de dois anos que vivia num grande sofrimento com algoneurodistrofia, fibromialgia e poliartroses. Já não aguentava a vida, só tinha um desejo “a morte”.
Uma amiga, de nome Fátima, trouxe-me em Setembro de 2011 ao retiro do Pe. James no Porto. Foi maravilhoso, aí senti-me curada, não me doeu nada. A cura física não foi total, passei a dormir, a suportar melhor as dores, mas a cura do espírito foi muito grande, passei a ter vontade de viver e a ficar mais resignada com a vontade de Deus. Tinha muita vontade de vir a este retiro na Consolata, em Novembro 2011. Aqui senti as dores aumentarem e desanimei. Porém, o Sr. Pe. James, na oração de cura, disse: “Isaura, estás curada”. Senti uma grande alegria e tenha a certeza de que Deus só me vai dar o sofrimento que eu aguente. Obrigado Senhor! Aleluia!
 
 
 
 
 

Carla Maria dos Santos Ribeiro Domingos, 38 anos – Coimbra

Tinha asma, bronquite e sinusite desde os cinco anos. No retiro do Pe. James em Fevereiro de 2011 na Consolata, fui curada. Não podia usar brincos, pois ficava com muita alergia. Desde então uso brincos todos os dias. Louvado seja Deus!
Esta foi uma cura física, mas as curas espirituais e bênçãos, para mim e família, têm sido muitas. Louvado seja Deus! Aleluia!
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Alberto Ferreira da Costa, 72 anos – Braga

Clinicamente, nunca tive nenhuma doença e tenho mesmo uma constituição que faz admirar muitos médicos. No entanto, desde muito jovem sofria de dores de cabeça e enxaquecas inacreditáveis. Um dia, encontrava-me na Alemanha a ensinar Português e aí descobri que tudo isso provinha de uma intoxicação de mercúrio provocado pelos analgésicos que naquele tempo se colocavam nos dentes. Não foi fácil entender como tantos médicos ignoravam este problema mas na Alemanha todos o conheciam mas tinham medo de falar nisso e rejeitavam todo aquele que tivesse este problema: é que a indemnização a que teria direito era fabulosa e a indústria que fabricava este veneno era um potentado. Quando descobri e consegui alguém que me começou a tratar, os problemas foram diminuindo, mas permaneciam dores nos maxilares onde o osso e as raízes não fossem muito bem raspados. Num retiro contei à Gaby e ela expôs o caso ao Sr. Pe. James. No final desse retiro na oração de cura e pela boca do Pe. James por acção do Espírito Santo foi-me dito claramente: “Alberto, estás curado! De que duvidas?” No retiro seguinte ouvi as mesmas palavras, mas sem a expressão de que duvidas. Não foi de repente, mas de uma maneira natural as dores do maxilar (superior) foram ficando no esquecimento e as sonolências incómodas e as dificuldades de concentração foram e continuam a desaparecer!
Bem haja, a confiança que sinto é ilimitada, e não tenho palavras para mostrar a minha gratidão a Jesus, o Rei verdadeiro que nos envia O Sr. Pe. James!
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Maria Celeste Barros, 61 anos – Aveiro

Eu tinha uma arritmia cardíaca e uma depressão há mais de dez anos, causa de muito sofrimento. Num retiro do Pe. James tive a graça de ser curada. Eu senti, em todo o meu corpo, o trabalho Divino mesmo naquelas partes que estavam adormecidas com o efeito dos sedativos. No primeiro dia da oração de cura interior, Jesus disse-me pela boca do Pe. James: “Maria Celeste, estás curada. Acredita minha filha.” E no segundo dia Jesus tornou-me a dizer: “Celeste, ontem foste curada, agradece minha filha”.
Seja louvado Nosso Senhor Jesus Cristo com sua Mãe Maria Santíssima. Obrigado Senhor!
 
 
 
 

Isabel Carvalho, 41 anos - Portugal

Desde 1997, quando pegava em pesos e fazia viagens, sentia muitas dores, lombalgias na coluna. Consultei médicos e foi-me diagnosticada na coluna vertebral uma Discartrose na L5 S1, causa provável traumatismo. Passei a fazer medicação e piscina para melhorar a qualidade de vida.
No ano 2000 manifestou-se uma tendinite no ombro esquerdo.
Em Julho de 2011 participei no Retiro do Pe. James realizado em Viseu, no momento de Adoração e Cura, o Sr. Padre James quando disse por acção do Espírito Santo que eu estava curada, acrescentou: “Acredita! Não duvides.”
Acreditei. Senti piquinhos na coluna e no ombro, algo se estava a passar … Foi com admiração que senti as transformações nos “tecidos”e agradeço a Jesus a cura e a sua infinita misericórdia por mim.
--- CURASTE-ME SENHOR JESUS! A TI HONRA, GLÓRIA E LOUVOR PELOS SÉCULOS SEM FIM. --- ALELUIA. --- ALELUIA. ---
Obrigada, Senhor Jesus! O Teu Nome seja bendito e glorificado para sempre.
 
 
 
 
 

João Morais, Mira - Portugal

Dos vários retiros a que tenho assistido, orientados pelo Sr Pe. James, em todos eles sinto ganhar algo interior, que condiciona o meu agir e o meu pensar. Os retiros são todos riquíssimos do ponto de vista espiritual, mas ganha-se de igual modo, no plano do relacionamento pessoal.
A minha vivência de cristão era um tanto superficial; presentemente sinto-me mais amadurecido e com um sentimento do Amor profundo de Jesus por nós inimaginável, com reflexos na paz e na alegria que sinto todos os dias.
O Espírito Santo, enviado por Deus Pai e Deus Filho paira sobre aquelas multidões de 1000 a 3000 pessoas, consoante o local dos retiros do Pe. James, derramando os seus dons e carismas, preparando cada um para a missão …
Jesus no Seu Amor infinito por nós, cura-nos e liberta-nos das nossas amarras nos retiros do Pe. James, assim estejamos nós dispostos a caminhar na Luz … vamos doentes e voltamos curados, de corpo e alma!
Faz a experiência, tu que te encontras um pouco indeciso, expectante, infeliz. Ele Jesus está à espera desse momento. Decide-te e verás as maravilhas que o nosso Deus Trindade, reserva para o Seu Povo e para ti muito especialmente.
Que a Trindade Santa continue a abençoar o Pe. James, que com a sua generosidade e força interior, nos leva até Ele, com tanto carinho e amor.
Bem-haja Pe. James
Seja louvado e adorado o nosso Deus Altíssimo.
 

Elisa Belchior, 59 anos
Durante o ano de 2010 foram-me diagnosticados dois cancros simultâneos, um de intestino e outro nos ovários.
Durante os tratamentos, num retiro em Bragança foi pedido ao Pe. James a sua oração para a minha cura. Em Junho fui ao retiro de Vila do Conde, estando eu com graves problemas de estômago, pois não consentia alimentos. Durante a oração de cura física foi dito o meu nome pelo Pe. James. Senti de imediato que estava curada.
Nessa noite comi com abuso e nada me fez mal. Já engordei 14kg e os médicos dizem que estou muito bem.
Acredito que a minha fé e a misericórdia de Deus actuou sobre mim no retiro do Pe. James.
Glória a Ti Senhor.
 

Maria de Fátima Lima Oliveira, 7 anos – Felgueiras
(Testemunho contado pela mãe)

Desde a nascença que a minha filha tinha miopia. No momento de adoração, o Sr. Pe. James disse que a menina Maria podia tirar os óculos. Eu acreditei que era a minha filha e tirei-lhos.
Na manhã seguinte, a minha filha tinha o vestido descosido, fui buscar uma agulha e linha para lho coser mas nem eu nem o meu marido conseguimos enfiar a agulha. A minha filha disse de repente: “deixem estar que eu enfio” e conseguiu fazê-lo rapidamente. Neste momento já não precisa de óculos e está a ver bem. Todos o puderam constactar no retiro. Glória a Deus!
 

Patrícia Nazaré, 9 anos – Felgueiras
Tinha um problema na vista esquerda. O olho inchava e ficava vermelho, quando acordava tinha sempre o olho colado. A minha professora é que começou a dar conta da situação. No decorrer de testes de rotina, fui ao médico e continuava a fazer exames sem que os mesmos fossem conclusivos. Vim ao retiro do Pe. James ao Porto em 2011 e no momento da oração de cura no sábado o Sr. Padre disse que vinte pessoas estavam a ser curadas da vista acreditei que eu seria uma delas. O inchaço passou de imediato. Agora vejo bem e já não tenho qualquer problema no meu olho. Obrigado meu Jesus.

Maria Mimosa Silva Santos, 63 anos – Vila da Feira
Sofria de diabetes há 20 anos. No retiro de Vila do Conde em Junho 2011 o Pe. James, no decorrer da oração de cura, disse o meu nome e eu acreditei. Desde esse momento as análises ficaram normais, os médicos ficaram admirados com a minha cura e já fui retirada da consulta das diabetes.
Louvado sejas Senhor.

Francisco da Costa Ferreira, 58 anos – Vila Nova de Famalicão
Em 2009 a minha médica diagnosticou-me cancro no fígado e que nada me poderia valer. O cancro tem sido hereditário na minha família o qual já levou o meu próprio pai e outros familiares. Fiquei aterrorizado e deprimido e sentia que ainda era muito novo para morrer. Perdi trinta quilos e não tinha vontade de nada.
Fui a um retiro em Vila do Conde em Junho 2011 com esperança de que só Deus me poderia salvar. Na oração de cura o Pe. James disse: “Francisco, estás curado” eu pensei se no meio de tanta gente seria mesmo eu! Em Agosto 2011 fui fazer um TAC. Depois na consulta, a médica disse que alguma coisa não estava bem e eu fiquei assustado e perguntei-lhe se estava pior. Ela disse-me que teria de repetir os exames porque não estava a verificar nada de anormal nos meus exames, ao contrário do que me tinha sido diagnosticado antes.
Perguntei à médica se acreditava em milagres e ela disse-me que sim e naquele instante lembrei-me das palavras do Pe. James, “Francisco está curado”.
Fiquei curado do cancro do fígado e agora faço a minha vida normal. Foi um grande milagre que Deus fez na minha vida. Louvado seja o Senhor Nosso Deus.
 

Maria do Céu, 42 anos – Aveiro
No retiro do Pe. James de Viseu em Julho 2011, em que participei integralmente, fui curada do meu comportamento: sentia a presença do inimigo várias vezes, e tentei o suicídio dezasseis vezes.
Agora vou todos os dias à missa, faço mais retiros e mais oração fruto do que aprendi nesse retiro.
 

Ana Maria da Silva Martins, 58 anos – Barcelos
Há cerca de dois anos que andava com fortes dores de cabeça de tal modo que nem sequer era capaz de olhar para cima. Fiz vários exames e não acusavam nada, tomava medicamentos mas não sentia melhoras. Fui pela primeira vez a um retiro do Pe. James no Porto em 2010 e, no momento da oração de cura, foi dito pela boca do Pe. James o meu nome e nesse instante senti que era para mim. No dia a seguir as dores passaram e nunca mais voltei a ter dores. Louvado seja o Senhor.
 

Maria Ema Paulo Ramos, 75 anos – Gafanha da Nazaré
Tinha glaucoma e cataratas na vista, fui a uma consulta no dia 30 de Maio 2011, nessa consulta o meu oftalmologista disse-me que tinha a retina tão mal que tinha de fazer uma série de exames. Depois de fazer os exames tinha uma nova consulta a 30 de Agosto 2011 e ficaram logo marcadas consultas de três em três meses, fiquei muito triste e em baixo. Em Junho fui a um retiro do Pe. James em Vila do Conde a acreditava que poderia ser curada dos meus problemas. No momento de oração o Pe. James disse o meu nome Maria Ema estás curada. Eu acreditei que aquelas palavras eram para mim e comecei logo a sentir-me melhor. Em Agosto fui à consulta e o médico disse-me que tinha havido uma mudança no meu problema pois o glaucoma e as cataratas tinham desaparecido. Contei-lhe que tinha sido Jesus que me tinha curado num retiro. As consultas agora são só de rotina e de ano a ano.
Louvado seja Deus!
 

Manuel da Graça Ferreira, 64 anos – Gafanha da Nazaré
Tenho glaucoma na vista e por consequência acabei por cegar da vista esquerda. Tinha consulta todas as semanas. Num retiro em Fátima depois do Sr. Pe. James ter rezado pessoalmente por mim vim para junto da minha mulher e comecei a chorar passado algum tempo comecei a sentir-me melhor e a conseguir ver. Contei ao meu médico como tinha obtido a minha cura no retiro do Pe. James porque ele não consegue explicar o que me aconteceu e ele disse-me que continuasse a ter fé. Até hoje continuo a fazer a minha vida normal e a ver bem.
Louvado sejas Senhor.
 

Helena de Sousa Almeida, 78 anos – Gaia
Dei uma queda e fiz um hematoma grande na cabeça. Fui para o hospital mas fiquei sempre com dores. Os médicos não detectavam a causa das minhas dores, tinha dificuldades em fazer a minha vida diária. Desde que comecei a frequentar os retiros do Pe. Jamesas dores desapareceram e tenho-me vindo a sentir muito bem.
 

Maria Isilda Abreu, 57 anos – Braga
Durante dois meses apareceu-me saído do pescoço até à ponta dos dedos do lado direito do meu corpo algo semelhante a uma veia inchada que sobressaia e para a qual os médicos não tinham justificação nem nome técnico. Fui a um retiro do Pe. James a Braga e no decorrer da oração de cura o Pe. James pronunciou o meu nome três vezes e que acreditasse na minha cura. Depois da oração e de ter saído daquela oração nunca mais me lembrei do meu problema. Estou completamente curada. Ao rezar em casa, saiu-me uma passagem em que dizia que aceitasse a minha cura. Louvado seja Deus
 

Maria Madalena Neves, 68 anos – Aveiro
Tive durante três anos umas bolinhas no meu olho direito que me tapavam parte da vista e também um problema no ouvido. O médico tinha-me dado como certo a perda parcial da audição.
No retiro da Anadia, o Senhor curou-me do problema do olho, quando voltei para casa dei conta que já não tinha o olho tapado com as tais bolinhas, começando a ver normalmente.
Vim ao retiro do Porto em 2011, e no momento de oração de cura o Pe. James disse o meu nome: “Madalena, estás curada”., A partir desse momento comecei a ouvir normalmente. Agradeço e Louvo o Senhor por estas maravilhas.
 

Maria Joaquina Vilaço Ferreira, 67 anos – Braga
Sofria muito de dores na coluna que me causavam muito desconforto e mau estar. Depois do meu primeiro retiro do Pe James em Braga as dores passaram e até hoje nunca mais tive problemas. Fui curada.
Também o meu coração foi curado interiormente depois de ter sido rezada pelo Sr. Pe. James. Consegui perdoar ao meu marido e desfazer as coisas negativas que tinha contra ele. Agora a nossa vida é mais feliz porque temos Deus nas nossas vidas.
 

Maria Madalena Alves Medeiros, 48 anos, Vila Real
Durante seis anos arrastou-se um problema no couro cabeludo e no corpo manifestando-se como uma espécie de eczema. Ao toque, sangrava e causava muito incómodo. Fui a vários médicos e hospitais que em vão fizeram tentativas para me ajudar.
No retiro do Pe. James que decorreu em Viseu de 17 a 19 Julho obtive a graça da cura. Ainda permanecem as marcas no meu corpo mas estão secas.
Tenho ainda a referir que tinha um problema de infecção urinária com reincidências constantes e que desapareceram após o retiro do Pe. James, bem como os valores de colesterol sempre muito elevados terem tomado os níveis normais.
Louvado seja o Senhor!
 

Laura Pereira, 66 anos – Felgueiras
Tinha um dedo do pé que me doía desde criança. As dores eram cada vez maiores e a situação piorava. Fui a um calista podologista há dois meses atrás mas não havia solução para o meu caso. No último retiro do Pe. James o dedo deixou de me doer. E até hoje assim continua. Glória ao Senhor

Maria Ana
Sou Maria Ana Silva  moro em Porto Salvo. Em 2009 eu só tinha 20 por cento de visão pois tinha cataratas. Tive a operação marcada para o dia 8-8-2009, o Sr. Dr. avisou-me que não me garantia o bom êxito da operação à vista esquerda, porque estava muito fragilizada, por ter já feito cinco tratamentos de Laser, eu então pedi para que a operação fosse adiada, o Sr. Dr. marcou-me consulta para dia 28 de Dezembro do mesmo ano. No principio do mês de Dezembro fui ao retiro do Sr. Padre James em Fátima no auditório Paulo VI. Quando estávamos na Adoração ao Santíssimo Sacramento, eu estava a meio do auditório, e não via a Santa Custódia com Jesus sobre o altar, então pensei vou fechar os olhos, e assim estou mais concentrada. De repente o Sr. Padre James disse, abre os teus olhos que já vais ver Jesus, eu abri os olhos e vi. Jesus como se estivesse junto do altar fiquei muito feliz e agradeci ao Senhor, no dia 28 de Dezembro fui á consulta o Sr. Dr. ficou muito surpreendido, e disse que as cataratas tinham estacionado e que eu tinha recuperado a visão. Mandou-me ir novamente a consulta dia 26-10-2010, e disse a Senhora não queria ser operada pois não; eu não Sr. Dr. então não vai precisar de ser operada, e receitou-me umas lentes com graduação muito baixa. Em baixo estão as fotocopias que justificam a minha visão antes e depois da cura para confirmar o que descrevi. Jesus está Vivo na Santa Eucaristia. Louvado Seja para sempre pelas Maravilhas que faz no meio de nós. Obrigado meu Jesus.

Emanuel Batista
Emanuel Batista Fernandes Velosa, 51 Anos natural da Madeira.
Quero partilhar o meu testemunho e experiência pessoal vivida no retiro do Padre James, de 11 a 13 de Junho de 2010, em Fátima.
Devo dizer que não era um Católico Praticante. Fui convidado por um amigo a ir ao retiro. Ele falava-me de muita coisa linda, eu fiquei curioso e então decidi ir. Foi com muita curiosidade que frequentei o primeiro retiro do Padre James.
Não ia à missa há já muitos anos, só ia pelos funerais de familiares. Já não me confessava há mais de 20 anos.
No dia 07 de Abril de 2005, tive um acidente de trabalho, que originou uma rotura parcial do tendão do bicípite braquial na sua porção distal à esquerda (braço). Na sequência do acidente fiz um tratamento médico e, a medicina física e reabilitação, atribuiu-me incapacidade permanente de 15%. Eu sou canhoto. Quando eu pegava num martelo para pregar um prego dava uma e duas pancadas e tinha que parar, pois não tinha força para mais. Parava uns segundos e dava outras duas pancadas e assim sucessivamente.
Na oração de cura do retiro do Padre James fiquei curado. DEUS curou-me e não só. Desde então vou à missa e sinto o meu coração muito feliz.
Rezo todos os dias pelo Padre James e a DEUS e agradeço tudo o quanto Ele tem feito por mim e à minha família
ALELUIA ,ALELUIA, ALELUIA.

Elisabete
Elisabete Morgado, tenho 39 anos e sou de Viseu.
No fim do ano de 2006, foi-me diagnosticado um cancro de mama. No mês de Março de 2007, fui mastectomisada, de seguida fiz quimioterapia e radioterapia. Ao concluir estes tratamentos, os resultados dos exames mostravam que o meu organismo estava limpo e assim eu teria vencido este cancro.
Passados três anos e meio, em Agosto de 2010, numa consulta de rotina, a minha médica disse-me que os meus marcadores tumorais estavam muito elevados, que havia alguma coisa no meu organismo que não estava bem. Mandou-me fazer exames, e infelizmente os resultados não foram muito agradáveis pois tinha de voltar a fazer quimioterapia, porque estava com metástases no fígado e uma pequena lesão no osso da anca. A médica marcou-me de imediato uma cintigrafia óssea para ver qual era a evolução das metástases. No dia seguinte de ter recebido aquela notícia indesejável, tive uma grande amiga que foi ao meu local de trabalho para me dar força e coragem e falou-me do retiro que ia haver nesse fim-de-semana, 4 e 5 de Outubro de 2010 com o Padre James, e convidou-me a ir com ela. Fui, cheia de esperança e de fé, onde pedi muito a Jesus e a Maria sua Mãe que me curassem. Quando o meu nome foi citado pelo Padre James, dizendo que eu estava curada, para não duvidar e que louvasse o Senhor, que agradecesse a Jesus, eu, nesse momento senti algo de extraordinário dentro de mim… Passadas duas semanas fui fazer uma cintigrafia, e o resultado foi espectacular pois estava tudo normal, não tinha metástases nos ossos. Ao receber esta boa notícia, pedi à médica para fazer análises com marcadores tumorais e o resultado destas foi de que os marcadores estavam normais. Cheia de confiança e sem dúvidas de que Jesus me tinha curado, fiz tudo o que a médica me sugeriu. Posso dizer que Jesus é o nosso Maior Amigo, pois fiz vários exames e os resultados foram sempre iguais, está tudo normal.
Estou curada!
Jesus Cristo seja louvado. Aleluia

Lina
Lina Abreu, tenho 36 anos - Guarda
Tenho, ou melhor, tinha alguns problemas de saúde não muito graves mas que com o tempo poderiam tornar-se graves.No meu primeiro retiro com o Sr. Padre James, em Junho de 2009, durante a oração de cura o Sr. Padre James mencionou o meu nome como estando a receber uma graça. Mas este não foi o momento mais importante deste retiro que quero partilhar convosco. Temos um filho que tem agora 10 anos, na altura tinha 8, que foi o principal motivo que nos levou, a mim e ao meu marido, aos retiros do Padre James. O Pedro é asmático e teve várias bronquiolites e complicações respiratórias desde bebé o que lhe provocou algumas lesões pulmonares.
No momento em que o Sr. Padre James pede para que coloquemos as mãos sobre as pessoas que estão ao nosso lado, eu e o meu marido colocámos as nossas mãos no peito do nosso filho e pedimos ao Divino Espírito Santo que o curasse. Para quem frequenta os retiros do Sr. Padre James não é novidade, para aqueles que nunca foram, o Sr. Padre enumera várias curas, então começou a dizer vários nomes de pessoas que estavam a ser curadas. Depois de muitos, nomes, de muitas curas, disse que 4 ou 5 (não sei precisar) pessoas com o nome Pedro estavam a ser curadas. Nesse momento o meu coração saltou e questionei-me: “Meu Deus, será o meu Pedro, um deles? E precisamente nesse momento, quando este pensamento me passou na cabeça, o Sr. Padre James voltou a repetir: “Pedro believe your lungs are healed” (Pedro acredita, os teus pulmões estão curados). Chorámos muito e agradecemos a Deus a Graça que nos deu e ao Padre James por nos ter ajudado a canalizar essa Graça para o nosso filho. Não temos confirmação médica, pois não queremos submeter o nosso filho a mais radiações mas acreditamos que está curado.
Quanto a mim, irmãos, eu era hipertensa, tinha um pequeno nódulo no peito e outro na supra-renal. Sem ser por causa do meu filho, nunca procurei os retiros do Padre James por causa de obter cura física, até porque acho que os meus pequenos problemas não são nada quando comparados com os de outros que encontramos nestes retiros (doenças tão graves e causadoras de tanto sofrimento).
Eu vou aos retiros do Padre James porque me sinto bem. Como costumo dizer, porque preciso “carregar baterias” e o Sr. Padre James para mim é a “fonte de energia” ou melhor, é os “cabos de alta tensão” que fará a ligação directa à “fonte de energia”, à fonte de água viva, a Deus. Vir aos retiros reforça-me a fé e transmite-me paz interior. Em suma, faz de mim uma pessoa melhor. Ajuda-me a voltar para os trilhos da santidade.
Mas voltando ao meu testemunho não sei se repararam mas referi-me aos meus problema de saúde todos no passado.
Em Junho de 2010 em Fátima o Sr. Padre também referiu o meu nome na oração de cura; em Outubro do ano passado aqui mesmo neste espaço (Viseu) o Espírito Santo iluminou o Sr. Padre James e por três vezes o meu nome foi mencionado.
Para não me alongar só quero partilhar convosco que desde 2009 comecei a sentir-me mal pois a medicação para a hipertensão estava desajustada, a minha tensão arterial estava normal e com a medicação baixava muito, agora tomo uma dose mínima pois a minha médica tem medo que tenha alguma alteração brusca, mas eu sei que estou curada.
Em relação ao nódulo do peito (que fazia exames de controlo todos os anos no Dário Cruz em Coimbra), este ano fui lá em Abril e graças a Deus o nódulo desapareceu, o médico bem que se esforçou a procurar e questionou-me se tinha a certeza que tinha um nódulo, tanto que teve que ir procurar os registos dos últimos exames. Meus queridos irmãos – nada - foi a resposta, já não tenho nada no peito.
Quanto ao outro nódulo da supra-renal, também era controlado de ano a ano (confesso-vos que já estava cansada de tanto controlo, eram ecografias, eram tac’s, ressonâncias e sempre a viver no pânico, será que aumentaram?). Fiz o último TAC agora em Julho e o nódulo da supra-renal também desapareceu.
Não tenho a menor dúvida que a minha cura se deve ao Divino Espírito Santo através da intercessão do Sr. Padre James a quem agradeço e peço as suas rápidas melhoras e acima de tudo que Deus lhe dê força para continuar com a sua missão de evangelização.
Louvado sejas Jesus. Aleluia.

Albertina Maria
Albertina Maria Marques Oliveira Santos, 55 anos – Peso-Covilhã
Em Agosto de 2007, foi-me diagnosticado um Carcinoma na Nasofaringe (covo) e não podia ser operada. Iniciei um tratamento de oito meses de Quimioterapia e Radioterapia. Oito dias antes do retiro tinha vindo do IPO de Coimbra. Em Abril de 2008, ainda me faltava fazer o último exame antes do Retiro da Covilhã. Sentia dores no ouvido esquerdo e tinha de fazer um exame mais aprofundado (Pete). Na oração de cura, naquele retiro, o Sr. Pe. James disse o meu nome: “Albertina Maria, o teu ouvido está curado”. Eu gritei de alegria e acreditei que o Senhor me estava a curar. A partir desse dia as dores passaram. Vou às consultas e confirma-se que está tudo bem. Fui complemante curada.
Louvado seja Deus.
 

Maria
Maria Barreto, 49 anos – Madeira
No primeiro retiro que participei em Novembro de 2010 em Fátima, tinha problemas no estômago. Inchava-me e tinha uma úlcera, por isso tomava medicação há 2 meses. Estava afastada da Igreja e há 20 anos que não me confessava.
Depois dos ensinamentos do Pe. James, fui-me confessar e já me sentia outra. Durante a oração de cura, o Senhor curou-me e as dores do meu estômago passaram. Naquele momento, nunca mais me lembrei de tomar os medicamentos. No 3º dia de retiro, a minha irmã lembrou-me que tinha de tomar os medicamentos, mas já não precisei. Recebi a minha cura e a minha conversão pessoal e familiar. Em casa, passámos a rezar todos juntos. Sou uma pessoa mais calma e testemunho o amor de Deus e não consigo passar sem os sacramentos porque tomei consciência do seu valor e poder.

Tânia
Tânia Nunes, 32 anos – Madeira  tanianunes@gmail.com
Desde os 7 anos que tenho Paralisia Cerebral, espástica com luxação congénita da Anca.
Participei pela primeira vez num retiro do Pe. James em Fevereiro de 2011 na Consolata Fátima. Vim de cadeira de rodas e muletas, não me aguentava em pé. No momento da Adoração senti que o Senhor me tocou. Já me sinto muito melhor e já me posso ajoelhar.
Nesse mesmo retiro pedi muito pela minha irmã que tinha quistos nos ovários e não conseguia engravidar. Para glória de Deus ela está grávida de 7 meses.
Louvado seja Deus


Cecília Teixeira, 63 anos – Peso da Régua
No primeiro dia do Retiro em Viseu em Julho 2011, quando o Pe. James estava a fazer um ensinamento numa das frases disse que Jesus nos conduzia e nesse momento eu comecei a chorar. Recebi uma cura interior.
Nesse mesmo retiro, no momento da Adoração ao Santíssimo Sacramento, senti que as dores que tinha desde criança, nas costas e na cabeça, tinham passado. Jesus está Vivo. Fui curada.
Obrigado Jesus.

Maria da Conceição
Maria da Conceição Pereira Ausório, 67 anos – Vigas Lourdosa, Viseu
Tinha um quisto na cabeça desde Agosto 2010. Em Outubro, no retiro de Viseu, no momento da Adoração ao Santíssimo senti que tinha sido curada das dores que tinha no corpo há mais de quatro anos. Posteriormente fui fazer mais exames à cabeça e já não aparece o quisto. A médica e os exames confirmam que estou curada.
Obrigada, Senhor Jesus.

Maria Rosa
Maria Rosa Gomes Marques, 60 anos – Setúbal
Estava muito doente quando participei no primeiro Retiro do Pe. James em Setúbal. Tinha problemas na tiróide que me inflamava e inchava a cara. Passava perto das pessoas e não as conseguia reconhecer.  Num dos momentos da Adoração daquele retiro fiquei curada dos meus problemas de saúde.
Louvado seja Jesus.

Alice
Alice Costa, 48 Anos - Coimbra
Através de umas pessoas amigas tive conhecimento dos retiros do Sr. Padre James, no final de 2010 e inscrevi os meus pais e  os meus tios no retiro de três dias a realizar em Novembro em Fátima. Eu não pude ir, e, no último dia do retiro que era Domingo, na missa da minha freguesia que eu participei,  na hora da consagração senti um alívio no meu aparelho digestivo, (eu sofria de más digestões). Até hoje estou curada. LOUVADO SEJA O SENHOR.
Fui ao primeiro retiro do Sr. Padre James em Abril de 2011 na Figueira da Foz, e quando houve o momento de escuta do SENHOR tive a confirmação da minha cura e um apelo para voltar a ser catequista.
No retiro  de Viseu, eu que estava a entusiasmar novamente os meus pais e tios a irem, e ao aproximar do fim-de-semana comecei a sentir-me tonta e, para meu espanto, estava com a tensão arterial baixa (porque sou, há uns quinze anos, hipertensa - tensão sempre alta; fui operada em 2010: fiz um cataterismo de encerramento) e  já no retiro em Viseu, quando o Sr. Padre James me impôs as mãos, eu já no chão senti o meu coração a ser mexido pelo SENHOR. Parecia que estava a levar choques eléctricos e a partir de então estou com a minha tensão boa, sem tomar medicamento algum (porque este me baixava a tensão demasiado).
O SENHOR COMEÇOU A DAR-ME GRAÇAS  ainda antes da minha participação.
A FÉ MOVE MONTANHAS E O SENHOR ESTÁ ATENTO AOS SEUS FIÉIS E É MISERICORDIOSO.

Fernando
Fernando Lourenço dos Santos, 59 anos – Figueira da Foz
Na Eucaristia do segundo dia do retiro, em Julho 2011 Viseu, pedi ao Espírito Santo que curasse o meu cérebro da doença de Alzheimer e Epilepsia. Quando recebi a comunhão acreditei na minha cura e no momento da oração de Cura o Pe. James pronunciou o meu nome e a minha cura. Estou curado.
Obrigado Jesus Cristo pela minha cura. Obrigado Pe. James pela graça da minha conversão.

Olívio Pedro
Olívio Pedro Lopes, 34 anos – Leiria
Eu era um baptizado, católico não praticante. Por curiosidade fui a um retiro do Pe. James em Novembro de 2010 a Fátima onde recebi diversas graças: a minha conversão, comecei a ir à missa, a ler a Bíblia e deixei de fumar.
Louvado sejas Jesus

Maria
Maria Abreu, 45 anos – Madeira,
Em Novembro de 2010 fui pela primeira vez ao retiro do Pe. James a Fátima. Fui confessar-me o que não faziam há mais de vinte anos. Foi no confessionário que tive a minha conversão numa confissão de 45 minutos. Tinha problemas nos meus joelhos, não os conseguia dobrar nem me podia baixar e não dormia de noite sempre com muitas dores. Durante meses fui à missa e não me podia ajoelhar. Consultei médicos especialistas e um deles colocou-me em lista de espera para ser operada aos joelhos. No Domingo a seguir ao retiro fui à missa e quando dei por mim já estava ajoelhada sem dores, louvando o Senhor.
No retiro de Fevereiro 2011 na Consolata – Fátima, eu tomava um comprimido todos os dias em jejum para a tensão alta. No segundo dia de manhã, estava na casa de banho para tomar o comprimido, quando este me saltou da mão e caiu no lavatório. Disse em voz alta: “caíste, há mais”. Fui à carteira par ir buscar outro e de repente veio-me à cabeça: “Será que é um sinal?” Depois disso nunca mais tomei o comprimido, foi realmente um sinal de que o Senhor me curou. Louvado seja o Senhor!

Márcia
Márcia Pinto, 38 anos - Viseu
Eu decidi seguir Jesus! Não foi fácil e não é fácil pois implica diariamente muitas mudanças na nossa forma de estar na vida! Mas acreditem que vale a pena… Passa-se a estar na vida de coração…os olhos com que observo são diferentes, o sentir é diferente… Renasci para uma nova vida!
Apesar de ter crescido numa família maioritariamente católica, e ter sido educada com muito amor e carinho e com princípios muito bons, achei que podia viver sem Jesus…Deixei de ser católica praticante e deixei de frequentar a Igreja. Afastei-me de Deus e esse foi um dos meus maiores pecados… Deixar de reconhecer a Sua presença na minha vida e achar que tudo o que me corria bem era porque eu era forte, decidida e lutadora. Algumas coisas não deixam de ser um pouquinho verdade e agradeço a Deus por isso, mas percebi que não consigo nada sozinha e que Jesus sempre esteve ao meu lado e me amou incondicionalmente, apesar de eu nem sempre O amar como Ele verdadeiramente merece… Tive vários sinais na minha vida para perceber para onde me virar… Não parei para ouvir o meu coração que era tocado pelo Espírito Santo e pensei que não podia deixar que as coisas do mundo me magoassem…Comecei a viver uma vida que não parecia a minha! Tentando orientar-me pelos princípios dados pelos meus pais, vivi e lutei contra a maldade e sem dar conta deixei que o mal se começasse a instalar no meu coração… Quando me magoavam e quando via injustiças na minha vida e no mundo, sentia uma mágoa, um rancor e por vezes uma revolta muito grande no meu coração que com certeza não vem de Jesus… Revoltava-me e não compreendia o que as pessoas me faziam, não compreendia as suas posições e atitudes e tudo no mundo estava errado! À falta de amor de algumas pessoas em vez de responder com amor, que foi o que fiz na maior parte da minha adolescência, comecei a não responder e a guardar rancores e falta de perdão no meu coração…
Sou doente oncológica! Depois de ter sido mãe, apareceu-me um caroço na mama e apesar de me ter queixado à médica, ela desvalorizou e andei um ano em que eu própria fugia do diagnóstico. Foi no dia 3 de Janeiro de 2008 (primeiro aniversário do meu filho) que obtive o resultado da biopsia que confirmava a Eco e mamografia - cancro da mama. Sem dar conta enfrentei a doença com uma força que não sabia que tinha… Achei que era minha… Tinha de facto o meu filho para criar e era ele a minha força! Evitei sempre mostrar sofrimentos e enfrentei a doença com um sorriso nos lábios porque sentia o sofrimento daqueles que amava e amo e tentava evitar a todo o custo as suas tristezas e sofrimentos. Mas cá dentro havia uma angustia e um medo muito grande… Perguntava sem fé: “ Meu Deus, porquê eu?” e não percebia que não me deixava ser amada por Ele.
Cumpri todo o “protocolo” médico: 8 sessões de quimio, cirurgia com mastectomia e reconstrução em simultâneo, 26 sessões de radioterapia e mais um ano de uma quimioterapia que estatisticamente reduziria a probabilidade de reaparecimento de novo cancro. Apesar do sofrimento, tentei empurrar sempre a minha vida e também a dos que amo para a frente!
No final desta etapa, marquei o baptizado do meu filho, pela doença e pelo fim do pesadelo que tinha vivido. Assim juntei a família e amigos nessa festa a 3 de Janeiro de 2009. Faço notar que o meu filho, que na altura andava com os chamados medos nocturnos, depois de ter recebido o Espírito Santo no baptismo voltou às noites tranquilas! Não há coincidências!
 Era necessário concluir a cirurgia de reconstrução e eu andava a adiar. De repente senti que por altura do Carnaval era o ideal pois assim não precisava de faltar ao trabalho para fazer a cirurgia (haveria 3 dias de interregno das actividades escolares) e assim foi.
Tudo parecia correr pelo melhor, as análises estavam bem, tinha feito uma eco-mamária há menos de 1 mês e estava tudo bem. No entanto eu andava triste e tentava agarrar-me às boas notícias, como a gravidez da minha irmã. Tantas bênçãos eu recebia e não conseguia reconhecê-las verdadeiramente! A cirurgia correu bem e tal como na anterior recuperei e cicatrizei tudo com muita rapidez e voltei ao trabalho. Continuei a pegar no meu filho ao colo e foi por ele que Jesus me deu sempre muitos sinais… Ele foi também o caminho utilizado por Deus para chegar até mim… Já o tinha sido! Ainda o é … Não esqueço palavras proferidas por ele há uns tempos (menos de um ano), fora de contexto, e que me fizeram chorar de alegria: “ Mamã, estamos vivos!”
Mais ou menos 1 mês depois desta segunda cirurgia, quando colocava o meu filhote no carro, que evitava a todo o custo entrar pois queria brincadeira, fiz um esforço maior e senti um grande esticão no peito. Pensei que seria muscular e fui a alguns médicos, não os que me seguem na oncologia pois com esses tinha estado há menos de 1 mês, e estava a evitar mais uma vez algo (um diagnóstico) que sentia no coração que não me seria favorável. Andava triste, amargurada, desiludida com o mundo, sem esperança, assustada cheia de medo e baralhada até com algumas atitudes que tomava que parecia que não eram minhas. Isolava-me e comecei a ter pena de mim própria…
Depois de quase 2 meses de sofrimento com dores na zona dos pulmões, que me tolhiam os movimentos e dificultavam a respiração, nem conseguia dormir de noite deitada, fui ter com a médica que me operou que quis tirar todas as dúvidas e me prescreveu um Tac. A 3 de Maio de 2010 soube que estava mal e tive a confirmação médica dos meus receios. Apesar de ter grande tolerância à dor, aquelas dores que não passavam com analgésicos e parecia que se espalhavam pelo corpo todo, não eram normais! Caí num poço que parecia não ter fundo…
 O cancro da mama tinha-se espalhado… E tinha metástases nos pulmões, fígado e ossos. Era inoperável!
 Para mim foi quase uma sentença de morte. E foi a morte que tomou conta de mim, durante algum tempo na minha vida! Aliás já tinha tomado antes… Digo que vivi e experimentei o inferno, ainda viva. A minha alma estava morta, perdi a esperança na vida e dizia muitas vezes que não compreendia “o porquê?”, que havia algo que ainda não tinha aprendido, e talvez por isso de novo a doença…Mesmo sem a verdadeira fé em Deus, comecei a achar que Deus não existia, que me tinha abandonado… Iria morrer e gostava tanto de viver… Tudo o que eram superstições (que não vêem de Jesus) empurravam-me para a morte e para além do sofrimento físico, caí num sofrimento de alma que é sem dúvida muito pior e que peço muito a Jesus que me livre sempre dele… Desisti da vida e cheguei a pensar por termo ao meu sofrimento… Não queria viver a dor e não queria que os que mais amo me vissem nesse sofrimento, que eu há tão pouco tempo tinha assistido e vivido ao ver a minha avó acamada em casa dos meus pais, sem falar, sem conseguir mexer-se, mas que foi amada até ao fim por todos nós, durante dois anos antes de falecer. Sem fé, há acontecimentos da vida que parecem não ter sentido… os sofrimentos eram-me incompreensíveis! Procurei ajuda média e consolo médico e nada me ajudava… Pelo contrário… Houve uma psicóloga, que coitada, com alguma inexperiência, ajudou-me a perder ainda mais a esperança, quando me disse que as coisa tinham piorado muito e que a minha doença não tinha cura… No máximo esta iria ser controlada e tentariam torná-la numa doença crónica! Tudo dependeria da reacção às quimios que iria iniciar. Quando me deu alta, pedi-lhe que evitasse dizer a um doente com cancro que o seu mal não tem cura, pois ajudava a acabar com a esperança… Há coisas que a ‘ciência’ não consegue explicar e tudo o que saí um bocadinho da ciência, noto que muitas vezes os médicos se recusam a aceitar…
Voltei de novo à sala de quimioterapia do hospital e comecei logo com uma intravenosa (que já aqui referi, que quando me tinha sido administrado anteriormente, supostamente reduziria em 80% o risco de reaparecimento do cancro - mas nestes casos a matemática não ajuda muito e tratam-se apenas de números – eu teria feito parte desses 20% nesse estudo estatístico), pois a terapêutica com comprimidos de quimioterapia teriam que ter autorização do Infarmed e a médica queria assegurar o inicio de um tratamento. Não vou relatar o sofrimento que foi para mim voltar àquela sala. Hoje entro lá sem qualquer problema e isso é que é importante! Apetece-me falar com todos os que estão por lá e dar-lhes força e transmitir-lhes esperança na dor e na sua agonia… Como não consigo falar com todos, falo com alguns e a esperança (Jesus) que tenho levado tem feito bem…Aliás só faz bem!
Comecei a tomar anti-depressivos e calmantes e a tristeza não passava…Não dormia, não comia…até para tomar as dezenas de comprimidos diárias parecia que tinha um travão na garganta…Não conseguia tratar do meu filho e sem querer, achava eu para bem dele, afastava-me de lhe dar o meu amor pois não queria que ele sentisse a minha falta quando eu morresse. Passava os dias com dores e sem forças, da cama para o sofá e vice-versa e quando ia à rua parecia que já não andava cá… Passava pelos sítios e pelas pessoas e despedia-me! Que tonta… Como se eu pudesse decidir o meu destino…
Num dos dias, recebi um telefonema de uma colega (não era muito próxima dela), mas ela sentiu a minha doença e tentou ajudar… Ah e como ajudou! Propôs-me a ida a um Retiro do Padre James. Apenas perguntei se era um retiro católico. Fiquei eu própria admirada com a prontidão da minha decisão em ir e a minha mãe que esteve sempre por perto disse logo que iria comigo.
Em Maio de 2010, fomos ao Retiro do Sameiro (também no dia de Pentecostes) e para mim foi um verdadeiro Pentecostes… Quando na sexta-feira entrei na Igreja, inicialmente achei estranho pois cantava-se muito e até se dançava na Igreja e isso para mim não era normal…Se calhar não era católico! Mas mal comecei a ouvir os ensinamentos do Padre James, senti-me em casa e o Espírito Santo operou milagres em mim. Despertou em mim e fez crescer em mim um imenso amor por Jesus, que me levou a um arrependimento profundo. Passei grande parte do retiro num choro quase compulsivo, onde as palavras do Padre eram todas para mim… Dava-me a ideia que ele conhecia toda a minha vida e me lia a alma. Jesus estava a falar comigo através daquele homem. Passei por um processo de arrependimento e apesar de me ter confessado uns dias antes de ir (já não me confessava há anos - mais de 20) sentia que não me tinha confessado verdadeiramente… E doía-me o coração. Sentia uma agonia e um aperto no peito. Que sofrimento que foi, mas como foi bom arrepender-me!
Essa minha amiga com uma grande fé, no dia seguinte (sábado), levou-me ao pé do Padre James para que ele rezasse por mim. Ele impôs-me as mãos e eu fiquei ali, perdida, não sabia que rezar, não sabia rezar, não sabia que pensar e até estava um pouco assustada… Senti um calor por dentro… No final eu que nem estou à vontade com o inglês, muito menos com o indiano, percebi perfeitamente o que ele me disse… Hoje ainda não sei dizer em que língua ele me falou. Tocou-me no braço e deu-me aquele ‘empurrão’ que precisava, dizendo-me com a sua doce voz: “ Minha filha vai-te confessar!”.
Assim fiz. Fui directa ao confessionário que tinha muita gente e onde a minha mãe e uma amiga estavam. Elas trocaram comigo de posição e fui quase logo atendida… Houve de facto ali mão divina… Se tivesse todo aquele tempo à espera o meu sofrimento tinha sido maior… parecia que ardia por dentro e precisava de pedir desculpa ao meu Jesus e sentir o Seu perdão. Confessei-me a um sacerdote que me ouviu e percebeu os meus medos pela minha doença, pois também aí tinha sido encaminhada por Jesus. Ele também era doente oncológico e a sua grande fé, com a ajuda do Espírito Santo, permitiu-lhe dizer-me palavras sábias, entre elas “ Minha filha, não morras antes do tempo…”. No dia anterior tinha percebido o grande mistério que é Jesus e toda a Santa Igreja que Ele instituiu. Senti o Seu grande amor por mim enquanto pecadora, quando morreu por nós na cruz e por nós ressuscitou.
Saí da confissão com um alívio muito grande e uma paz que não sentia há muito tempo. Estava muito feliz e diria até eufórica…E o meu processo de conversão continuou e continua todos os dias, quando diariamente procuro Jesus e seguir o Seu caminho. Todas as minhas cruzes se tornam mais fáceis de levar quando o faço por Jesus…Experimentei um sono descansado no domingo, no dia da efusão do Espírito Santo… Algo inexplicável e quando me levantei, percebi que já não era a mesma… uma alegria muito grande brotava do meu coração, em simultâneo com uma paz e uma força que me levavam a regressar à vida e a encarar tudo de outra forma …Tinha renascido para uma nova vida!
Naquele retiro deu-se um milagre: fui ressuscitada da ‘morte’ em que vivia nos últimos tempos!
Quando ouvi pela primeira vez, o Padre James dizer que Jesus devia estar em primeiro nas nossas vidas… Custou-me a crer! Como seria possível? Primeiro o meu filho, o meu marido, enfim os que amo… Agora percebo que só consigo amar verdadeiramente, com Jesus no coração. Desde então a minha vida e as minhas vivências pessoais são vividas à luz deste grande amor. Sinto que me é muito mais fácil amar e com um amor puro e desinteressado. Naquele retiro houve uma certeza para mim: a minha cura interior!
Eu renasci para uma nova vida… Mudei muita coisa na minha vida e aos poucos noto mudanças a meu lado… Reatei laços cortados há anos por problemas familiares, reconciliei-me também comigo e desenvolvi uma capacidade muito grande de perdoar a quem me ofende…Libertei-me de medos e receios e voltei à humildade que tinha perdido, nos últimos anos pois pensava-me uma super-mulher. Pensei que podia viver por mim mesma… pensei que as coisas do mundo não me derrubariam e o pecado devastou o meu viver… A perceber que as coisas más que acontecem são muitas vezes consequência dos nossos próprios actos, em especial da falta de amor que temos por Jesus que é manifestada nas coisas simples do dia-a-dia. Ele ama-nos de facto incondicionalmente mas a quem nós não queremos amar e nem O deixamos amar, não o reconhecendo…
Em Agosto fiz o Tac de controle e a médica ficou admirada com os resultados. As análises estavam óptimas, os indicadores tumorais estavam óptimos e as metástases pulmonares tinham desaparecido completamente. Permaneciam, em Tac, as do fígado e nas dorsais. Tinha acontecido um milagre e eu, que me sentia curada, estava a receber um sinal…
Fez agora um ano em Maio que descobri de novo a doença. Na última consulta de oncologia a médica disse-me que iria pedir novo Tac pois no último o meu fígado que tinha estado crivado de nódulos, apenas apresentava um com 6mm e quanto às lesões nas vértebras não há a certeza de serem já só cicatrizes… vai ser pedido um exame mais completo…
Apesar de não ter a certeza médica da minha cura física, eu sinto-me curada..
A minha cura física deixou de ser importante para mim…Só Deus sabe se algum dia irei ouvir de um médico “ Márcia, estás curada”, mas o que é certo é que me sinto curada e quem me curou? Jesus! Deixei de pedir a minha cura com tanta necessidade, quando coloquei a minha vida nas mãos de Jesus e digo muitas vezes até ‘fora’ do “ Pai Nosso” : “ Seja feita a Tua vontade”.
Já agora acrescento que eu própria tenho visto muitos milagres a aconteceram. Essa minha amiga com um linfoma muito grave, que era ainda sinalizado em Tac com uma massa junto ao coração e ao pulmão, foi operada uns dias depois desse retiro e a massa que lhe retiraram foi enviada para análise. As células já não apresentavam malignidade. Mais um grande sinal de Deus para mim e um grande motivo para O Louvar.
Apesar de ser das ciências (sou professora de matemática) e de muitas vezes ter dito que só acreditava naquilo que via… Hoje acredito sem ver… Felizes os que acreditam sem ver!
Um grande obrigada ao meu Jesus que me colocou no caminho um Padre Santo que me falou d´Ele com tanto amor, que me deu a conhecer Aquele que para muitos de nós, caídos neste mundanismo, é um Ilustre Desconhecido (expressão usada por outro Padre, meu amigo, com um enorme coração). Obrigada pelo seu amor, Padre James.
 Bendito seja Deus e a Santíssima Trindade.
Toda a honra, louvor e glória para sempre para Ti Jesus!
Tudo é do Pai, toda a honra e toda a glória alcançada em minha vida!
Tudo é do Pai, se sou fraca e pecadora bem mais forte é o meu Senhor que me cura por amor.
Que Deus vos abençoe a todos!

Márcia Pinto
 

Nancy
Querido Padre James:  ¡GLORIA JESÚS! ¡ALABADO SEAS JESÚS! ALELUYA!

Bendito fue el día que llegó a mi vida... todavía recuerdo la sensación, cuando ví la emoción con la que llegaron mis padres y mi tía y me contaban su experiencia en su primer Retiro Carismático (al cual no pude ir, porque estaba enferma) venían tan sumamente emocionados, llenos de alegría! Que me quedé muy impactada y con unos deseos enormes de poder volver al próximo Retiro de Padre James Manjackal, q fue en Fátima en el Auditorio del Centro Paulo VI del Santuario de Nuestra Señora de Fátima y así lo hice.

 Fue una experiencia impresionante, pedía a gritos algo así en mi vida, porque me sentía tan perdida, tan desorientada, que no sabía q hacer, necesitaba encontrar el rumbo de mi vida y saber que era lo q necesitaba y en lo que había fallado.

Efectivamente, este retiro con el padre James fue espectacular, fue escuchar su voz y con todo lo que decía, me sentía tan identificada! Como si en aquel gran salón donde había cerca de 3000 personas, sólo me estuviera hablando a mí…le escuchaba y era incapaz de dejar de llorar!! Fue como llegar a lo más profundo de mi corazón y de mi alma, tenía tanto dolor enterrado en mí por experiencias pasadas…que sin darme cuenta, había creado un caparazón, en el que se escondía mucho rencor y dureza conmigo misma, como incapaz de perdonar a esas personas del pasado, incluso perdonarme a mi misma…

Durante el retiro, llegué a sacar muchas conclusiones y es que me había desviado sin querer en esos 6 años anteriores de los valores cristianos, que siempre me habían inculcado…al aflorar todos esas vivencias y personas, a las que tenía cierto rencor, algo en mí, me derritió por dentro y durante y tras el retiro, sentí que mi alma se liberaba de esa gran carga, empecé a sentirme tan bien conmigo misma, conseguí perdonar a las personas, que me habían hecho tanto daño y a mí misma por haber sido tan débil…

Rogué a Dios por la salud de mi mamá, que cada día empeoraba más y lo que más temía era poder perderla y los médicos no sabían decirme un diagnóstico…y cual fue mi sorpresa, que en ese propio retiro, en el momento de invocación al Espíritu Santo, Padre James dijo el nombre de mi mamá y en ese instante, una fuerza me hizo arrodillarme y una voz me dijo muy claramente: “A tua mäe está curada”,  mi mamá adquirió fuerza y movilidad en su brazo, mano y pie derechos, al igual q a partir de ese día ya puede hacer sus necesidades de manera normal, lo cual hasta entonces tenía muchos problemas a causa de tres operaciones y negligencias médicas…

Ni que decir tiene, a partir de ese retiro hemos asistido a muchos durante más de un año y medio, pero en Portugal, a pesar de las dificultades económicas y de la distancia, no dudamos en ir y vivir esta gran e intensa experiencia de renovación de fe. Nuestros deseos es que pudieran ser permitidos aquí en España, como ya lo fueron hace ya tiempo y de lo cual hasta ahora mi familia y yo no habíamos tenido conocimiento… Dios sabe q deseamos un cambio a muchos niveles… sobre todo España necesita renovación, conversión y profundizar en la fe cristiana, oración de alabanza y de adoración, practicar  la vida sacramental, en resumen entender, vivir y asentar valores morales y católicos en la rutina de nuestra vida diaria.

Durante este año y medio hemos recibido muchas Bendiciones de Dios de manera sucesiva, como el hecho de poder volver a la zona donde yo vivía cerca de mi familia y sin ninguna carga material…eliminando “todo” lo que conseguimos en esa etapa. Y es que en el último retiro q fuimos, mi madre y yo nos dimos cuenta del grave pecado, que cometimos hace ocho años, de confiar en una persona, que creíamos que era buena y de fe en Dios, pero fuimos sumamente engañadas por ignorancia y falta de información, que nos ha transmitido Padre James en este último retiro, nosotras hemos vivido años de mucho arrepentimiento y de lo equivocadas q estábamos…¡Oh Dios mío! ¡Nos has concedido la gracia del Perdón! Padre James puso sus manos en mi cabeza y yo sentí una fuerza tan intensa e inexplicable! En la Eucaristía dijiste mi nombre (que es muy poco común) y todo mi cuerpo no dejó de temblar y escuché su voz: “tens uma vida nova, aproveta-a” Aleluya!!!  Y así ha sido, hemos vivido momentos de absoluta conversión de fe, ahora tenemos una relación muy cercana con Jesús, no pasa una hora en la que no piense en Él, orar es un gozo para nosotras y me encanta “encontrarme” con  Jesús en mi oración personal e ir juntas a la Eucaristía prácticamente diaria…ha sido como volver a nuestras raíces espirituales. Hemos vivido nuestra conversión y ahora nuestra fe es muy viva, ha sido abrir la puerta a Dios y todas las bendiciones, que necesitamos, dadas una detrás de otra…En uno de los retiros me pasó algo milagroso, en pura invocación del Espíritu Santo la señora que estaba por detrás de mí, empezó  a tocarme la zona de mi omoplato y el brazo derecho, yo muy extrañada pero no me importó, tras unos minutos, Padre James dijo que había una chica, que estaba siendo tocada por Dios en esa zona de su cuerpo para curarle de una lesión, provocada por una agresión recibida de su ex novio, la cual le impedía mover y subir su brazo, era como tener mi brazo pesado y muerto, en ese instante, preguntó si alguien en esa sala (con casi 4000 personas) se sentía así y yo me levanté, al mismo tiempo que alcé mi brazo con mucha fuerza, Dios me había tocado y me había curado!! mi brazo está perfecto…Aleluya!!!

Actualmente, me siento renovada, limpia, feliz, con paz, sintiendo la acción del Espíritu Santo en mi familia, mis padres no se han divorciado, siguen juntos y entre ellos reina la paz y el apoyo mutuo…Aleluya!!!

Finalmente, cuando veníamos de regreso del último retiro en Vila do Conde en Portugal hacia España, yo venía muy asustada con los pésimos adelantamientos y de repente, el coche que iba adelantando al camión, que iba delante de mí, perdió el control de la conducción y toda la chapa de la parte derecha saltaba por los aires y hacia nuestro coche, pero increíblemente, en cuanto se acercaba a la luna de mi coche, la chapa cambiaba rotundamente de dirección hacia abajo, provocando un daño mínimo…todo transcurrió en cuestión de segundos, escuchábamos el cd, q habíamos comprado de los cánticos, que cantamos en el retiro, “ven Espíritu Santo, ven…” y una gran fuerza me empujó hacia mi asiento, cuando dije: Oh Dios mío!! Y me hizo reaccionar de la mejor forma al volante y salimos ilesas del accidente…Aleluya!!! Paramos en Fátima para agradecerle a Nuestra Señora y yo me tranquilicé mucho…

Infinitas gracias al Padre James por ser fiel e inmenso instrumento del Señor y a todas las personas, que han hecho posible estos retiros, expreso mi gran deseo de que puedan organizarse muy pronto en España, de los cuales quiero formar parte e incluso, me haría mucha ilusión poder traducir a español todos los libros del Padre James…ahora estoy viviendo una etapa, q necesito llenar con dos Bendiciones, que siento que Dios me traerá en breve tiempo y las cuales he deseado toda mi vida, que son la de encontrar un buen trabajo estable y poder vivir una vida en santidad con el hombre de mi vida y formar familia…Tengo muchísima FE y Dios me lo pondrá todo en mi camino y escribiré otra carta de testimonio para compartirlo con el mundo entero.

Mª Concepción Rodríguez, 60 años
Nancy, 37 años;  España, Julio 2011


Sou o Lino Pereira das Neves, tenho 63 anos, sou casado com a Maria Clarisse, resido no Seixo da Mira e na minha vida profissional fui ferroviário.  Temos  10 filhos, 12 e vésperas de 14 netos.

Motivado pelos testemunhos que podemos consultar no site do Padre James Manjackal, resolvi também dar o meu. Essa motivação tomou em mim ainda mais força, ao ouvir que  se o Espírito Santo nos concede graças, é porque quer e confia em nós para as divulgar.

Após ter participado num retiro do Pe. James Manjackal em Fátima no mês de Dezembro de 2008, e do conselho que ele nos faz sempre que devemos participar todas as semanas num grupo de oração, comecei a sentir esse desejo de participar num grupo de oração carismático. Só que ninguém me informava da sua existência nas redondezas, embora posteriormente viesse a saber que existia um bem próximo. Eu nunca tinha participado em nada do género mas a “fome” de Deus que adquiri no retiro era muita.

Resolvi então fazer uma pesquisa na Internet e consegui entrar em contacto com uma responsável do grupo de oração de Aveiro, que me informou sobre os dias de oração naquela cidade e ainda da existência de um outro grupo de oração mais próximo, a escassos kilómetros da minha residência. Resolvi então dirigir-me a essa localidade (Gafanha da Boa Hora), num Domingo à tarde, na tentativa se saber algo mais sobre o grupo, nomeadamente os dias, local e hora da reunião. Lá consegui as informações que pretendia e no dia de oração, lá me dirigi para ver como se desenrolava uma reunião do género. O grupo era muito simples e com uma orgânica muito diferente daquela que eu imaginava após ter frequentado o retiro do Pe. James e a dinâmica de alegria, louvor e oração que lá vi. A princípio confesso que me senti um tanto ou quanto desfazado, mas como gosto de coisas simples, senti-me acolhido  acabando por gostar e continuar, convidando ainda outras pessoas a acompanhar-me nas seguintes reuniões.

Mas concerteza o Senhor queria mais e foi assim que passadas poucas semanas, surgiu-me um compromisso que me impedia temporariamente de estar disponível às segundas-feiras. Mas o Senhor já me tinha tomado pela mão e não me queria deixar e servindo-se do facto de outras pessoas necessitarem que eu as transportasse na minha viatura, surgiu-me a ideia de iniciar o grupo na minha Paróquia, e aí  fazer a reunião num outro dia da semana. Partilhei  a ideia e obtive encorajamento. Para facilitar as coisas, até o Pároco que, pelo facto de residir noutra  paróquia eu tinha uma certa dificuldade em o encontrar,  encontrei-o por casualidade, falei-lhe do projecto, e obtive da sua parte permissão para ir em frente.

Na semana seguinte, numa quinta-feira, lá démos inicio ao grupo com um punhado de pessoas, sem experiência nem material de apoio. O grupo foi formado e depressa me dei conta que, pessoas que pelo seu estilo nunca imaginava juntarem-se a nós, começaram a participar assiduamente. Gentes simples e com recta intenção, depressa começaram a testemunhar que algo começava a ser diferente nas suas vidas e se alguma vez tinham que faltar, na semana seguinte queixavam-se da falta que a reunião lhe tinha feito durante a semana. No decorrer dos primeiros tempos, os ataques e dificuldades foram mais que muitas, mas como o grupo não era nosso (mas de Deus), foram sendo ultrapassadas, nunca tendo ficado até aos dias de hoje, nenhuma semana  sem reunião de oração.

Entretanto, porque quem participa com recta intenção num retiro do Padre James, deseja que todos tenham a oportunidade de viver essa experiência, comecei a divulgar as datas dos retiros que entretanto iam acontecendo, ao mesmo tempo que incentivava à sua participação. No último retiro do Pe. James, na Figueira da Foz, dos quinze a vinte elementos que se reúnem semanalmente, doze participaram neste retiro. Todos e sobretudo os que foram pela primeira vez, vieram encantados com a pregação do Pe. James e com toda a dinâmica de alegria, louvor e oração que eleva as nossas almas para Deus e nos faz ver que Deus está Vivo e actua como nos primeiros tempos da Igreja. E assim neste momento, apenas dois elementos do grupo, ainda não fizeram essa experiência maravilhosa.

O grupo não é muito grande, mas todos rezam para que ele não acabe, o que é bom sinal. E porque não é o saber ou a experiência dos seus elementos que o tornam atractivo, para mim é uma prova que é o Espírito Santo que o vai defendendo.

Se me perguntassem o que já aprendi com a formação e caminhada deste grupo, diria:

- Se Deus nos chama, e Ele fá-lo de diversas formas e meios, é porque entende estarem reunidas condições para o fazer. Por isso, embora com prudência, não devemos permitir que medo ou qualquer outro preconceito, nos impeça de ir em frente.

- Para formar um grupo é apenas necessário haver vontade e deixar que o Espírito Santo conduza o processo.

- Não nos devemos preocupar em demasia com os meios materiais, uma vez que a riqueza dum grupo não consiste na existência mas na carência dos mesmos.

- A simplicidade como agimos, nos exprimimos, o querer e acreditar que Deus não nos abandonará, são os principais condimentos para atingir os fins a que nos propomos. Se o grupo onde iniciei fosse mais rico em meios materiais, mais sofisticado nas intervenções, eu talvez não tivesse acreditado que também era capaz e assim, o meu grupo onde Deus tem derramado tantas graças, poderia ainda não existir.

Sem deixar de compreender e estar solidário com aqueles e aquelas que procuram um retiro do Pe. James em busca duma cura ou da resolução dum problema, estou imensamente grato ao Senhor, que sem me ter concedido nenhuma cura física de forma miraculosa, tem operado tantas maravilhas em mim. Ao meditar na minha caminhada, após a minha participação no retiro do Pe. James de 2008, e nos que se seguiram, vejo com muita alegria e esperança as inúmeras maravilhas operadas por Deus na minha pessoa, nos meus filhos e naqueles que me rodeiam. A título de exemplo o Senhor concedeu-me a graça de chamar um dos meus filhos a participar num retiro de «Convívios Fraternos». Foi inexplicável a alegria que eu e a minha esposa sentimos, quando no encerramento o vimos a saltar de alegria e a afirmar ter-se encontrado com Deus.

O meu grande desejo é que Deus se sirva deste meu humilde testemunho, que procurei transmitir em fidelidade com a minha consciência, para fazer sentir a quem dele tiver conhecimento, a experiência que estou vivendo. E é também para vos dar força para formarem também muitos de vós grupos de oração nas vossas paróquias. Não tenhais medo em ir para a frente. Basta entregar-vos ao Senhor e Ele fará o resto. Louvado seja Deus.

Com muita amizade

Lino

Ricardo Baia
Ricardo Baia (momento em que Pe. James rezou por mim no retiro no Santuário do Sameiro em Braga após eu ter renunciado ao tabaco que depositei com isqueiro no cesto)

Chamo-me Ricardo Baia, tenho 28 anos, e moro na Guarda. Fui toxicodependente durante muitos anos, também fumava muito. Fiz tratamentos mas, quando saia dos tratamentos, voltava novamente à droga e cada vez me afundava mais. Sentia que era causa de sofrimento para toda a minha família. Eu sabia o quanto era egoísta. Eu queria mudar! Mas não conseguia… E à medida que os anos passavam, eu sentia que já não havia saída. Eu sentia que era um caso perdido.
Tinha tentado tudo para me livrar das drogas, mas era impossível!
Não ao meu Jesus! A Ele, nada é impossível! Foi pena que não o tivesse conhecido antes. Eu conheci Jesus em Maio de 2010, quando fui a um Retiro do Pe. James na Cripta do Santuário do Sámeiro em Braga “arrastado” pela minha mãe. Logo aí, Jesus curou-me do vício do tabaco, não voltei a fumar.
Mas a verdadeira cura, Jesus fê-la meses depois, quando fui novamente a um retiro do Pe. James a Viseu em Outubro de 2010. Jesus tocou-me, mas desta vez no coração, Ele curou o meu coração e pela primeira vez eu consegui ver. Jesus retirou a venda dos meus olhos, estes olhos que estiveram cegos durante tantos anos! Eu aceitei Jesus. Nesse dia, senti o seu amor, a sua paz e deu-se a minha conversão. Nunca mais voltei a consumir drogas. Fui curado de uma úlcera e gastrite causada pelas drogas, metadona e tantos comprimidos. Não voltei a ter dores no estômago.
Jesus curou-me de todos os maus hábitos, não voltei a consumir bebidas alcoólicas. E desde esse retiro, em Viseu, em Outubro de 2010, que não voltei a masturbar-me, não é fácil dizer isto, mas, é completamente impossível ficar calado e indiferente a estes milagres que Jesus realiza em nós, acreditem que o impossível ao homem, Jesus faz! Obrigado Jesus!

Avelino Pinheiro, 58 anos Coimbra
No retiro em Fátima em Novembro 2010, tinha um cancro no cólon. Embora tivesse andado a fazer tratamentos, estava ainda muito mal. A operação não correu bem e não me foram retirados todos os pólipos.
No momento da Adoração ao Santíssimo Sacramento, o Pe. James disse o meu nome (“Avelino estás curado”) e eu acreditei que era mesmo eu. A partir desse dia, deixei de ir à casa de banho 15 a 18 vezes diárias. Fiz alguns exames (análises, TAC e uma colonoscopia) que não acusaram nada. Fiquei limpo e curado do cancro no cólon, não necessito de tomar medicamentos.
Glória a Deus!

Maria Irene Viterbo Martins, 75 anos – Porto
No meu primeiro Retiro, em Outubro 2010 em Viseu, fui curada de um cancro no peito esquerdo. Em Junho tinha sido detectado o cancro através de uns exames, fui operada e o médico ficou admirado com o pós-operatório pois nunca tive dores nem precisei de tomar comprimidos. No momento da Adoração o Pe. James disse: “Maria Irene, porque duvidas? Acredita que estás curada.”
Em Novembro de 2010, no retiro de Fátima, o Sr. Padre James voltou a dizer o meu nome e eu acreditei que fiquei totalmente curada. Os exames confirmam a minha cura total do cancro no peito. Nesses dias, sentia-me a mulher mais feliz do mundo. Deus seja louvado!

Augusto Manuel Pelaio, 63 anos Setúbal.
Há três anos num retiro do Pe. James em Fátima, tinha um problema no joelho direito: criava líquidos e não conseguia dobrar o joelho de maneira nenhuma. Nessa altura tive muitas dificuldades em conduzir e em chegar até Fátima.
No momento da Adoração, o Pe. James disse que havia pessoas a serem curadas dos joelhos e acreditei que eu era uma dessas pessoas. Quando regressei a casa as dores eram menores, na segunda-feira já não sentia dores nem inchaço, chamei a minha mulher para que visse. Ela veio e confirmou que eu estava completamente curado. Desde aí nunca mais tive dores.
Faço este testemunho para Glória de Deus.

Isabel Ferreira, 56 anos, Setúbal.
No primeiro retiro do Pe. James que participei em Setúbal, o Pe. James no decorrer da oração, ensinou-nos a rezar pelos nossos maridos e pelos pecadores. Eu fui rezando sempre e no mesmo retiro em que fiquei curada também alcancei a graça de conseguir perdoar o meu marido, que tinha saído de casa em 2000 e foi viver com outra mulher da qual teve um filho. Poucos dias depois de eu ter sido curada interiormente e de lhe ter perdoado ele voltou para casa e agora vive comigo e já não olho com ressentimento para o seu filho que aceito como meu e trato com muito amor.

Tinha também dores nas costas durante muitos anos e tinha alturas em que não me podia mexer; só os medicamentos e tratamentos aliviavam as minhas dores. Participei num retiro do Pe. James, em Fátima no ano de 2010, e no momento da Adoração, o Pe. James disse que pusesse-mos a mão no local do nosso corpo que nos doesse. Eu coloquei a minha nas costas e fiquei curada.
Glória a Deus!

Célia Maria B. Prita, 35 anos Alverca
Confio em Deus Todo-Poderoso Nosso Pai, em Jesus Cristo Misericordioso que tudo perdoa quando lhe abrimos o nosso coração, no Espírito Santo que nos santifica, em Nossa Senhora, Nossa Mãe, que roga e intercede por nós pecadores.
Eu confio que tenha sido curada. Eu antes, tinha prisão de ventre e andava com a barriga inchada, em que durante dias não conseguia fazer nada e tinha rinite alérgica, que me entupia o nariz e o fazia pingar. Após a Adoração ao Santíssimo, no retiro de novembro de 2010 em Fátima, os meus intestinos passaram a funcionar bem melhor e nunca mais tive uma crise de renite alérgica.
Obrigado por estas graças recebidas através do Pe. James.
Bendito e louvado seja a Santíssima Trindade.

Justino de Sousa Moreira, 60 anos – Penafiel
Fui fumador durante 45 anos. No meu 4º retiro com Pe. James, em Junho 2010 Fátima, no último dia após o convite do Pe. James para renunciarmos a maus hábitos ou vícios e para colocarmos a renúncia numa caixa junto do altar, eu acolhi aquelas palavras como se fossem só para mim e senti que devia deixar de fumar. Levantei-me e entreguei todos os meus cigarros e isqueiro. Desde esse dia e após a oração de cura por esses maus hábitos, nunca mais fumei.
Deus seja Louvado!

Maria do Céu Costa Leitão, 48 anos – Alverca
Depois de ter participado num retiro do Pe. James com o meu marido em Junho 2010 em Fátima, o meu marido (que andava afastado da Igreja) mudou totalmente a sua vida, confessando-se ao fim de 31 anos. Essa foi a melhor cura que pode ter tido na sua vida.
A minha irmã, notando a sua diferença, confessou-se ao fim de 46 anos. Tínhamos problemas familiares a decorrer em tribunal e toda a família contra nós, mas com a graça de Deus os mesmos problemas foram-se dissipando não chegando a ser julgados porque foi retirada a queixa.
Não bastando todas estas graças, também o meu filho se voltou para Deus. Obrigado Senhor!

Maria dos Prazeres Gonçalves, 51 anos – Pombal
Tenho vários problemas de saúde e também era hipertensa e dependia de 1 comprimido para o resto da minha vida.
No segundo retiro do Pe. James em que participei, em Dezembro 2008 em Fátima, após a Adoração ao Santíssimo fui para o hotel e quando peguei na caixa dos comprimidos sentia uma força para não os tomar. Durante vários dias, não os tomei. Fui à médica de família, que me confirmou que só um verdadeiro milagre me poderia curar. E esse milagre aconteceu já há 3 anos. Fui curada da minha hipertensão.
Deus seja louvado!

Ana Paula, tenho 50 anos e sou da Moita.
No dia em que fiz 45 anos, estava de férias no estrangeiro e lá foi-me diagnosticada esclerose múltipla. Antes de conhecer o Pe. James eu era doente com esclerose múltipla e estava numa cadeira de rodas.
A minha religião é a Católica, mas sou mais uma daquelas ditas não praticantes, que acreditam no Senhor e acham que falando, pedindo e agradecendo-lhe em casa, chega ... Mas, depois dessas férias tudo mudou...Aí eu percebi o quanto, em toda a minha vida, fui ingrata para com O Senhor! Comecei a frequentar o grupo de Oração--renovamento carismático - Emanuel da Moita. E a minha FÉ ficou cada momento mais forte, e o meu coração mais e mais cheio do Espírito Santo...
Estou casada há 20 anos e tenho 1 filho de nome Tiago---somos uma família feliz. Quando casei, o meu marido era divorciado, logo, pela lei da Igreja, estou impedida de alguns Sacramentos, o que me deixava triste e, de algum modo, um vazio difícil de explicar.  Em Novembro de 2010, fui a Fátima e entrei no auditório Paulo VI, onde iniciava um retiro do Padre James Manjackal, que eu desconhecia, mas resolvi participar. Quando na hora do almoço o Sr. Padre anunciou que ia rezar pelos doentes com esclerose múltipla, eu fiquei, nem sei como, e lá fui na minha cadeira de rodas... Depois é toda uma confusão de emoções, em que a pessoa ouve o nome e pensa que há muitos nomes iguais, mas o que é certo é que a partir desse retiro e da oração de cura as minhas melhoras foram significativas. Evidentemente no retiro seguinte, em Fevereiro deste ano 2011, lá estava eu, com alguns irmãos do grupo de Oração, a quem eu estou eternamente grata por me terem levado.
No dia 11, sexta-feira, durante a Eucaristia, afastei-me um pouco, por não poder comungar----e nesse momento comecei a sentir-me paralisada, fria, mas sabia que não era um surto de esclerose, disso nada, era muito diferente. Ninguém reparava em mim, com toda aquela alegria do retiro. Mas quando o Padre James falou o meu nome, aí todos me olharam e ficaram de alguma maneira assustados, pois eu não me movia e chorava sem parar. Então levaram a minha cadeira até um membro da organização, o senhor muito carinhoso tentava acalmar-me, mesmo não sendo os nervos, o motivo daquele quadro... Quando cheguei ao hotel comecei a sentir o corpo e o frio a passar. Já no quarto levantei-me da cadeira e sentia-me bem, tão bem que nem dormi. Há 5 anos que não me sentia assim. No dia seguinte fui novamente para o pavilhão da Consolata, mas a andar pelo meu pé (sem cadeira de rodas) e muito feliz. Fui agradecer ao senhor que me tinha visto no outro dia e ele nem me reconhecia. Dei o meu testemunho ao sr. Tiago mas, mesmo assim, esperei até ao próximo retiro. O meu coração acreditou, mas o meu intelecto teimava em confirmar que eu estava realmente curada. E a minha cura foi mesmo confirmada. Estou curada. Senhor, perdoa-me as minhas dúvidas e desde já estou eternamente grata ao Padre James, Teu Digníssimo Intermediário...JESUS Tocou-me e CUROU-ME  BENDITO E LOUVADO SEJAS SENHOR  ABENÇOADO SEJA O PADRE JAMES MANJACKAL. ALELUIA!

Camila Barbosa, 8 anos – Barcelos
A minha filha não dormia sozinha durante toda a noite, tinha pesadelos. Acordava sobressaltada a gritar e a dizer que via ratos, só se acalmava quando eu me deitava com ela. Esta situação durava já havia dois meses, altura em que  fomos ao retiro de crianças do Pe. James e do Christeen em Novembro 2010 em Fátima. Nesse retiro na altura da Santa Missa, eu pedi a Deus a graça de a curar e ela adormeceu no meu colo. Enquanto a irmã Marykutty fundadora do Christeen dava o seu testemunho, ela acordou e disse: “Mãe, eu já não tenho medo de dormir sozinha”. Desde esse momento a minha filha ficou liberta e dorme sozinha sem qualquer pesadelo. Gloria a Deus!

Maria Manuela Teixeira Vaia, 62 anos – Aveiro
Quando fui ao retiro do Porto, em Setembro de 2010, tinha tonturas há dois meses e tinha ido a vários médicos, sem que o meu problema fosse descoberto ou tivesse passado através dos tratamentos que me fizeram.
No momento da Adoração, o Pe. James disse: “uma Maria Manuela está a ser curada”. Eu acreditei que o Senhor me estava a curar e disse: “Sou eu, Senhor”. Passados dois dias, as tonturas desapareceram. Nunca mais voltei a ter problemas de tonturas. Deus seja Louvado!

Mary Sheples, 69 anos – Fátima (Inglaterra)
Tinha uma depressão e era uma pessoa que me desvalorizava muito, sentia que não tinha valor nenhum. Não desejava viver mais, perdi toda a orientação e sentido da vida.
Após vários retiros com o Pe. James e através de todos os seus ensinamentos, Deus foi-me moldando e entrando na minha vida, fazendo-me sentir cada vez mais e mais feliz. Sinto-me uma pessoa renovada com mais Fé e com muita garra para não deixar mais o Nosso Deus. Também tinha um problema no meu joelho que me impossibilitava de subir escadas, fui curada num dos retiros, e esse problema desapareceu.

Marta, António e Tomé - Estarreja
Decidi dar o meu testemunho pois sei que é importante para casais que desejam ter um filho, que é um problema muito frequente hoje em dia.
Eu estava a tentar engravidar há mais de um ano e não conseguia. Tinha também a agravar antecedentes familiares de infertilidade. Apenas conseguia que o meu sistema reprodutor funcionasse com medicação hormonal.
Comecei a ficar preocupada, andava a ser seguida no hospital em consultas de infertilidade. Os médicos decidiram fazer uma cirurgia exploratória aos meus ovários para verificar o que realmente poderiam fazer para me ajudar.
Como eu gostei de um C.D do Pe. James que a minha cunhada me emprestou para ouvir, ela convidou-me para ir a um retiro. Fui ao retiro do Pe. James apenas na expectativa de ouvir os ensinamentos “daquele padre”, nada mais sabia sobre ele, apenas que era “bom” e “valia a pena”. Já tinha ouvido falar sobre o renovamento carismático e oração de cura, mas não sabia muito.
No retiro e na oração de cura do Pe. James, decidi pedir pela minha dificuldade em conceber, apesar de no início ter sentido uma certa excitação porque achava que havia outras doenças muito mais importantes que a minha e que não devia “dar mais trabalho” a Deus. Eu pensava que o meu problema podia ser resolvido pelos médicos. Como o Pe. James disse que podíamos pedir o que quiséssemos, que ele nos atenderia, resolvi pedir. Tinha a minha cirurgia programada para o dia 23 de Janeiro de 201 e como ainda não tinha conseguido engravidar pensei que se calhar este problema teria de ser resolvido pelos médicos.
No dia anterior à cirurgia pensei que seria melhor fazer um teste de gravidez. Deu positivo. Deus abençoou-nos a nós como casal.
Deus deu-nos um lindo bebé e para além disso pela 1ª vez na minha vida o meu sistema reprodutor está a trabalhar sem necessidade de medicação hormonal. Tudo a isto graças a Deus.

Celeste Maria B. Frita, 58 anos – Arruda dos Vinhos
Confio em Deus Pai, em Jesus e no Espírito Santo.
Fui curada. Tinha grandes dificuldades em subir escadas, muitas dores nas articulações dos joelhos. Agora consigo subir as escadas a correr sem dores. A minha filha ficou admiradíssima ao testemunhar este acontecimento. Obrigado Pe. James pelos seus retiros e ensinamentos.

Maria do Carmo, 70 anos – Aveiro

Tinha um glaucoma na vista e graças a Deus fiquei curada, num retiro do Pe. James em Fátima. Louvado sejas Senhor.

Rosa da Conceição, 61 anos – Penafiel
No retiro de Pentecostes na cripta do Santuário do Sameiro em Braga tinha um problema na coluna causado por um acidente. Estive a tomar medicamentos durante 4 a 5 meses. No momento da Adoração, o Pe. James chamou pelo meu nome e disse: “Acredita Rosa, que estás curada”. Nesse momento senti a minha coluna muito fria e depois muito quente, e acreditei que estava curada. Até hoje, nunca mais tive problemas. Ao contar ao meu marido ele ficou admirado (porque sabia como eu estava antes) e veio comigo ao retiro seguinte onde se converteu e embora tenha comungado sem se ter confessado o Sr. Pe. James, no decorrer da Missa, disse que havia uma pessoa que tinha comungado indignamente, ele sentiu que aquelas palavras eram para ele.
No dia seguinte, ainda muito cedo, foi-se confessar, o que já não fazia há muitos anos. Agora participa nos retiros comigo e rezamos juntos. Foi uma conversão muito profunda. Glória a Deus!

Valmirene Pães de Sousa, 35 anos – Leiria
Até ao retiro de 12 e 13 de Dezembro de 2008, andava muito mal e a ter tratamentos psiquiátricos durante dois anos. Andei envolvida com coisas de ocultismo, bruxaria e feitiçaria. Depois de ler o livro do Pe. James, “Vida Nova em Cristo” senti uma necessidade de o conhecer e de ir ao seu retiro porque só ali seria a minha salvação.
Todos os momentos do retiro estive sempre muito atenta a ouvir tudo o que o Sr. Pe. James dizia e a ver as faltas da minha vida. Depois começou uma longa batalha para sair das garras do demónio e com a ajuda de um sacerdote, da confissão e comunhão diária, a minha vida melhorou bastante. Voltei a ter felicidade dentro de mim.
Mais tarde, apareceram-me uns nódulos negros na cabeça, fui ao médico e comecei um tratamento. No retiro da Consolata em Fevereiro de 2010, o Pe. James no momento da Adoração, disse que havia uma pessoa que estava a ser curada de um problema na cabeça. Não duvidei que era eu. Fui fazer novos exames e posso mostrar que já não aparece nada. Fiquei completamente curada, o médico não tem explicação para o sucedido.
Andei perdida e agora reconheço o amor de Deus na minha vida. Deus seja louvado!

Maria Isabel da Silva – Figueira da Foz
Tinha sinusite desde a adolescência e fiquei curada no meu primeiro retiro com o Pe. James em Novembro de 2010 em Fátima. Também as dores, que tinha nas pernas, passaram e estou curada, foi um milagre de Deus Nosso Senhor Jesus Cristo. Obrigado Senhor Jesus!
 

Karla, 38 anos – Guarda
No retiro de Fevereiro em 2011 em Fátima, como não tinha crachá fiquei de fora do pavilhão – à porta. O meu marido é muçulmano de religião e também quis vir. Como não entrámos, rezei com fé e acreditei que o mesmo Senhor, que estava a operar maravilhas dentro do pavilhão, estava também ali fora à porta. Acreditei que Jesus ia fazer maravilhas ali mesmo. Rezei o terço da misericórdia com uma senhora que por casualidade se juntou a nós e pedimos a graça de poder receber Jesus Eucarístico e intercedia pelo meu marido. Ele sofria de dores fortes no estômago e desde esse encontro todas as suas dores desapareceram. Agora, ele reza o terço comigo, acredita em Jesus e tem fé. Continuo a rezar para que ele se converta ao catolicismo e que seja baptizado.
Louvado sejas Senhor.

Luísa Marcelino, 56 anos – Leiria
Durante vários anos sofri de fortes dores nos meus ossos. Foi-me diagnosticada osteoporose. Fiz vários tratamentos com os quais não tive grande sucesso, acabando o meu organismo por rejeitar os diversos medicamentos que tomava.
Tive conhecimento dos retiros do Pe. James em Dezembro de 2008 e participei, pela primeira vez, em Dezembro de 2009 em Fátima. Fui pela segunda vez a um retiro do Pe. James em Junho também em Fátima e ai no momento da Adoração ouvi o meu nome e acreditei que era eu que estava curada da minha osteoporose. Nesse dia ainda tive muitas dificuldades em subir os degraus do auditório Paulo VI. Fui para casa, tomei um chá e fui-me deitar. No dia seguinte, acordei sem dores e hoje posso fazer aquilo que antes não podia fazer sem dores nos meus ossos.
Louvado seja o Senhor, obrigado Pe. James, que Deus o abençoe para continuar a pregar o evangelho e a converter os pecadores. Bem-haja.

Armando Marques de Sousa, 70 anos Meirinhas-Fátima.
No retiro de 22 Fevereiro de 2009 realizado em Fátima, aconteceu que, no decorrer da Adoração ao Santíssimo Sacramento, o Sr. Pe. James disse para quem tivesse dores que colocasse as suas mãos em cima da parte do corpo que doía. Coloquei as minhas mãos nas costas, onde tinha muitas dores, e o Sr. Pe James continuou e disse que havia quatro pessoas, com o nome de Armando, a serem curadas nesse momento. Olhei para a sala e vi tanta gente que disse para a minha mulher: “Está aqui tanta gente, serei mesmo eu?” O Pe. James não fala português, mas nesse momento, eu ouvi-o falar em português a dizer: “Porque duvidas, Armando?” Depois de tudo isto, senti que estava mesmo curado e dei o meu testemunho no retiro. Confirmo agora que estou mesmo curado. Fiquei muito contente, pois fazia anos nesse Domingo.
Após este retiro a minha vida mudou. Deixei de fumar três maços de cigarros por dia e nunca mais senti vontade de ir para o café que frequentava até por volta das 01 da madrugada.
Louvado sejas Jesus

Ana Paula, 50 anos, Moita
Eu era doente com esclerose-múltipla e estava em cadeira de rodas. Participei no último retiro de Novembro de 2010 no auditório Paulo VI em Fátima. As minhas melhoras a partir desse retiro foram significativas. Mas neste presente retiro no dia 11 de Fevereiro de 2011, no final do ensinamento senti como que uma revolta no meu corpo seguida de paralisia em todo o corpo. Demorou a passar mas hoje, dia 12 de Fevereiro já vim para o retiro sem a cadeira de rodas! Estou curada.

Estou casada há 20 anos, tenho um filho e somos uma família feliz. Porém o meu marido era divorciado, e por essa razão, não posso comungar na Santa Missa. Isso causou em mim um sentimento de inferioridade, pois achava que Jesus não me curava por esse motivo. Mas a fé e a força do Senhor foram mais fortes e agora estou muito bem-disposta. Peço perdão ao Senhor pelas minhas dúvidas. Aleluia.

Maria de Fátima dos Santos Gonçalves, 45 anos, Moita Redonda-Leiria.

Em Junho de 2003 foi-me retirada a vesícula no hospital São Francisco em Leiria numa cirurgia que levou quatro horas e que correu mal. O cirurgião perfurou demais o meu fígado, destruindo a artéria aorta do fígado no lado direito. Depois disto fiquei internada três semanas no hospital e estive à morte. Fiz vários exames médicos, uma ressonância magnética em que foi descoberta uma anomalia destrutiva da artéria aorta do lado direito, fiz uma biópsia ao fígado que foi analisado em Coimbra e em Inglaterra.
Foi feita uma tentativa de aplicação de uma prótese na artéria no hospital da Universidade de Coimbra, mas foi impossível a sua colocação. Aí estive no bloco operatório hora e meia sem resultados.

Nos dois anos seguintes, fiz análises ao sangue todos os meses. Parei com isto depois de consultar um Professor Doutor de Especialidade no Hospital da Ordem Terceira em Lisboa que me disse que houve uma negligência médica e que eu possivelmente teria de voltar a fazer nova cirurgia para retirar, até onde fosse possível, a parte seca do fígado onde já não chegava o sangue, para evitar um transplante.

Em Dezembro de 2008 no Retiro do Senhor Pe. James, no auditório do Centro Paulo VI em Fátima, encontrei a minha cura. O Pe. James disse o meu nome no retiro e três dias depois senti-me muito mal, fiquei de cama, estive no hospital com muitas dores e quando acordei no dia seguinte, senti-me outra pessoa completamente bem; fui fazer análises ao meu sangue e tudo estava muito bem.

Estou Curada, graças a este grande milagre do Espírito Santo e à intercessão do Pe. James.
Obrigado Jesus.

Maria de Fátima Moreira, 59 anos, Penafiel.

Recebi a graça de Cura física num retiro com o Senhor Pe. James em Malaposta, Anadia, em Setembro de 2007.
Eu estava paralisada dos meus membros superiores. Após a imposição das suas mãos eu fiquei curada graças a Deus.
Glória à Santíssima Trindade

Esperança Botelho Gomes, 69 anos, Vila Real.

Meu Deus, quero dar-te muitas graças pelas duas grandes curas que pela Tua infinita misericórdia, me concedeste por intermédio do Reverendíssimo e muito querido Pe. James.
Eu sofria de uma doença rara e incurável há 14 anos, não havendo cura pela medicina no país inteiro nem no Brasil, pois um irmão meu levou o meu processo para lá a grandes médicos e telefonou a dizer que não conheciam a doença. Por intermédio da minha querida irmã, que já tinha cá vindo ao Retiro do Pe. James, vim com ela, marido e filha pela primeira vez ao retiro de Abril de 2010 em Vila Real e fui apresentada ao Pe. James. Ele depois de me ter abençoado, não no lado esquerdo (lado doente), disse que realmente era muito complicado, mas que continuasse com a fé como estava até ali e seria curada. Depois deste retiro fui aos retiros do Pe. James do Porto e de Bragança.

No quarto retiro em que participei, realizado em Fátima em Novembro de 2010, no auditório do Centro Paulo VI, essa cura aconteceu. Com a grande Misericórdia Divina que não falta a quem a Ele se dirige com fé, arrependimento e confiança, na verdade no Domingo dia 07 Novembro 2010 senti-me muito, muito melhor e até hoje 10 Fevereiro 2011, nunca mais fiquei acamada, nunca mais caí (parti vários locais do corpo), e nunca mais vomitei (tinha uma bacia na cama junto de mim, porque estava dia e noite a vomitar). Eu só tinha pele e osso, a doença era mortal, qualquer crise me podia apagar.

A segunda Graça ocorreu antes em Junho de 2010 também num retiro do Pe. James aqui em Fátima. Eu tinha estado internada para ser operada de urgência aos intestinos, de que já sofria há 30 anos. Como a minha filha não deixou que eu fosse operada, porque ela trabalha no hospital Vila Real e ia nessa semana de férias, pediu ao médico, amigo dela, que quando regressasse de férias me levasse para fazer os exames necessários e ver o que seria preciso. Também nesse mesmo retiro fiquei completamente curada até hoje. Nunca mais tive dores nem cólicas, que me faziam gritar quase todos os dias.
Faço tudo o que for possível para dar conhecimento destas duas tão fabulosas graças que Deus operou em mim. Sou a irmã muito amiga que agradece tudo.
Louvado sejas Senhor.

Maria Nunes, 61 anos, Alvaiázere-Leiria.

Sofria de uma grande ansiedade que me estava a levar à loucura. Por três vezes, fui levada as urgências do hospital de Coimbra onde fui enviada para um Psiquiatra. Entretanto conheci o Renovamento Carismático e assisti a alguns retiros de cura interior e libertação com o Rev. Pe. James Manjackal.
Neles fiquei curada, deixei de tomar medicamentos e agora sou uma pessoa cheia de paz e alegria. Por isso louvarei e adorarei Jesus, todos os dias da minha vida, pela sua grande misericórdia.
Glória a Ti Senhor
 

Albertina Trindade Luís Santos, Figueira da Foz

Há 28 anos que sofria de enxaquecas dolorosas que duravam 3 ou 4 dias seguidos e só passavam com uma grande quantidade de vários medicamentos. Fui a quatro retiros do Sr. Pe. James e, no último retiro em Fátima, em Novembro 2010, no auditório do Centro Paulo VI pela boca do Sr. Pe. James, Deus proclamou o meu nome, graças a Deus. A partir daí, as enxaquecas desapareceram. Estou curada. Tive também uma grande conversão e cura de perdão.
Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo. Muito obrigada, Padre James.

Luísa Maria, 55 anos, Sobreiro Curvo-Torres Vedras.

Quero agradecer a Deus Pai Todo-Poderoso e à Santíssima Trindade porque, por meio do seu ungido Pe. James, recebi bênçãos de cura de corpo e de espírito.
Recebi várias curas: uma cura do fígado, de muitas dores nas pernas e nos pés, do pulmão que tinha células queimadas da radioterapia. Por causa disso, várias vezes por ano, tinha que ir ao hospital. Também tinha muitos medos e deixei de tomar os medicamentos. Sou outra, Graças a Deus e a Nossa Senhora de Fátima sinto-me bem.
Obrigada meu Senhor e meu Deus.
Glória e Louvor a Ti, Senhor.

Isabel Santos, 65 anos, Carcavelos - Parede

Obrigado Jesus por me teres trazido de volta à Tua Casa, ao Teu amor, ao teu Santo Espírito. Andei muitas vezes esquecida de que Tu existias, andei muitos anos sem compreender o porquê e para quê a minha existência. Vós, Senhor, ofereceste-me tudo aquilo que uma mulher pode exigir da vida: 2 filhos lindos, inteligentes e cheios de amor pelos pais. Uma boa casa, uma boa vida, dinheiro para tudo aquilo que eu sempre quis comprar ou ter. Tudo isto foi obra do Vosso amor, da Vossa santa vontade. Que te dei em troca? Nada. Nem um simples obrigado, nem nunca pensei em vós, Senhor.

Um dia, e porque a minha vida estava cheia de pecados, a doença chegou. Fui diagnosticada com cancro da mama. Nessa altura a minha vida caiu aos meus pés, tudo me parecia negro e nada mais me fez sorrir. Eu sabia que ia morrer e estava triste por deixar os meus filhos e o meu marido, meus pais e tudo aquilo que eu construí ao longo de todos os anos. Ao mesmo tempo, o meu marido cometeu adultério na altura em que eu mais precisava da sua ajuda. Foi terrível, afinal tudo aquilo que eu construira, não valia de nada. O meu coração sangrava de dor, havia qualquer coisa que me faltava, e eu não sabia explicar. Consultei médicos psiquiatras, psicólogos e nada. Havia algo dentro de mim que não estava bem.

Um dia, uma grande amiga, falou-me e disse-me: “Porque não vais à missa falar com as irmãs ou com o padre e pode ser que tenhas ajuda da parte deles.” Assim fiz. A Irmã do Bom Pastor aconselhou-me um retiro com o Pe. James que nessa altura (Maio 2010) foi no Sameiro. Eu fui a esse maravilhoso retiro de Pentecostes e desde esse bendito dia a minha vida mudou: aprendi a amar Jesus e a Santíssima Trindade, aprendi a reconhecer que tudo aquilo que tenho é obra do Altíssimo Nosso Senhor Jesus Cristo, e hoje agradeço a Deus o meu tumor oncológico, pois foi ele que me trouxe de volta a amar Jesus. Aprendi a perdoar (meu marido) e outras pessoas que me fizeram muito mal (sogra) e a todos perdoei. Sou feliz espiritualmente pois eu acredito que Jesus me curou. O Pe. James falou no meu nome e estou curada. Sinto o Divino Espírito Santo na minha vida. Obrigado Jesus por tudo, obrigado por me amares tanto, por tudo aquilo que me ofereceste durante toda a vida e que eu tão cega, que estive, nunca reconheci a tua bondade e o teu amor. Perdoa-me Jesus, perdoa-me por não ter reconhecido há mais tempo a tua imensa bondade.
Ajuda-me a ser sempre a pessoa que eu desejaria ser. Quero dar-Vos o meu coração. Quero amar-te sempre, dá-me fé e força, Jesus. O meu coração será sempre teu.

Maria da Purificação Silva Vieira, 54 anos, Caranguejeira-Leiria

Eu, Maria da Purificação, pela primeira vez que fui ao retiro do Sr. Pe. James, a 18 de Setembro 2010 no Porto, recebi uma grande graça. Foi a cura da minha coluna cervical e ainda hoje sinto o Espírito Santo entrar no meu coração e não quero perder mais o Divino Espírito Santo. Todos os dias o louvo, assim como a Jesus.  Glória a Ti Senhor
 

Zélia Jorge, 54 anos, Comenda-Gavião

Parti uma prótese que tinha no joelho e andei com a prótese partida até não poder andar mais e com a perna curva. Fui operada de urgência no Hospital da Parede no dia 06 de Agosto de 2009, às 08h00 da manhã. A prótese partida estava em migalhas, segundo o ortopedista. Foi uma operação muito complicada, pois foi feita com ferros, parafusos, etc.
No dia 06 de Dezembro de 2009, vim a um retiro do Rev. Pe. James no auditório do Centro Paulo VI em Fátima, e na Eucaristia e na Adoração do Santíssimo, senti uma força interior e um calor muito grande e ajoelhei-me. Fiquei sem palavras, não estava a ver bem o que me estava a acontecer, mas agradeci muito ao Senhor por aquilo que me estava a acontecer; estava muito feliz, pois podia-me ajoelhar diante do Santíssimo!
No dia seguinte ajoelhava-me, já saltava, já corria. Tive uma consulta em 2010 com o ortopedista que me operou para ver como estava, e eu, muito feliz disse-lhe que saltava, ajoelhava-me, corria. Ele não queria acreditar e eu comecei a correr pelo gabinete dele. O médico sem palavras, chamou um colega dele que sabia da minha operação e mandou-me correr. Fi-lo e ficaram os dois de “boca aberta” e sem saber explicar o que estavam a ver, pois numa operação daquelas nunca tal tinha acontecido, nem podia acontecer.
E eu dei o meu testemunho e, embora o meu médico não encontrasse explicação, também não o vi acreditar muito que tinha sido obra Divina. Em Janeiro de 2011, telefonou-me, perguntando-me se eu podia ir ao hospital para me tirar fotografias. Fui e foram-me tiradas algumas, que o meu médico iria juntar ao meu processo juntamente com os RX’s tirados antes e após a operação para o caso ser estudado. Segundo me disseram, será estudado com colegas americanos que, todos os anos, vêm ao hospital da Parede. Quando lá fui, em Janeiro, para dar andamento ao processo, umas pessoas diziam que só poderia ser um milagre, uma obra de Deus, outras não sabiam o que dizer. O caso está a ser estudado e ficaram de me dizer alguma coisa para eu depois testemunhar. Para mim, sem dúvida, foi uma grande graça, um milagre que Deus fez em mim, na minha vida. Obrigado, meu Senhor e meu Deus. Louvado sejas. Glória a ti, Senhor!
 

Isidora Padrão
Chamo-me Isidora Padrão, tenho 62 anos e vivo em Moreira da Maia.
Bendito o dia e a hora em que conheci e me encontrei com o Padre James. Foi em Setembro de 2010 no retiro realizado no Porto. Fiquei maravilhada e encantada com a sua presença e a sua pregação cujas palavras penetram até ao mais intimo da alma.. Agradeço à minha irmã mais velha, Carolina, ter-me proporcionado participar naquele excelente retiro. O Padre James é cativante e isso levou-nos a participar no retiro seguinte em Viseu.
 Em Junho deste ano, inesperadamente, o meu pé esquerdo inchou, ficava vermelho e dava - me muita comichão. Simultaneamente formava uma placa dura na sola do pé e os dedos esticavam, ficavam espetados e doíam-me...
Eu conseguia debelar a situação com pomada, lavava muito bem, punha álcool e lá conseguia resolver a situação da melhor maneira. A seguir aconteceu o mesmo com  o pé direito. Tudo isto com intervalos de dois, três dias em alternância, ora esquerdo, ora direito. Um dia acordei às duas da madrugada com a língua tão inchada que tive de recorrer ao hospital, sob perigo de asfixia, aonde fui tratada com cortisona e outros medicamentos. Os médicos que me trataram não sabiam qual era o problema. que me afectava. Regressei a casa do hospital, pelas oito da manhã, devidamente medicada.
Três dias depois fui vista por um médico particular que me pediu uma ressonância magnética ao maxilar inferior. Detectou- se um quisto na língua e o médico que me estava a tratar enviou-me para um cirurgião para ter uma opinião reforçada sobre a importância deste quisto. Este referiu que não tinha nada a ver nem era problemático.
Quando voltei de férias, em Julho, ainda continuava o tratamento com a medicação indicada. Já esquecida, apareceram de novo placas nas solas dos pés, os dedos dos pés com cãibras e de novo alguns inchaços. Já estávamos em meados de Agosto Desta vez os inchaços iam e vinham de maneira menos acentuada e passavam mais rapidamente. Mas sobretudo estava instalado, desta vez, um cansaço inusitado. No entanto, o que tinha de peculiar era que inchava ora nas mãos, aos bocadinhos, ora nos pés até que um dia começou a inchar o canto da boca. De imediato dirigi-me ao cirurgião que estava de serviço no hospital que por sua vez não sabia o que seria e achava curioso os inchaços serem tão assimétricos pelo que  contactou o meu médico assistente. Este, mais uma vez, diagnosticou correctamente e sanou todos os episódios. Bem hajam estes médicos. A medicação foi adequada e todos os inchaços e o cansaço desapareceram com excepção da espécie de cãibra nos dedos do pé esquerdo que continuavam hirtos. Ao caminhar, a dada altura, tinha de parar, tirar o sapato, esticar os dedos e fingir que já tinha passado para não cansar as pessoas com queixas. Entretanto, começou a instalar-se uma dor que com o tempo subia pela perna e me fazia mancar. Já fazia parte do meu dia a dia, doía e eu não me queixava. Eu aguentava com a esperança que passasse.
Durante a oração de Cura, no dia 3 de Novembro de 2010, no retiro de Viseu quando o Padre James disse por acção do Espírito Santoo meu nome senti uma onda tipo corrente eléctrica, como que um choque eléctrico,  percorrer-me o corpo tendo entrado pelo pé esquerdo. O facto é que a partir daí fiquei curada. Ainda hoje me bailam nos ouvidos as palavras do Padre James "Isidora, estás curada." E à minha irmã também. Ainda hoje falamos sobre isso. Nunca pude imaginar.

Bem haja Padre James. Obrigada.
Bendita e Louvada seja a Santíssima Trindade.

Isidora Padrão

João Silva Dias – Bursite

Chamo-me João Silva Dias e tenho 52 anos. Como muitos sabem sou o coordenador dos retiros do Pe. James em Portugal.
Em fins de Abril de 2010 começou a aparecer no meu cotovelo do braço esquerdo uma bolsa de  líquido do tamanho de um ovo de galinha, que não me doía mas que me incomodava quando eu estava ao computador e noutras actividades diárias. Depois de umas análises de rotina e como a situação não melhorava, mas pelo contrário agravava-se, eu desloquei-me às urgências do Hospital Santa de Maria. Aí foram-me feitas mais análises e como elas estavam  (não havia ácido úrico nem infecção), enviaram-me para os serviços de reumatologia do referido Hospital. Foi-me então diagnosticado uma bursite (inflamação da bolsa sinovial) e marcada uma intervenção de aspiração da bolsa sinovial na semana seguinte. Após uma semana foi-me feita a referida intervenção de aspiração, sendo aspirados  50 ml de líquido (que foram para análise) e foi-me aconselhado fazer muito gelo no cotovelo e andar com o braço ao peito. Foi o que fiz. A bolsa de líquido diminui mas ainda continuava grande. As análises do líquido (exame directo, cultural, e TSA, entre outras) deram normais. Mas com o calor a bolsa parecia estar a aumentar e eu estava a equacionar voltar de novo ao Hospital de Santa Maria antes das férias, pois a situação era incómoda e caso se repetisse a aspiração, como já me tinha sido dito pelo médico,  teria que ser acompanhada da administração de cortisona para lavar a bolsa sinovial. Pensei voltar ao Hospital de Santa Maria após o retiro de 11 a 13 de Junho de 2010 do Pe. James Manjackal, no auditório Paulo VI em Fátima, cuja data se aproximava.
No retiro de 11 a 13 de Junho de 2010 após a Adoração do Santíssimo e oração de cura, como todos os que participaram no retiro sabem, o Pe. James disse para rezarmos a Deus pela pessoa que estava ao nosso lado e pedirmos-lhe, se fosse o caso,  por qualquer problema físico que tivéssemos colocando a mão sobre o local em causa e invocando a Deus a cura e a realização desse milagre. Eu estava no palco isolado e a pessoa mais perto de mim era a minha filha mais nova a Joana. Eu julgava que iria ficar ali sózinho e por isso predispus-me a rezar intercedendo por todos os que ali estavam para que o Senhor atendesse as suas orações. Mas a minha filha  aproximou-se de mim e como sabia que eu tinha aquele problema da bursite, pois cada vez me queixava mais do seu incómodo, pediu-me se podia rezar pela minha bursite. Eu na altura nem me lembrava disso, mas vendo-a com tanto carinho e amor acedi ao seu pedido e rezei também por ela. Durante a oração dela eu senti um calor no cotovelo e cheguei até a dizer-lhe que ela não precisava de rezar mais e que podia tirar a sua mão do meu cotovelo. Mas ela insistiu e continuou a rezar fervorosamente pela minha bursite.  Depois terminou a Adoração, fui jantar, fiz as minhas orações da noite, dei Graças ao Senhor pelas maravilhas que Ele tinha feito naquele dia, deitei-me e nunca mais me lembrei da bursite. Na manhã seguinte quando estava a fazer a barba para novo dia de retiro a minha mulher reparou e disse: “João tu já não tens a bursite”. Na verdade a bolsa de líquido do tamanho de um ovo tinha desaparecido completamente e agora  sentia apenas uma ligeira impressão no cotovelo (que nunca tinha sentido antes), que ao longo do tempo foi desaparecendo. Já  passaram seis meses e posso testemunhar que nunca mais tive líquido no cotovelo e que portanto Deus me curou completamente da bursite.
Há três anos atrás num outro retiro do Pe. James Deus curou-me também de insónia crónica de que eu padecia havia 30 anos (cf. meu outro testemunho de 26 de Março de 2008).  Foi uma grande cura de um problema muito grave. Não era o caso presente pois como disse a bursite não me doía mas incomodava-me. O meu Bom Jesus  na verdade preocupa-se também com as doenças menores e, como há 2000 anos passou e curou-me utilizando como instrumento as mãos e a oração amorosa da minha filha Joana.
Esta cura lembrou-me que devemos dar Graças a Deus por tudo, inclusivé pelas coisas que consideramos mais pequenas. Aos olhos do mundo uma bursite é uma doença insignificante comparando com uma insónia crónica. Mas o meu Bom Jesus entendeu querer-me com o meu cotovelo bom para O servir!
E assim como no cântico agradeço a Jesus mais esta Graça cantando:
Obrigado sim, Obrigado sim! Obrigado sim, oh meu Jesuus. Obrigado sim, Obrigado sim! Obrigado sim, por Teu Amor.
Glória Aleluia, Glória Aleluia; Glória Aleluia ao meu Senhor. Glória Aleluia, Glória Aleluia; Glória Aleluia ao meu Senhor.
Jesus, Jesus, Jesus. Jesus, Jesus, Jesus. ...
Bendita e Louvada seja a Santíssima Trindade. Toda a Honra e toda a Glória para Ti Querido Jesus.  Aleluia!

João Silva Dias

Carcavelos, 10  de Janeiro de 2011

Carlos Vilar
Vivo na cidade de Braga e tenho 56 anos. Fui a um retiro de casais do Padre James Manjckal no carnaval de 2007, desde sexta-feira, à noite, até terça-feira, ao fim do dia. Quatro dias intensos!
Após o início dos ensinamentos, pela violência das palavras e da convicção com que eram proferidas, fiquei confuso e perplexo. Cheguei a colocar a opção de abandonar o retiro. Fiquei. Já tinha feitos vários retiros ao longo da vida, mas em nenhum havia sido confrontado daquela forma. Verifiquei, contudo, que cada afirmação que Sr. padre James Manjckal fazia corroborava-a com o texto do Evangelho ou da Sagrada Escritura. As afirmações não eram suas, mas do Senhor! Cumpria-se mais uma vez a escritura: a palavra de Deus é como uma espada de dois gumes, corta nos dois sentidos. Durante todo o retiro estive com as lágrimas nos olhos.
Já frequentava os sacramentos, nunca faltava à missa ao Domingo, rezava o terço em família, mas mais por rotina e educação religiosa do que por convicção. Com os ensinamentos e com os pedidos finais do retiro para cumprir, de ir à missa todos os dias, confissão frequente, leitura da palavra de Deus, pertencer a um grupo de oração com reunião semanal, a necessidade da partilha, mesmo material, muita era a exigência, mas é assim para quem quer seguir verdadeiramente Jesus. Embora com falhas é o que fazemos agora (no plural porque somos dois, a minha mulher e eu). A transformação interior foi grande e ainda continua.
A outro nível, da cura física, entendo que devo relatar o seguinte. Resultante do uso intensivo do computador, por exigência profissional, fiquei com tendinite na mão e no braço esquerdo, de tal forma que, não podia levantar pesos pois não tinha força no braço e, para dormir tinha apenas uma posição, porque tinha dores e o braço “adormecia”. Alterei, por várias vezes, a posição do computador, mas tudo sem resultados. Decidi ir ao médico que me receitou duas injecções. Pedi ao meu filho, que é enfermeiro, para aplicá-las. Leu as instruções e disparou: pai, vais tomar isto? Vou, foi o médico que me receitou, respondi. Não tomaste já, há uns dois anos, umas iguais? Sim e depois, retorqui? Se fosse a ti, não tomava. Como não sou de medicinas mas de leis, segui o conselho e não tomei. Entretanto decorreu o retiro de Dezembro de 2009 (já tinha participado em vários com a tendinite). Convidado para ajudar as pessoas aquando do repouso no Espírito, aceitei com a condição de desistir quando não aguentasse mais. Durante as horas em que decorre a efusão do Espírito Santo, tão grande é o número de pessoas, estamos voltados para o Santíssimo Sacramento, em adoração. Dirigi-me ao Senhor e disse: Senhor, se quiserdes podes curar-me. Mas caí em mim e pensei: estou a ser egoísta, tantas pessoas, aqui na minha frente com doenças gravíssimas, e eu a pedir por uma doença que causa incómodo e algumas limitações. Cura-as a elas primeiro, Senhor! Uns dias mais tarde, reflecti: o computador está na mesma posição, já posso dormir em várias posições, não sinto nada da tendinite. Até hoje, já passou quase um ano, não tomei as injecções, contínuo como se nunca tivesse tido a tendinite.
Obrigado Senhor Jesus.
Deus seja louvado.
Carlos Vilar – 25-10-2010.


Ângela de Jesus Gomes e Silva
66 anos
Madeira

Nos retiros do Pe. James, tive a graça de obter a cura a nível físico e espiritual. Tinha muitas dores nos ouvidos; custava-me andar de avião e tinha dificuldades em ouvir. Este mal durava há pelo menos dois anos. Sentia um grande mal-estar que ia e vinha da Madeira para o Continente. Durante a Adoração (retiro de Dezembro 2007), o Pe. James proclamou o meu nome. Acreditei na cura. Nunca mais me doeu os ouvidos. Tive a certeza absoluta da minha cura, pois quando regressei para a Madeira não senti dores no avião. Isto aumentou e fortaleceu a minha fé e tenho procurado levar Jesus aos outros, dando o meu testemunho.
Dou graças a Deus e que o Senhor proteja o Pe. James de todos os inimigos!
Fátima, 22/02/2009


Conceição Lopes Santana Almeida
69 anos
Leiria
No retiro do Pe. James em Dezembro de 2007 (Paulo VI, Fátima), fiquei com a voz curada. Tinha perdido praticamente a voz toda. Os médicos não conseguiam descobrir qual era o meu problema. Já sofria deste mal há um ano e meio. Sou auxiliar numa escola e este problema causava-me muitas dificuldades. Obtive a cura imediata! Depois de comungar, pedi muito ao Senhor para que me curasse, nem que fosse apenas para Lhe cantar louvores, pois a falta de voz muito me entristecia, impedindo-me de cantar ao Senhor. Passado uns minutos, tentei acompanhar os cânticos e senti que me soltou a voz e consegui cantar. Mais tarde, o senhor Padre proclamou o meu nome, dizendo que a estava curada. Até duvidei que a «Conceição» era eu. Quando o meu filho me ligou, reparou logo que eu estava melhor. Até hoje, tenho voz!
Dou muitas graças ao Senhor e que Ele proteja o Pe James de todos os inimigos e de todos os perigos!
Fátima, 22/02/2009


Eduardo Coelho de Moura
54 anos
Torre de Moncorvo

Antes do retiro do Pe. James foi-me diagnosticado tumor no esófago, úlcera pré-cancerosa no estômago e uma bactéria que corroía o estômago. No retiro de Lamego (Junho 2008), obtive a cura imediata. Durante a Adoração, o Pe. James proclamou o meu nome: «Eduardo». Não acreditei muito, pois havia muitos «Eduardos». Fiz uma endoscopia a seguir; desapareceu a úlcera, a bactéria e o tumor!
Desejo que o senhor Pe. James mantenha os seus grandes êxitos apostólicos e que seja livre de todos os perigos.
Fátima, 22/02/2009


Ernesto Manuel de Oliveira Santos
48 anos
Águeda

Fiz o primeiro retiro espiritual com o Sr. Pe. James Manjackal há cerca de 1 ano e meio em Anadia, Portugal. Este retiro em que participo hoje é o 5º, desde que a minha vida mudou radicalmente para melhor. Quando comecei a ouvir o Pe. James e a seguir os seus conselhos espirituais, provenientes das suas pregações e do seu ministério, senti que a minha vida nunca mais seria a mesma.
Eu, não sendo uma pessoa má, era todavia um grande pecador, sofrendo de vários males, quer físicos, quer espirituais. De algum modo, mesmo acreditando em Jesus como Filho de Deus, pensava que só os eleitos – as pessoas excepcionais – eram por Deus amadas… Todos os outros teriam de levar uma vida miserável, só recebendo algum bem depois da morte. Como pecava muito e sabia que estava errado, escondia os meus pecados aos sacerdotes, sendo que nas Confissões que fazia, apenas mostrava no confessionário os pecados não comprometedores… Assim ia vivendo o meu “cristianismo”, na ignorância confortável da minha cobardia espiritual. Mas a minha vida não corria bem, pelo contrário. Eu sabia que, interiormente, estava num estado deplorável, mesmo miserável. Vivia ansioso, preocupado, triste, perdido em ilusões com problemas frequentes, azares e projectos sempre votados ao fracasso… Os objectivos da minha vida, mesmo dedicando todo o meu ser, caiam por terra. A vida afectiva era nula e os meus afectos eram canalizados para uma sexualidade isenta de amor, com maus hábitos sexuais, imoralidade e perversidade.
A insatisfação aumentava dentro de mim, fazendo de mim um ser aparentemente normal, mas muito infeliz e miserável! Ouvindo o Pe. James, pouco a pouco, fui mudando a minha conduta, com muita oração e rogos a Jesus. Antes de conhecer os retiros do Pe. James, eu tinha fumado Cannabis com alguma frequência e com a ajuda de Deus, consegui deixar de fumar… e também deixei de fumar tabaco! Com os retiros, tive muito mais força para manter-me firme nessa decisão de abandonar definitivamente esses vícios terríveis. As recaídas pararam e a coragem nas Confissões aumentou. A minha vida melhorava de dia para dia…
Fui também curado fisicamente. Tinha um problema na coluna vertebral há 21 anos, o qual se tinha agravado nos últimos 3 anos. Com as mudanças de tempo, chuva e frio, os invernos eram terrivelmente dolorosos para mim, chegando a ter 2 crises por mês que duravam 3 dias cada. Ficava com o corpo imobilizado, tendo que ficar na cama, sem posição que me aliviasse as dores… Não podia andar nem sentar… Mesmo na cama, as dores atormentavam-me. Há 21 anos que coleccionava radiografias… Todas acusavam problemas nas vértebras L1, L2 eL3. O médicos comunicaram-me que não havia qualquer cura… A única solução era praticar natação e evitar esforços para não agravar a situação, mas eu tinha que trabalhar… Eu sabia que a minha saúde só iria piorar por causa disso.
Nos retiros do Pe. James, comecei a pedir, durante as suas orações de cura, que Jesus Cristo me curasse! No 4º retiro, a 13 de Dezembro de 2008, em Fátima, o Senhor Jesus curou-me durante a Adoração, e pela primeira vez, experimentei uma cura física sem o auxílio de medicamentos, médicos ou fisioterapia… Apenas Jesus e o Sr. Pe. James Manjackal… Eu Sei que foram os ensinamentos do Pe. James que me foram dando coragem para mudar de vida, que me levaram ao encontro de Jesus, recebendo assim este milagre na minha vida!
Através dos retiros do Pe. James, mudei o meu comportamento, a minha conduta, fiquei com vontade de me entregar a Deus e neste momento estou (há meio ano) a frequentar encontros vocacionais com os padres franciscanos da igreja de Santo António dos olivais de Coimbra, pedindo desta forma o meu ingresso na ordem.
Com este testemunho, quero honrar o Ministério do Sr. Pe. James Manjackal, afirmando perante todos e todo o mundo que é um Ministério poderoso e fiel a Jesus, que não só honra a Igreja Católica em todo o mundo, mas será sempre um Louvor e Glória vivos a Jesus Cristo, ao Pai e ao Espírito Santo, para bem e amor de todos os que se aproximam de Deus e n’Ele crêem… Ámen!
Fátima, 23/02/2009
 

Testemunho de cura de esclerose múltipla por intercessão do Padre James Manjackal
Chamo-me Fátima Morgado, tenho 36 anos e moro em Alverca. Faço parte daquele leque de mal agradecidos que Nosso Senhor inunda de bençãos, que até agradece mas que se cala em vez de falar aos 7 ventos para que outros tenham também a mesma oportunidade que Deus me deu, mesmo não a merecendo.
Passados quase 4 anos, quando o meu Deus e Senhor de infinita misericórdia me curou (Ele que me perdoe o atraso), envio-vos o meu testemunho pessoal de conversão e cura.
Começo por dizer que na altura já era mãe de 2 filhos, um bébé e outro que já andava no 1º ciclo. Nessa altura e como para a maioria dos "cristãos" dos nossos dias era o que chama uma cristã não praticante. Era baptizada mas estava afastada da Igreja havia quase 20 anos. Tinha o meu filho na catequese por influência da minha mãe (e porque me dava jeito) e por esse motivo sempre que ela não o podia levar, lá ía eu por frete com o garoto à Missa Dominical.
Digo também que tinha um problema de saúde muito grave além de outros mais comuns que se vão contornando, eu tinha esclerose múltipla. Desde os 18 anos que tinha surtos ao qual os médicos na época não conseguiam diagnosticar pelo que se arrastou até que num surto maior aos 32 anos fui internada e aí o diagnóstico foi esclerose múltipla. A doença afectava-me na medida em que me prendia os movimentos, tinha insensibilidade em várias partes do meu corpo, falta de concentração e de memória. Além da medicação que tinha que tomar!
Agora o meu testemunho:
A minha mãe pertencia a um grupo de oração carismática da paróquia e andava de retiro em retiro e o meu pai tinha sempre de a levar de um lado para o outro pois era o que ela gostava. E isto ela fazia já algum tempo quando um certo dia chegou à minha casa cheia de alegria e quase que "histérica" na minha maneira de pensar da altura, e disse: “Filha, tu nem sonhas de onde eu venho, venho de um retiro cujo orador era um Sacerdote Indiano que se não é Santo já hoje para lá caminha”. Pensava eu: “Que lhe fizeram? Até vem a delirar!” E contou-me ao pormenor tudo o que vira e ouvira, e eu ouvia e ia colocando muitas interrogações a toda aquela conversa que para mim era distante. Mas mesmo assim quando ela me disse uns tempos mais tarde que ía novamente a outro retiro do mesmo Sacerdote Indiano eu ofereci-me para ir com ela. Eu tinha de ir ver por onde ela andava e o que lhe faziam, pois se voltasse como da última vez, ninguém a conseguiria aturar. Lá fui eu com o carro cheio de "velhotas" para um retiro do tal Sacerdote Indiano. Eu nem sabia o que era um retiro, pois nunca tinha ido a nenhum.
Logo que lá cheguei fiquei assustada, parecia que estava numa festa, toda a gente estava muito alegre e bem-disposta, conversavam, riam-se... Depois começaram a cantar músicas muito alegres, davam voltinhas nos lugares, braços no ar, muitas palmas, muita alegria. E eu pensava para comigo: “julgava eu que esta gente vinha para rezar, onde é que eu me vim meter”. Lembro-me de me rir para comigo própria brincando em pensamento: “agora só falta ver passar a droga”.
Após tudo isto e de muitos cânticos, que agora sei que eram de louvor e ao Espírito Santo, lá aparece o dito Sacerdote Indiano. Bem! A casa (o pavilhão dos Salesianos do Estoril) por pouco não foi abaixo com tantas palmas. Estava eu muito expectante, quando o dito Sacerdote Indiano começa a falar. Tudo o que ele falava era por mim absorvido da mesma forma que Jesus disse, algo parecido como "quem de mim comer e beber mais fome e sede de mim terá", e era o que eu sentia, quanto mais ouvia aquele Sacerdote mais o queria ouvir. As suas palavras e pregação “cortavam a minha alma”. Quanto mais ele falava mais eu o queria ouvir e não havia cansaço em o ouvir da minha parte. Aliás se pudesse ficava lá a dormir, como outros, para o ouvir.
E aí começou uma nova era para mim, a era da minha conversão, aceitação e entrega total ao meu Deus. Mais tarde pensei, a droga que eu esperava ver passar, afinal era nada mais nada menos que o amor que nosso Senhor tem para com todos os seus filhos a sua infinita misericórdia. Obrigada, Jesus pelo teu amor.
Vivia no meu mundo com quase toda a miséria que ele tem para nos oferecer (e julgava eu estar muito bem assim) e hoje procuro a luz e os dons do Altíssimo e viver segundo os sacramentos da nossa mãe Igreja. Após esta minha conversão fiz entretanto o Crisma, consagrei-me a Jesus por Maria como sua escrava de amor pelo método de São Luís Maria Grignion de Montfort, sou catequista na minha paróquia, faço adoração em frente do Santíssimo todas as quintas-feiras pelo menos uma hora pelos Sacerdotes e à noite com um pequeno grupo misto e jovem fazemos oração de duas horas pelo menos, pelo Papa e todo o Clero. Além de que não falto à Missa Dominical nem os meus filhos e sempre que posso vou também de semana e aos retiros do Pe. James se de todo me for impossível pois é lá que o meu espírito melhor se alimenta das bênçãos do Altíssimo.
Falta ainda referir algo que para mim estava em primeiro plano e que agora simplesmente entrego nas mãos do Senhor, a minha Saúde. Pelas benditas mãos do muito amado servo de Deus o Pe. James Manjackal, eu fui curada da minha esclerose múltipla. Quem diria? Eu não fui como expliquei atrás à procura de nenhuma cura. Fui para proteger a minha mãe de algo que eu pensava ser mau para ela. Mas estava completamente enganada (como muitos que andam por aí!). Só mesmo o Espírito Santo, até o médico ficou confuso, mas para minha sorte ele é católico e crente pelo que quando expliquei que tinha sido curada no retiro do Pe. James ele entendeu e aceitou a cura como obra de Deus pela intercessão do Pe. James. Hoje em dia quando vou à consulta, porque tem de haver um acompanhamento, no fim ele diz-me: “não deixes de ir aos retiros do Pe. James”. Todos os exames atestam a minha cura. E fiquem todos cientes que as curas não eram só no tempo de Jesus. Jesus está Vivo e actuante. É pena que muitos cristãos não saibam disso porque senão talvez as Igrejas estivessem cheias. Além da cura da minha esclerose múltipla todos sabem que a secretária do Pe. James, a Gaby, também foi convertida e curada de esclerose múltipla num retiro do Pe. James. Portanto não é uma ilusão mas sim uma realidade da misericórdia de Deus que nos quer salvar a todos.
Fruto da minha cura e conversão a partir daí tenho levado muita gente aos retiros do Pe. James. Algo que se torna para mim muito gratificante é quando levo comigo pessoas que eram como eu era (cristãs não praticantes) e outras que se julgavam já muito cristãs (mas que afinal vêem que são quase ignorantes), ver como elas reagem e de lá saem cheias do Espírito Santo, completamente renovadas.
Bendito seja Nosso Senhor Jesus Cristo que tal como pregava o Evangelho, curava e expulsava Demónios durante a sua vida pública, continua até aos dias de hoje a enviar-nos os seus filhos escolhidos Sacerdotes que pela sua fé e verdadeira entrega fazem o mesmo que Ele fez.Tudo para que n’Ele creiamos, O adoremos e O amemos.
Obrigada, meu Jesus
Obrigada, Pe. James
Obrigada, organizadores
Obrigada, a toda a equipa de voluntários.

Alverca, 14 de Junho de 2010
Fátima Morgado
 


Sou o António Pais Rodrigues, tenho 60 anos, sou casado, aposentado bancário e resido em Vila Real.
Nasci e fui criado numa família cristã. Fui baptizado no dia 29/02/48. Posteriormente fiz a Comunhão solene e fui crismado.
Em 1979 fiz um Cursilho de Cristandade e, desde então, embora com algumas “quedas”, passei a viver muito mais unido a Jesus Cristo e d’Ele tenho dado testemunho de vida tanto na família como na profissão e nos restantes ambientes em que me movimento.
Fui dador benévolo de sangue e dei bom sangue em 43 dádivas. No entanto, na 44.ª recolha, em Fevereiro de 2007 foi-me detectada uma Hepatite B.
Essa Hepatite B foi posteriormente confirmada através de análises sanguíneas efectuadas pelo Serviço Nacional de Sangue, em Laboratório Particular e no Hospital de Vila Real e ainda através de biopsia ao fígado realizada no Porto.
Em Junho de 2008 participei, pela primeira vez, em Lamego, num Retiro do Sr. Pe. James e, durante a cerimónia de Adoração/Oração de Cura, enquanto colocava a minha mão direita sobre o meu fígado, pedi ao “Rei dos Médicos”, com muita fé, a cura da minha Hepatite. Enquanto orava senti algo dentro de mim, como que uma movimentação interior e, instantes depois, o Sr. Pe. James dizia: “Tem fé António, estás a ser curado da tua Hepatite”. Eu pensei: “Antónios deve haver muitos aqui e, talvez, algum com Hepatite… poderei não ser eu”.
Os dias foram passando e eu tomando diariamente o comprimido que o hematologista me receitou.
Em meados de Setembro passado, no Hospital de Vila Real, fiz nova recolha de sangue para a análises que seriam presentes na consulta de hepatologia que iria ter em 3 de Outubro.
Entretanto participei de 26 a 28/09/08, no Sameiro – Braga, em novo Retiro do Sr. Pe. James.
Em 3 de Outubro, conforme estava previsto, apresentei-me à consulta de hepatologia e o médico cumprimentou-me, abriu o computador para ver os resultados das minhas análises, olhou para mim, voltou a olhar para o computador, voltou a olhar para mim e disse: “Vá a Fátima, se acredita…”. Claro que acredito, mas porque me diz isso, doutor? – É que o senhor Rodrigues está óptimo e até recuperou o antigénio. Só nesse momento me lembrei do que se tinha passado no Retiro de Lamego e me certifiquei que o “António”, que estava a ser curado da Hepatite, era mesmo eu. Partilhei com o hematologista o que se tinha passado no Retiro. Volte cá em 30 de Janeiro de 2009 com novas análises que fará em meados de Janeiro, para confirmarmos estes dados, pois esta situação não é vulgar e repetiu: “vá a Fátima…”. Agradeci a Jesus, a minha cura, nesse dia e tenho-o feito nas minhas orações diárias.
Partilhei a notícia da minha cura não só com a minha esposa, filhos e amigos como também com o meu médico de família que, para confirmar pediu ele novas análises em Outubro passado e nos princípios de Novembro, na consulta a que fui para ver o resultado das análises, ele me mostrou a minha Ficha Clínica onde tinha anotado: “CURADO”.
Desde ontem estou em Fátima, em mais um Retiro do Sr. Pe. James. Vim a Fátima, conforme me disse o hematologista, não só para agradecer à mãe Maria mas em especial para agradecer ao filho Jesus e continuar a ouvir os “Ensinamentos” do Sr. Pe. James.
Estou feliz a viver este segundo dia do Retiro e apetece-me dizer cada vez com mais força: - Obrigado Jesus, Obrigado Jesus, Obrigado Jesus pela minha cura e pela força e saúde que vais continuando a dar ao Sr. Pe. James e seus colaboradores voluntários para te continuarem a anunciar a quantos não Te conhecem ou se esqueceram de Ti. Obrigado Jesus, Obrigado Jesus, Obrigado Jesus.
Fátima, 13 de Dezembro de 2008.


Maria das Neves da Guia Torres Silva - Testemunho no Auditorium Paulo VI, Fátima 14/12/2008

Há 10 anos atrás, fui operada ao canal auditivo devido a um neurinoma do acústico (tinha uma bola de pus no ouvido esquerdo, mesmo colado ao cérebro). A operação foi muito rigorosa e necessitei de ficar internada nos cuidados intensivos; sabia que ia perder a audição no ouvido esquerdo.
Perdi 100% da audição do ouvido esquerdo, conforme previsto. Quando perguntei ao neurocirurgião se podia usar aparelho auditivo este disse que não, de modo algum; não adiantava nada. Esta operação foi efectuada há 10 anos e não havia qualquer hipótese de recuperar a minha audição. Em Setembro de 2008, estive no retiro do Pe. James no Sameiro comecei a ouvir do ouvido esquerdo quando falavam no microfone ou cantavam, tendo o ouvido direito tapado. Posteriormente, recorri ao otorrino que me tratou que verificou que tinha uma cura parcial de 15 decibéis e aconselhou-me a por o aparelho auditivo. No final de Novembro de 2008, consultei o meu neurocirurgião que disse que já podia usar o aparelho e chegou mesmo a afirmar recebi um “pequeno milagre”. Acredito que neste retiro o Senhor que irá curar a 100%. Louvado Seja o Senhor!


Maria Alice Oliveira Agostinho - Testemunho no Auditorium Paulo VI, Fátima 14/12/2008

Fui curada de uma doença desconhecida e sem tratamento de cura. Há dois anos atrás surgiram-me muitos cortes na língua que começaram a aumentar e foi-me inicialmente diagnosticado aftas. A dada altura, devido a uma febre elevada causada pelas “aftas”, tive que ser internada no Hospital de Abrantes por já nem sequer conseguir comer. Lá, fizeram-me uma biopsia que acusou cancro. Fui enviada para o Hospital de Palhadó de Lisboa e lá estive um mês a fazer exames. Mais tarde afirmavam que era um mal desconhecido. Fui depois enviada para o Hospital de Almada onde estive um mês internada. Quando de lá sai fiquei medicada com cortisona e estava melhor, mas não curada. Desde sempre que eu e o meu marido, desde pequenos somos crentes e sempre tivemos muita fé e fui acompanhada por uma corrente de oração. Estando já doente há dois anos, uma amiga mostrou-me um papel que encontrara no chão: o papel de divulgação do retiro do Pe. James, em Março de 2008, na Consolata (Fátima). Decidi ir ao retiro e estive de joelhos em frente do Pe. James para receber a imposição das mãos; com muita fé, fiquei curada. Desde então não tomo medicamentos! Estou agora a dar o meu testemunho para agradecer ao Senhor!
Paulo VI, Fátima 14/12/2008


José Porfirio - Testemunho no Auditorium Paulo VI, Fátima 14/12/2008

Tinha um eczema na perna direita e que por vezes tinha crises de tanta comichão que a perna ficava em ferida. Passei por vários médicos que nunca conseguiam acertar no medicamento adequado para o meu problema e esta situação já se arrastava há 2/3 ano. No retiro do Pe. James na Consolata (em Março de 2008), no final da oração de cura interior, senti que estava curado. E desde então, até agora, nunca mais tive problemas na perna! Louvado seja o Senhor!


Maria Zélia Brito - Testemunho no Auditorium Paulo VI, Fátima 14/12/2008

Fui curada de dificuldades respiratórias. Tive duas broncopneumonias; uma há 20 anos e outra há 7. A primeira não foi bem curada e tinha dificuldades em respirar e não podia apanhar correntes de ar, pois ficava logo com o canal respiratório entupido e tinha dificuldades em falar. Não podia sequer ir à varanda à noite ou em dias de nevoeiro. Ontem à noite (12 de Dezembro de 2008), durante a Adoração o Pe. James proclamou que várias pessoas com problemas respiratórios estavam a ser curadas. Assumi que uma dessas pessoas era eu. Acreditei e hoje não tenho quaisquer problemas em respirar, apesar de ontem ter saído do retiro à noite e debaixo de chuva! Louvado seja o Senhor e que continue a abençoar o Pe. James!


Maria da Conceição Barbosa de Sá Roso - Testemunho no Auditorium Paulo VI, Fátima 14/12/2008

Tinha hemorragias muito grandes. No dia que fui ao retiro no Estoril, no Pentecostes de 2008, estava com uma grande hemorragia. Durante esse dia continuei ainda com um pouco de hemorragia. A partir daí, fui ficando cada vez menos com hemorragias até ficar completamente sem elas. Acredito que tenha sido Deus quem me curou através do Padre James. Louvado seja o Senhor!


Josefa Maria Vinha Heliodoro Santos - Testemunho no Auditorium Paulo VI, Fátima 14/12/2008

Fui curada espiritual e fisicamente. Tive a graça de receber a cura de uma depressão e de um mioma uterino. Sempre vivi na cidade e quando me mudei para o campo por causa do seu marido, fiquei numa grande tristeza e em depressão. O meu estado necessitou de tratamento médico durante um ano e meio, até ter ido ao primeiro retiro do Pe. James. No dia 3 de Setembro em 2006, no primeiro retiro do Pe. James em Fátima, fui a este retiro convidada pelas irmãs religiosas de Oleiros. Logo no primeiro dia, no Domingo, foi tão grande a transformação em mim, que nunca tinha sentido antes: uma paz e alegria profundas! Senti que o Espírito Santo desceu sobre mim e que me tinha despojado do “homem velho” e que tinha nascido o “homem novo”. Nesse mesmo dia pedi às irmãs que nos reuníssemos em Oleiros, pois não queria perder a minha união com o Senhor. Semanas depois nasceu o movimento carismático católico em Oleiros, que ainda hoje continua com força. A minha vida transformou-se completamente. Mais tarde, a minha neurologista certificou que eu estava curada e deixei de tomar os medicamentos. Fiquei uma nova criatura, uma nova pessoa. O meu pároco convidou-me para ser Ministra Extraordinária da Comunhão. Sou catequista de crianças há dois anos. Sou orientadora de dois grupos de orientação da fé. Dou graças a Deus porque a minha vida mudou completamente e sinto-me muito feliz.
O ano passado, em Setúbal, voltei a ter a bênção do Senhor: tinha um mioma do útero e não foi necessária uma operação. Na altura da Adoração, o Pe. James disse “Josefa estás curada!” Mas como havia outra Josefa na sala eu dei graças a Deus pela cura da outra! Passado pouco tempo, fui ao médico para observação ginecológica e ele disse que não precisava de operação, pois estava tudo bem. Só depois me lembrei que a Josefa curada era eu, embora não tivesse pedido por mim. Dou Graças a Deus pelo seu amor por mim. Que o Pe. James continue a ser conduzido pelo Espírito santo durante muitos anos para que as pessoas possam ser felizes.


Amélia da Silva - Testemunho no Auditorium Paulo VI, Fátima 14/12/2008

Sofria muito dos ossos e custava-me muito a andar e cansava-me andar muito. E no retiro no Sameiro (Braga, Setembro de 2008), a pregação do senhor Padre tocou-me muito. Nessa semana que se seguiu ao retiro do senhor Padre eu estava na cama e acordei com um calor muito grande nas minhas pernas e esfreguei as minhas pernas com água benta. Não me apercebi que era o Senhor que estava a curar-me. Só de manhã é que o Senhor e o Padre James vieram à minha mente e soube que o Senhor estava a curar-me. Dei louvor ao Senhor e fiz a minha oração. Rezei também por uma filha que estava casada há 13 anos e que não conseguia ter filhos. Em Novembro, soube que ela estava grávida! Dou graças ao Senhor.


Gracinda Carmo Ferreira - Testemunho no Auditorium Paulo VI, Fátima 14/12/2008

Andava muito doente e sentia muito calor na língua e tinha muito mal-estar já nem conseguia comer comida a não ser toda passada. Para aliviar um pouco a língua tinha como que “aspirar”. Fui ao médico várias vezes e o medicamento que me receitava aliviava um pouco, mas nunca curava. Sou carismática e já tinha vindo a duas Assembleias do movimento Carismático e não obtive qualquer cura. Depois da segunda Assembleia fui ao médico, que vendo que nenhum medicamento me fazia efeito já não sabia o que fazer. Disse que seria necessário fazer uma biopsia para saber mais sobre o que tinha. Estava (e estou) com problemas financeiros e soube que o exame era muito caro. Já me tinha agarrado muito a Deus e disse ao médico que me prescrevesse o exame, mas que talvez fosse curada entretanto. Ainda nesse mês tinha previsto ir ao João Paulo VI para o retiro do Pe. James. No Domingo, dia 9 de Dezembro de 2008, durante o momento da oração de cura, pedia incessantemente a misericórdia de Deus e depois da imposição das mãos, fui curada completamente. Desde então deixei de sentir aquelas “picadas” na língua e o calor. Foi-se embora o mal-estar, a dificuldade em falar; veio a Cura!


Adália Maria dos Santos Saborano - Testemunho no Auditorium Paulo VI, Fátima 14/12/2008

No retiro em Fátima em Dezembro de 2007 tive uma cura interior. Não conseguia fazer outra coisa a não ser chorar; mudei a minha vida e forma de estar. Nunca mais consegui deixar de falar de Jesus aos outros.
Agora, neste retiro, na altura da Adoração (tendo previamente feito uma boa confissão). O senhor padre chamou muitos nomes e pensei eu que ainda não era a minha vez, pois não me achei digna, mas agradeci pelas curas dos outros. Depois, ele chamou pelo meu nome e eu soube que era de mim que falava e as pessoas que estavam ao pé de mim também o souberam. Fui curada das minhas vertigens. Sofro de muitas coisas, entre elas, de calcificações no peito direito e um quisto no peito esquerdo, que se manteve após o ter tirado devido a cancro da mama. Acredito que fui curada neste retiro!


Maria do Rosário Galhano Ferreira  - Testemunho no Auditorium Paulo VI, Fátima 14/12/2008

Após ter estado cerca de 15 dias acamada foi-me finalmente diagnosticado cólicas renais (urina no sangue) e finalmente medicada. No entanto,  tinha uma pedra no rim que estava alojada num sítio difícil, daí que não conseguiam detectá-la. Estava com muitas dores, que me dificultavam os movimentos. Passado este tempo vim agora a este retiro do Pe. James no Paulo VI, em Fátima e apesar de não ter pedido por mim, que até me considerava pecadora e indigna de receber milagres, o Senhor chamou-me pelo nome através da boca do Pe. James e repetiu-o. Tive assim a certeza da cura. Só o facto de ter tido forças para cá vir foi um milagre!



Cecília Santos - Testemunho no Auditorium Paulo VI, Fátima 14/12/2008

Há um ano e meio, tinha uma dor permanente nas costas sempre que estava na cama, mas não era demasiado incomodativa. No retiro da Consolata (Fátima) este ano, apesar de ter sido difícil obter crachá, consegui obtê-lo e, nesse retiro, durante a Adoração senti um grande calor nas minhas costas e o Pe. James, inclusivamente, proclamou o meu nome e soube que a Graça me estava a ser concedida. Dei e dou Graças a Deus por esta bênção; estou curada!



Joana Maria Sousa Dias - Testemunho no Auditorium Paulo VI, Fátima 14/12/2008

Sempre fui uma pessoa muito tímida e ao mesmo tempo explosiva sem paciência para falar e compreender os outros. Depois de dois anos de retiros com o Pe. James, aos poucos, fui mudando. Hoje, sou uma pessoa muito mais calma, mais auto-confiante e tenho paciência quando falo com os outros. Além disso, eu e a minha família temos sido muito abençoados em termos da saúde. Louvo e agradeço ao Senhor pelas maravilhas que tem feito em mim!


Maria da Graça
O meu nome é  Domingues Pires, nasci em Maçãs do concelho de Bragança, onde vivo.
Quero deixar em registo à humanidade, que DEUS tem infinito poder e misericórdia por nós, e como a ORAÇÃO FAZ MILAGES.
Nasci numa família católica onde as práticas religiosas não faltavam e à noite se fazia a reza do terço e a bênção da mesa em família. Nesse tempo a minha avó materna, uma senhora cheia de amor a DEUS, reunia a família para rezar e era um exemplo de Fé e caridade. No início da década de 70, com o seu falecimento, e talvez pela oferta de tantas distracções que a entrada da DEMOCRACIA e o modernismo possibilitou, fui-me distanciando das práticas religiosas e da oração continua. Ìa à missa e rezava, mas eram actos para cumprir e não sentidos.
Não muito distante dos nossos dias, passei por uma depressão muito séria, que me impossibilitava de falar, andar e até perdia o sentido de orientação. Quando parecia ter ultrapassado este estado de saúde, inesperadamente os meus pais foram hospitalizados e a minha mãe estava clinicamente à espera da partida para DEUS.  Comecei a rezar e pouco a pouco os meus pais resistiam. Mas o meu estado de saúde piora e eu passo meses sem dormir. Vivia atormentada com o confronto da partida dos meus pais, com o meu próprio fim, e ainda com a dor de ter os meus filhos longe de mim. Nem de noite nem de dia era capaz de me abstrair destes sentimentos e chorava continuamente.
Inesperadamente, surge-me um problema de coração. Algo inexplicável como se estivesse a ficar sem vida - uma sensação de sufoco com alteração do ritmo cardíaco e a percepção de que coração terminava a sua função vital. Esta sensação torna-se mais e mais frequente. Repetia-se de noite e de dia e eu antecipava já o medo de que estas sensações se repetissem. Estava fragilizada numa angustia permanente e sem resultados clínicos. Por conselho de uma amiga fui-me confessar, o que não fazia talvez há 20 anos e comecei a intensificar a minha oração.
 Em Dezembro de 2007 tendo conhecimento do Retiro do Reverendo Padre James fui Fátima. Aí, O ESPÍRITO DIVINO fez LUZ na minha saúde espiritual e corporal. As palavras do SENHOR JESUS, proferidas pelo sr. Padre James, envolviam-me, enquanto ia reconhecendo que afinal JESUS estava mais vivo e presente do que eu imaginava!! I was in a dream!..... Nos meus 50 anos de vida, I never had heard spoken assim dos caminhos do SENHOR.O que eu sabia da minha religião e da FÉ, era tudo tão vago!.....
As palavras do Padre James eram tão convincentes, tão cheias de poder Divino que a minha formação académica superior não se atrevia sequer a por em dúvida.
Eu não adormeci aquela noite, e bem cedo fui fazer uma confissão tão minuciosa quanto me lembrei.
Acompanhada pelo ESPÍRITO SANTO regressei a casa feita de novo. Comecei uma nova vida. Li alguns livros e ouvi CDs do Sr Padre James, que me fizeram despertar para entender que DEUS é a Única VERDADE. Intensifiquei ainda mais a minha oração, procurei ir diariamente à SANTA MISSA, e receber JESUS EUCARISTIA.
Eu vejo as BENÇÃOS do SENHOR caírem na minha família, nos meus filhos e sobre mim. Os meus pais (78 e 88 anos) para os quais os médicos clinicamente nada mais tinham a fazer estão hoje muito melhores. Nas consultas de rotina uma das médicas  diz: “só por DEUS”.
Eu, nunca mais tive problemas de coração. Senti a Paz e a tranquilidade necessárias para poder superar as contrariedades e os sofrimentos da vida. Eu LOUVO A DEUS.
Tive depois sérios dores de cabeça. Estes foram-se agudizando e mesmo quando de noite estava em sono profundo, eu acordava com uma dor cortante do lado esquerdo. Via-me incapaz de suportar estas dores que me retiravam faculdades essenciais- raciocínio, memória, reflexão. Então fui pedindo a DEUS a cura e acalentei a certeza que quando voltasse ao Retiro do Sr. Padre James e ele pedisse a JESUS as curas e milagres, eu seria curada. Assim aconteceu. No Retiro de Lamego o Reverendo Padre surpreende-me quando diz que duas senhoras com o nome Maria da Graça estão a ser curadas. Eu não me interroguei. Este era o meu nome. Eu não ousei duvidar. E desde aquela hora nunca mais essa dor se repetiu.
Conheço a outra senhora, que me autorizou a dizer que sofria de uma hemorragia nasal há vários anos e que a medicina não resolvia. Quando ia a caminho do Retiro teve um sangramento terrível. Desde esse Retiro nunca mais a hemorragia se repetiu.
LOUVADO SEJA O SENHOR que me curou física e espiritualmente e me devolveu a tranquilidade e a Paz. Recentemente eu recuperei muito da minha visão por graça Divina.
 Na verdade SR. Padre James,  “a oração faz milagres”. Ela é o meu remédio poderoso que me restituiu por JESUS CRISTO E SUA MÃE a saúde e as forças para viver. JESUS me inunda com o SEU ESPIRITO. ELE é TUDO na minha vida e dita todos os momentos da minha presença na Terra.
Faço as minhas orações e ir à missa é hoje um acto prioritário no meu dia, pois  sei que JESUS derrama ali as melhores bênçãos sobre mim. Agora sou feliz! Estou segura de que JESUS  e NOSSA SENHORA guiam a minha vida e me protegem nas mais pequeninas coisas.
Que o mundo inteiro LOUVE o SENHOR.
Hoje e sempre agradecerei a JESUS por ter enviado o Padre James a abrir a cegueira da humanidade, pois ele é um bem que DEUS nos dá para nos recolher ao SEU REINO.
OBRIGADO E DEUS O ABENÇOE.

Junho 2009
Maria da Graça

Carlos García
Participei no retiro espiritual do Padre James Manjackal nos dias 12-14 de Junho de 2009 em Fátima. Tinha uma Hérnia discal no L5/SC1. Quando o Sr. Padre James disse na oração de cura a seguir Missa de Sexta, “Carlos estás curado” não acreditei que fosse eu, pois no meio de 750 pessoas poderia ser qualquer um outro Carlos. Mas a verdade é que saí de Fátima sem dores e sem dificuldades a andar e até hoje continuo a sentir-me bem.
Devo dizer que não era católico praticante e que fui a Fatima por curiosidade. A todos aqueles que não acreditam na cura física podem acreditar que ela é verdadeira porque Jesus está Vivo.
Obrigado Jesus. Honra, louvor e glória a Ti Senhor.

Senhora da Hora-Matosinhos, 3 de Julho de 2009


O meu nome é Lila M. R. G. de Sousa, nasci em Goa (India) numa família católica há 61 anos, vivo em Lisboa há 34. Fui católica praticante mais ou menos até aos 26 anos. Apesar do meu afastamento da Igreja, continuei com fé em Jesus, em Deus.
Em 1986, fiquei gravemente doente, em coma, por Lupus Eritematoso Disseminado, diagnosticado meses antes. A minha única preocupação era a minha filha, com 5 anos apenas. Recuperei e Deus deu-me a benção de poder criá-la. Em Agosto de 2006, tive uma recaída e fiquei gravemente doente. Somente ao fim de nove meses, pude voltar a trabalhar.
Lembro-me de ter recebido a visita da minha prima Telma, em Março de 2007, que me disse: “há um padre indiano que faz milagres, está no Estoril, num retiro, não queres ir vê-lo?”. Respondi-lhe que nesse momento não me sentia em condições para ir a um retiro, mas que da próxima vez, iria. Ao certo, eu nem sabia o que era um retiro. Mas estava curiosa, sobretudo porque sou médica, e como tal, a nossa função neste mundo é curar as pessoas. Sabia que Jesus no seu tempo fazia milagres, mas desconhecia que actualmente alguém, mesmo um padre, fizesse o mesmo.
A minha prima levou-me ao retiro do Padre James Manjackal em Setúbal, de 29 de Junho a 1 de Julho de 2007. Não sabia a postura que deveria ter neste retiro, mas abri o meu coração e deixei que as palavras de Jesus caíssem profundamente em mim, através da voz do Padre James Manjackal. Foi como se o Padre James me tivesse abanado e dissesse: “Acorda, Jesus está à tua espera”. De facto, lembro-me que nestes últimos anos, e com a minha filha criada, nada me satisfazia. Eu estava à espera, mas não sabia de quê ou de quem. Hoje sei que estava à espera de Jesus.
Segui todas as recomendações feitas nesse retiro. O Padre James dizia para  confessarmos, mas decidi não o fazer, porque havia muita gente, fá-lo-ia em Lisboa. Logo nesse primeiro retiro, tive a sensação que o momento mais importante para mim era a efusão do Espírito Santo. Até então, só conhecia o Espírito Santo pela concepção da Virgem Maria.
Comprei todos os livros que estavam à venda. Na semana seguinte, preparei-me para a confissão lendo os seus livros. Fiquei consciente dos meus pecados neste mundo e fiz a confissão da minha vida no sábado seguinte antes da Missa. Logo no início da Santa Missa, senti o amor e o carinho de Jesus por mim. Quando o Padre elevou o cálice, eu vi a alegria nos Ceús. Eu era a ovelha perdida. A minha conversão foi a 07-07-2007, quando Deus deu-me a Sua graça.
O verdadeiro significado de Jesus na cruz morrendo por todos nós tornou-se presente e intenso no meu coração. Eu quis compensá-lo de todo o sofrimento que ele teve por mim, com todas as minhas dores e sofrimento diário. Por isso, não me preocupo em ficar curada. Todos me dizem qu estou com bom aspecto. Eu não pedi nada, mas Jesus deu-me a benção de poder continuar a trabalhar. Acima de tudo, Ele deu-me aquilo que eu mais precisava, “a minha conversão”. A minha transformação num novo ser tem-se verificado de dia para dia com paz e alegria interior.
Muitas dúvidas se formavam na minha mente. Comecei a ler a Bíblia. Quanto mais lia, mais sede tinha da palavra de Deus. Através da Bíblia, continuo a sentir toda a força e o amor de Jesus por mim.
Conheci o poder maravilhoso de cura da Santa Eucaristia ao verificar que as minhas dores desapareciam ao receber a comunhão na Santa Missa.
Às vezes, contribuo para a missão do Padre James Manjackal. É uma prioridade para mim ajudá-lo na conversão de tantos povos que não tiveram a oportunidade de conhecer Jesus.
Padre James Manjackal, desejo que continues com toda a força, todo o poder, todo o amor de Jesus para que possas continuar a exercer o teu ministério de evangelização.
Deus o abençoe.
Jesus seja louvado.

Alberto Vaz

No retiro de Maio de 2009 no Sameiro, em Braga, tive duas curas : uma interior, pois não me confessava nem frequentava a Igreja há mais de 40 anos; e outra física - coração e próstata.
Do coração sofria há vários anos de arritmias constantes e de dilatação do ventríluco esquerdo. Da próstata tive uma recidiva de uma operação feita há 17 anos. A parte exterior da próstata estava  e crescer e a apertar-me a uretra, o que me levaria a nova intervenção cirúrgica.
A partir desse retiro tudo mudou na minha vida espiritual e procuro ser um verdadeiro católico indo à Eucaristia diária para ficar cheio de Jesus e do Espírito Santo. Durante o dia Jesus não me sai do pensamento e peço ao Espírito  Santo que venha ter comigo e me encha dos seus dons. Desde então rezo com a minha esposa todas as noites orações carismáticas. Sinto necessidade de estar em permanente contacto com Jesus, e por isso me lembro d’Ele quando acordo. Ao abrir os olhos o meu 1º pensamento vai para Jesus a quem peço companhia para o meu dia e as graças do Espírito Santo. Procuro estar em estado de graça todos os dias e estou a ler o livro EUREKA que tem sido para mim uma iluminação espiritual e um ensino constante. Procuro ainda no meu círculo de amigos espalhar a palavra de Jesus. Creio que posso afirmar como S. Paulo : NÃO SOU EU QUE VIVO MAS JESUS QUE VIVE EM MIM. Quero ir em Dezembro ao próximo retiro que se vai realizar em Fátima.
Louvado seja Deus.

Braga, 5 de Julho de 2009.


Chamo-me Manuel Pinto e sou emigrante em França. No Ano de 2003 fui operado cinco vezes a um cancro do recto. Em 2007 os médicos diagnosticaram-me uma recidiva no Fígado, e queriam operar-me. Foi então que uma pessoa amiga me emprestou um livro do Padre James.
Fui a um primeiro retiro do Pe. James nos dias 8 e 9 de Dezembro de 2007 no auditório Paulo VI em Fátima. Até hoje em Portugal já fui a cinco retiros e fui a um aqui em França em Lyon. A minha vida após ter conhecido o Pe. James mudou em todos os sentidos.
Em Janeiro de 2008 parei com todo o tratamento de quimioterapia, comecei a rezar todos os dias, a cantar os cânticos que no retiro se tinham cantado, comecei a ir à Missa todos os dias, e às vezes duas vezes no dia, e no retiro de 20 a 24 Fevereiro de 2009 realizado em Fátima recebi uma cura interior e a partir daí deixei de pensar em doença, e a pensar cada vez mais em Deus.
Aqui em França formámos um Grupo  de Adoração e Louvor a Jesus,todos os Sábados,e já temos colhido frutos. Nesse grupo de oração houve uma visão do meu figado com a lesão, mas  alguém me dizia que eu ia curar-me. Quando o Padre James me impõe as mãos sinto uma electricidade que percorre todo o meu corpo. Como disse não penso em Operação, nem tenho Medo da Doença, só uma grande fé, porque Jesus  Curou-me o Corpo e a Alma, e agora espero o próximo retiro para Adorar e Louvar Jesus. Não serão isto Dons do Espirito Santo!
 Um abraço de amizade e reconhecimento, ao Padre James e ao Sr. João Dias. Sem o trabalho deles eu não teria encontrado o caminho que me levou a Jesus.
 Obrigados,que Deus vos dê tantas graças como as que eu recebi.
8 de Julho de 2009


Nome: Vítor Fonseca de Sousa
Idade: 31 anos

Foi com alguma curiosidade que frequentei o primeiro retiro com o Pe. James na Covilhã. Participei na esperança de ser curado de dores no peito que duravam há treze anos, sem que a Medicina apontasse causas, pois os exames nada apontavam de anormal. Na Adoração e Oração de Cura de sábado, senti que o Espírito me tocou como uma brisa suave e fria. O que sentia também era que não merecia ser curado, pois considerava que tinha pouca fé e não me achava digno de tal maravilha.
Acabei por receber algo melhor, A CURA INTERIOR e um novo acordar espiritual. Agora, mais do que fé, tenho confiança em Deus, vivo a Eucaristia, rezo com o coração, sei que estou diferente, sou mais alegre, mais optimista, mais pacífico. De «ensonado» passei a estar acordado, «vigilante». Tenho mesmo uma nova vida, com mais Luz, Paz, Amor, Alegria que vem de Deus; nasci de novo para crescer na santidade. Fui curado das minhas dores no peito, (que me faziam cair à cama e ficar sem motivação para nada. Estou melhor de dia para dia, trata-se duma cura progressiva ligada à fé e confiança em Deus.) Embora ainda tenha algumas dores que me recordam a minha limitação e fragilidade, mas o principal é que devo procurar a graça divina, saber perdoar como Jesus, ter uma fé confiante e não duvidar do Poder e Amor de Deus.
Sou sacerdote, capelão hospitalar, tenho 31 anos. Obrigado, Jesus!
Covilhã, 17/05/2009

Nome: Áurea Henriques Santos
Idade: 65 anos

Tive cancro no nariz e no maxilar posterior há dois anos tive que remover ambos, nariz e maxilar, através de cirurgia. Os médicos não estavam à espera que eu sobrevivesse a esta operação. Apesar de ter sobrevivido, não havia hipótese de reconstruir a minha face. Depois do retiro em Março de 2008, no Estoril, senti a cura durante a Adoração, imposição das mãos e oração de cura interior. A minha face já está a ser reconstituída; já há hipótese de recuperação através de enxertos. Tenho inclusive comprovativo médico que atesta esta cura.
Já antes de ser abençoada com a cura física, no retiro em Dezembro de 2007, em Fátima, fui também curada espiritualmente. Durante a imposição das mãos, vi uma luz brilhante do Santíssimo Sacramento para as mãos do Pe. James sobre a minha cabeça. Depois disto, comecei a falar em línguas, comecei a orar melhor, senti o Espírito Santo em mim.
Estou à espera de uma grande cirurgia para efectuar o enxerto do maxilar superior e nariz, com o osso do perónio e insuflar somo na testa para tirar a pele e cobrir o nariz.
Fátima, 23/02/2009

Nome: Maria Manuela Antunes Vieira Matos
Idade: 65 anos

Fui operada ao coração há 18 anos. Em Novembro de 2008 fui a uma consulta de rotina e o médico disse-me que tinha que ser operada de novo (tinha que ser operada às três válvulas)! Em Dezembro do mesmo ano, vim ao retiro do Pe. James (Fátima). Durante a oração de cura, senti um calor de fogo no meu coração e ouvi o Pe. James dizer: “Maria Manuela, que foste operada ao coração, estás curada!!!” Obrigada, Senhor! Louvado sejas, Senhor!!!
Passados cerca de 15 dias, fui fazer um exame ao coração e o técnico disse-me: “Não acho que você venha a ser operada”. Eu fiquei feliz e, embora não esteja completamente curada, com a minha contínua oração e fé em Deu, acho que o Senhor, que é Pai, vai continuar a minha cura!
Neste retiro , sinto uma leveza tão grande no coração que acho que o Senhor não me abandonará!
Obrigada, Senhor! Louvado sejas! Obrigada, Padre James.
Fátima, 23/02/2009

Ângelo de Jesus Antunes

1. Introdução

Nasci numa família cristã com hábitos de oração.
Lembro-me da minha infância, desde os meus 2 ou 3 anos, com muitos medos, visões no escuro e pesadelos que obrigavam o meu pai a levantar-se muitas vezes durante a noite para me acalmar e confortar. Sempre fui muito tímido e introvertido, dos 5 irmãos que somos eu sou o segundo filho e mesmo depois de ter 2 irmãos e uma irmã mais novos eu continuei a ser o mais tímido e com mais problemas de saúde, mas ao mesmo tempo o mais revoltado, o mais desobediente e tudo o que tocava a asneiras lá em casa partiam de mim.
Recordo-me que em 1964 quando fiz 12 anos, a minha timidez era tão grande que eu quase não falava e quando dizia alguma coisa falava tão baixinho que as pessoas mal me ouviam.
Com apenas 13 anos de idade comecei a trabalhar como operário numa fábrica, pois os meus pais não tinham posses para eu estudar. Mas do interior da minha timidez começou a elevar-se um dom de inteligência que, modéstia à parte, se revelava acima do comum, e com 17 anos comecei a estudar á noite, fiz o curso de Contabilidade e fui progredindo na minha formação académica e profissional e hoje sou Director numa Instituição Bancária.
Mas o sucesso na minha carreira profissional ia cedendo à tentação do orgulho e do egoísmo e fui endurecendo o meu coração até ao ponto de abandonar Jesus e a sua Igreja.
A minha timidez, os meus medos, a minha angústia e revolta interior foram ganhando uma forma de casulo envolvido pela máscara da minha posição social e económica que fui alicerçando pelas minhas competências profissionais.
O meu abandono ao Senhor Jesus levou a que eu, durante mais de 20 anos, tenha atraído muito mal para a minha família. E, tornando-me insensível ao amor e com o coração cheio de orgulho e egoísmo nem dava conta do quanto fazia sofrer as pessoas que me amavam.
Dou graças ao Senhor meu Deus pela esposa que me deu, no casamento há 33 anos, pois só uma mulher com um coração tão grande e cheio de amor pode ter aturado e aguentado todos estes anos ao meu lado.
Agradeço e louvo o Senhor meu Deus pela filha e pelo filho que nos deu, eles foram certamente os que mais sofreram pelo meu abandono à Igreja e quando mais precisaram de mim, em crianças e depois na adolescência, eu nem me apercebia do seu crescimento, pois que, a minha vida centrava-se no trabalho e nas aparências para o mundo social.
Considero que sempre fui uma pessoa aceite e tolerada na sociedade, onde tenho sido reconhecido pelos meus méritos profissionais, só que, com esta máscara de sucesso profissional no trabalho e vivência social, durante muitos anos, não vivi para a família e tudo servia de pretexto e quantas vezes na mentira, para inventar desculpas para as  muitas e graves faltas, que cometia, para com a minha família e o Senhor meu Deus.
Mas, Nossa Senhora e o seu Divino Filho Nosso Senhor Jesus Cristo nunca me abandonaram nem deixaram de chamar pelo meu nome, até que dei conta das desgraças que se abatiam sobre a minha vida e o quanto estava a afectar a família. E assim, há 7 ou 8 anos atrás comecei a ir, com regularidade, à Missa aos Domingos e desde aí até ao dia 13 de Dezembro de 2007 confessei-me (ou melhor julguei que me tinha confessado) umas 4 ou 5 vezes. Há 4 anos acedi ao chamamento para animador de um grupo paroquial e há 2 anos para ministro extraordinário da comunhão. Dou graças ao Senhor pelo Pe. Martinho Pereira, pároco de Oleiros, por me ter feito estes chamamentos.
Eu quis agarrar, com muita força, estas novas oportunidades que o Senhor Jesus me dava, através do Pe. Martinho, para ter uma participação mais activa na Igreja, mas é inimaginável, a qualquer humano, a luta que nestes últimos anos travei dentro de mim, entre aquilo que queria ser e fazer para seguir Jesus o meu Senhor e meu Deus e aquilo que me lavava a ser e fazer o contrário, porque tinha um coração duro, insensível e incapaz de amar.
Até que, o Senhor me deu a Graça de tomar consciência desta minha incapacidade de amar e nestes últimos 4 anos quase todos os dias pedia ao Senhor Jesus para mudar o meu coração. Mas, não estava a ser fácil, eu parecia estar condenado à maldição de não conseguir amar ninguém com aquele Amor verdadeiro que eu sabia existir mas não o encontrava dentro de mim.
Mas o Senhor meu Deus e meu Salvador não me tinha abandonado e na sua imensa Glória e Misericórdia preparava-me para me enviar muitas Graças. Foi então que, numa ida quase casual ao Santuário de Fátima, no dia 11 Novembro de 2007 (dia do aniversário da minha esposa), alguém me entregou um panfleto a anunciar a realização do retiro, nos dias 8 e 9 de Dezembro, com o Pe. James Manjackal que eu não conhecia nem nunca tinha ouvido falar.
Com o panfleto na mão lá fui, com a minha esposa, ao retiro do Pe. James sem saber muito bem ao que ia e confesso que quando o Pe. James entrou no auditório e dei conta que não falava português senti alguma desilusão e cheguei a pensar que era mal empregado o meu tempo em estar ali, mas rapidamente, poucos minutos depois, mudei de opinião. E, durante os dois dias do retiro Jesus tocou-me com muita força e no final, quando o Senhor Pe. James impôs as suas Santas mãos sobre a minha cabeça, eu senti uma mensagem muito clara de Jesus - “Vai confessar-te e faz uma confissão bem feita porque estás em pecado, as tuas últimas confissões não foram bem feitas, vai !..”, ao mesmo tempo senti o Fogo do Espírito Santo inflamar a minha testa e as faces da minha cara que permaneceu bem aceso e escaldante, mas sem queimar, por mais de 4 horas.
Tomei então profunda consciência da minha condição de pecador e o meu coração foi invadido de um grande sentido de arrependimento e de uma enorme ansiedade de me confessar. Foi assim que na quinta-feira seguinte dia 13 de Dezembro de 2007 aproveitei uma deslocação que tinha de fazer a Lisboa para passar novamente pelo Santuário de Fátima e fazer lá a minha confissão, uma confissão a sério como o Pe. James tanto nos pede.
A minha vida e o meu viver, a partir deste dia, obteve uma grande transformação, mas manteve-se a minha angústia e o meu sentimento de revolta, comigo mesmo, por não conseguir ter uma relação de carinho para com as pessoas que me eram queridas. Por exemplo, em relação ao meu pai e à minha mãe, mantinha-se a dificuldade que tive durante toda a vida de quando os cumprimentava ou me despedia deles, beijava a minha mãe como que por obrigação e ao meu pai raramente lhe dava um beijo, apenas o cumprimentava com um aperto de mão. Isto não era normal, tanto mais que sempre me considerei o filho mais mimado por eles, mas, nos nossos convívios de família, enquanto os meus irmãos os beijavam e lhes dedicavam carinho e amor, na altura da despedida, tantas vezes eu procurava evitar despedir-me dos meus pais à frente dos meus irmãos e sempre que tinha uma oportunidade de me esquivar à despedida aproveitava-a.
Todos estes meus comportamentos também provocavam muita confusão à minha esposa e eu tinha consciência dessa anormalidade e queria muito mudar as minhas atitudes mas não conseguia. É indescritível a luta e revolta travada comigo mesmo, dentro de mim.

2. Testemunho do milagre da minha cura interior no retiro para casais

Aconteceu então que o Senhor Jesus meu Deus e meu Salvador voltou a chamar-me e a enviar-me o Seu Servo Pe. James, no retiro de 5 dias para casais em Fátima, realizado no inicio de Fevereiro deste ano (2008), para me revelar a causa das feridas do meu espírito e conceder-me o Milagre da minha cura interior, que passo a resumir:
 Numa das alturas em que o Pe. James rezava pela cura das feridas interiores, em determinado momento senti que algo, de uma Força Sensacional, estava a entrar na fronte da minha testa e começava a inundar todo o meu corpo e que energicamente fazia mexer todas as minhas células sob a minha pele. Senti o início desta Força do Espírito Santo em simultâneo com o início das palavras do Pe. James que começou quando dizia -“Talvez tenhas nascido de uma gravidez não desejada pelos teus pais …… e, ainda no ventre da tua mãe fostes rejeitado……”  - mas ao mesmo tempo que ouvia o Senhor Pe. James, eu pensava – meu Deus o que é que me está a acontecer, isto não poderá ser para mim, eu sou o segundo filho e o meu irmão mais velho tem 4 anos de diferença, eu nunca ouvi dizer nada que não tenha sido desejado e nunca me lembro de alguma vez ter sido rejeitado ou que tenha sido menos amado que os meus irmãos. Mas o Senhor Pe. James continuava a falar, enquanto eu cada vez mais sentia a minha carne a vibrar com mais força debaixo da pele, e continuando, dizia – “Pouco tempo depois do teu nascimento a tua mãe voltou a ficar grávida e logo no ano seguinte tivestes outro irmão e sentistes-te rejeitado por isso ……..” ao ouvir estas palavras uma enorme descarga trespassou todo o meu corpo e nenhuma das minhas células pareciam querer manter-se quietas, toda carne do meu corpo fervilhava. Pois, na verdade eu tenho um irmão apenas quinze meses mais novo do que eu.
Depois, quando o Senhor meu Deus e meu Salvador terminava, esta grande revelação e me concedia o Milagre da minha cura, através do seu Servo Senhor Pe. James, com estas palavras, disse – “Vai ter com os teus pais, vai dizer-lhes que lhes perdoas” – esta Força Misteriosa descia às minhas pernas e saiu pelos pés. Eu não sabia o que pensar, mas não me restava nenhuma dúvida, eu tinha de ir falar com os meus pais e contar-lhes tudo isto.
Terminado o retiro na primeira noite, já em minha casa, não consegui dormir e por volta das 2 horas da manhã eu sabia que Jesus estava ali comigo, mas estava numa grande inquietação por isso eu clamei pelo seu Santo Nome e que me revelasse o motivo ou me acalmasse de tal inquietação. Então o Senhor meu Deus ainda tinha grandes coisas misteriosas para me revelar e que eu nunca imaginaria ser possível acontecer.
Estas revelações que foram relacionadas com antepassados da nossa família, para além de me fazerem compreender o quanto é necessário fazer Oração e rezar Missas pelas suas almas, foram também um grande motivo para eu ir ter com os meus pais para fazer-lhes algumas perguntas sobre esses familiares falecidos. De facto, com estas perguntas e o de ter-lhes contado tais revelações, facilitaram a tarefa para depois lhes dizer o principal motivo porque estava ali e como Nosso Senhor me tinha mandado vir ter com eles para lhes perdoar, contando-lhes tudo o que tinha acontecido no retiro.
E foi assim, em grande emoção e perplexidade que a minha mãe me contou o que aconteceu logo nas primeiras semanas em que ficou grávida de mim. Confirmou que tudo é verdade, os tempos eram difíceis e não havia dinheiro, por isso naquela altura não queriam ter mais filhos, mas aconteceu, e mal desconfiaram da gravidez, principalmente o meu pai não aceitou muito bem e mostrou-se aborrecido e a minha mãe ficou magoada com a conversa que tiveram nessa altura, que o confirma dizendo – “depois do teu pai me ter dito o que disse, andei para aí umas três semanas que não fazia mais nada senão chorar, mas só chorava quando não estava ao pé dele” .

Não há palavras que possam descrever a minha alegria e as Graças e Louvores que devo ao Senhor meu Deus e meu Salvador por tão imensa Misericórdia, concedendo-me tão Glorioso Milagre de me fazer renascer de novo e de curar todas as feridas da minha alma que eu desconhecia. E, os meus pais nem sequer podiam imaginar que pudesse existir neles alguma culpa.

3. Curas físicas nos retiros seguintes do Padre James

Já há alguns anos que sofria de duas hérnias discais que provocavam dores nas costas e nas alturas de maiores crises também me apanhavam as pernas e o pescoço, um médico da especialidade chegou a sugerir-me a intervenção cirúrgica, como única solução, mas sempre fui adiando tal solução.
Depois do retiro do Pe. James, realizado em Fátima, nos dias 7, 8 e 9 de Março, deste ano (2008), onde também estive presente, as crises de dores nas costas começaram a ser menos frequentes, e em Junho, no retiro de Lamego, lembrei-me que já havia para aí um mês que não tinha tido nenhuma dor nas costas, e isto mantém-se até hoje. Por isso dou Graças e Louvo o Senhor meu Deus porque acredito que estou curado desta doença.
Mas também, sofria da doença apneia do sono, de tal modo agravada que já não me era garantido sucesso na cirurgia que seria possível fazer como única hipótese de cura, pelo que, desde há três anos tinha de dormir ligado a um ventilador para a respiração não ser interrompida constantemente e poder fazer um sono com o descanso necessário durante a noite. Mas ainda, sem o ventilador, o meu ressonar era tão violento que eu próprio acordava várias vezes durante a noite com os meus roncos e a minha esposa muitas vezes tinha de ir dormir para outro quarto porque não conseguia dormir com o barulho que eu provocava.
Aconteceu que quando fomos, nos dias 7, 8 e 9 de Junho ao retiro de Lamego, tivemos de ficar lá duas noites, mas não levei a máquina/ventilador e quando a minha esposa se apercebeu dessa falta ficou aterrorizada, pois pensou que ia passar duas noites acordada porque sem o ventilador o meu ressonar não a ia deixar dormir.
Mas isso não aconteceu porque Nosso Senhor Jesus Cristo está sempre connosco e na primeira noite, quando a minha esposa acordou de manhã disse-me com surpresa; - mas eu dormi toda a noite, tu não ressonastes !. E, o mesmo aconteceu na noite seguinte.
A partir da data deste retiro, considero-me curado pois muito raramente tenho dormido ligado ao ventilador, apenas o tenho feito quando me sinto mais cansado ou quando tenho de viajar mais no dia seguinte, para não correr o risco de adormecer a conduzir o automóvel.
Mas o certo é que em todas noites que já passei sem o ventilador não me lembro de ter acordado com o meu próprio ressonar e a minha esposa diz que eu ressono muitíssimo menos e até algumas noites nem dá conta que isso aconteça.
DOU GRAÇAS E LOUVO O SENHOR MEU DEUS POR TANTAS BENÇÃOS QUE TEM DERRAMADO SOBRE MIM E A MINHA FAMILIA.
BENDITO E LOUVADO SEJA PARA SEMPRE, OBRIGADO JESUS MEU SENHOR E MEU DEUS.
Rezo todos os dias para que o Senhor Jesus acompanhe o Pe. James Manjackal para onde quer que ele vá, que o livre de todo o mal e o mantenha sempre forte na sua grande missão de evangelizar e que volte muitas mais vezes a Portugal. Obrigado Pe. James. Obrigado Jesus

Ângelo de Jesus Antunes
Oleiros, Julho de 2008
 

Sónia Gaspar

Vai fazer 2 anos que eu estive no retiro do Sr Padre James no auditório Paulo VI em Fátima. Tinha-me sido diagnosticado um tumor maligno na garganta que os médicos me disseram que não havia nada a fazer em virtude de me apanhar as cordas vocais. No referido retiro fui curada. Graças a Deus até hoje estou bem. Louvado sejas Senhor. Aleluia.
Fátima,  24 de Fevereiro de 2009

Gracinda Cunha
Eu fui operada em Janeiro aos olhos e não tive grandes melhoras. Na semana passada estive no médico e ele mandou-me ir ao hospital para fazer um novo tratamento aos olhos. No sábado no retiro quando o Sr. Padre James na oração de cura disse para colocarmos as mãos aonde tivéssemos dores ou problemas. Eu coloquei as minhas mãos nos olhos e a senhora que estava ao meu lado também me pôs as mãos. Graças a Deus fui curada e vejo melhor. Dou  Graças a Deus por este milagre. Louvado sejas Senhor. Aleluia, Aleluia...
Fátima,   26 de Fevereiro de 2009
 

  Pilar Maçarico - 76 anos - Lisboa

Tinha várias hérnias na coluna lombar e cervical, o que me prendia o movimento das pernas, especialmente a direita, até às ancas. Andava com muita dificuldade e subia as escadas degrau a degrau. Tinha que me deslocar sempre de carro, mesmo que fosse para perto de casa. Virar-me na cama causava-me um grande sofrimento. Já tinha tomado imensas injecções e comprimidos, mas nada melhorava o meu estado; era necessária uma operação à coluna.
Estive no retiro do Estoril, Maio de 2008. Vivi esse retiro com muita FÉ e confessei-me. Após esse retiro, a pouco e pouco, as dores foram-me abandonando até que hoje já posso fazer a minha vida com mais facilidade. Eu sei que as hérnias continuam, mas por graça do Senhor, estou liberta das dores que me causavam.
Glória ao Senhor! Bendito seja Deus! Louvado sejas! Aleluia! Bendita a Santíssima Trindade! Abba, eu amo-Te!
Fatima, 13/12/2008

Maria Filomena M. S. C Dias - 55 anos - Porão

Fui curada de um cancro no pâncreas (com tumor maligno com 7 centímetros de tamanho, já introduzido no duodeno).
A cura espiritual e física foi obtida desde que frequentei o retiro do Pe. James no Sameiro, Braga. Aí, senti que Deus me tinha curado. Fiz exames médicos após o retiro através de um PET/CT (TAC nuclear). O resultado dado pela médica foi de que estava tudo limpo: “Estás curada, Filomena. Parabéns!” Obrigada, Senhor! Dou-te Graças. Louvado sejas!
Fatima, 13/12/2008

Maria Bernardete Galego - 55 anos - Miranda do Douro

Tinha rins poliquísticos e obtive a cura no retiro de casais em Fátima, Fevereiro de 2008. Durante a Adoração, o Padre James disse que 7 pessoas estavam a ser curadas dos rins e em seguida disse “Bernardete, os teus rins estão a ser curados. Agradece a Deus!” Quando estava a rezar pela cura com o meu marido vi a imagem de Cristo à minha frente. No fim da Adoração, quando ia para o quarto, senti um grande apertão nos meus rins e soube que estava curada.
Neste retiro estou a receber novas bênçãos. Estava com uma dor muito forte na cabeça e há mais de 15 dias uma dor muito forte no braço e na Adoração, o Padre James disse: “Bernardete, porque duvidas? Estão a ser derramadas muitas bênçãos sobre ti!” Fiquei completamente curada! Louvado seja o Senhor! Aleluia!
Fatima, 13/12/2008

Manuel Ferreira da Horta -  68 anos  - Marinheiros

Fui abençoado com cinco curas através do Espírito Santo. A 03 de Setembro de 2008, fui curado de problemas dos quais sofria há já dois anos: artrose no joelho (tenho comprovativo médico que confirma a cura), de problemas no estômago e do fígado.
Num outro retiro do Pe. James, em 2007, fui também curado da próstata. Antes tinha necessidade de ir muitas vezes à casa de banho e também precisava de tomar comprimidos. Em 2008, fiz exames à próstata; estava tudo normal e já deixei de ter que me levantar a meio da noite para ir à casa de banho e deixei de tomar comprimidos, sem que tivesse que me submeter a qualquer intervenção cirúrgica!
Gostaria também de testemunhar aqui outra cura do Espírito Santo. No Verão de 2008, fracturei o ombro. Eu não quis ir a parte nenhuma, confiei no retiro a que ia no Paulo VI, pregado por um outro sacerdote. O padre que presidia, o padre disse: “levante o seu braço” e eu confiei. Quis por à prova a minha fé. Vim porque acreditei que iria obter a cura.
Fatima, 13/12/2008

Júlia Franco - 64 anos - Cascais
Após ter ido aos retiros do Pe. James, no ano de 2008, no Estoril (Maio) e em Lamego (Junho), fui curada de vasculite eosinófila inconclusiva (doença vascular - circulatória). Já tinha estado internada no hospital em 2004 por causa do meu problema, mas nenhum médico conseguia determinar qual era exactamente a minha doença nem como tratá-la. A minha cura física foi progressiva, tendo começado quando o Pe. James impôs as mãos sobre a minha cabeça, rezando pela minha cura, no Estoril. Depois do retiro em Lamego, posso clamar a minha cura com firmeza; todos os meus problemas relacionados com esta doença desapareceram!
Fui também abençoada espiritualmente. Libertei-me de medos e culpas e passei a sentir-me melhor aceite pelos outros. A complicada relação com o meu filho tornou-se quase normal.
Dou graças, porque sinto que Deus me acompanha nos mais pequenos pormenores. Ele Curou-me e Libertou-me!
Fatima, 13/12/2008

Helena Ezequiel de Carvalho Amaral Pereira - 57 anos - Sassoeiros

Parti uma perna em Março de 2008, uns dias antes do retiro do Pe. James no Estoril. Antes de saber o que tinha, fui ao hospital, pois tinha muitas dores e queria que me prescrevessem algo para aliviar as dores. No hospital, fizeram-me uma radiografia e verificaram que tinha a perna partida (na cabeça do perónio e fissura no joelho) colocaram-me gesso na perna, que deveria só retirar passados dois a três meses. Passado uns dias, fui com uns amigos ao retiro do Pe. James. Passados dois dias do retiro, fui novamente ao hospital. Aí fizeram nova radiografia e disseram que iria tirar o gesso depois de dois dias apenas! Louvado seja o Senhor!
Fatima, 13/12/2008

Suzana Furtado - 37 anos Águeda

Eu sofria de problemas de estômago (esofagite), que me causavam dificuldades digestivas. O processo de digestão no meu organismo era doloroso (tendo tido episódios de sofrimento agudo), pois tinha bílis no estômago.
Deus misericordioso e bondoso tiveste compaixão de mim, tiveste compreensão e ternura e curaste-me pelos méritos, certamente, da vida do Vosso apóstolo (do novo milénio), Pe. James Manjackal. Fui curada no primeiro maravilhoso dia do retiro, em Dezembro de 2008, em Fátima e com a protecção da nossa querida Mãe Santíssima! O que para mim foi mais significativo e maravilhoso foi Deus ter-me chamado pelo meu nome, como chama a todos nós em todos os nossos problemas e em todas as nossas esperanças. Tendo já passados 3 meses desde esse retiro, consolidou-se o meu bem-estar e o alívio dos meus sintomas. Senhor, Vós sois o Deus de toda a luz, a luz de todo o esplendor, o esplendor de toda a glória!
Fatima, 13/12/2008
João Pedro
Olá a Todos! Chamo-me João Pedro e quero partilhar convosco o meu testemunho e experiência pessoal vivida no Retiro do Padre James em Fevereiro de 2009 em Fátima.

As lágrimas começam a cair e deslizam suavemente pelo meu rosto. Estou maravilhado com as bênçãos de Deus Nosso Salvador, muito agradecido por finalmente ao fim de 20 anos ter voltado à casa do Senhor. Nunca estive zangado com Jesus, nem nunca perdi o hábito de rezar, sabia que Ele existia no meu coração. Mas agora e após o Retiro do Padre James fez-se luz na minha alma. Deus está muito perto de nós, ilumina as nossas almas e abençoa todos os nossos pedidos fazendo-nos sentir renovados.•
Eu renasci naquele dia, 22 de Fevereiro de 2009. Já não me confessava hà cerca de 20 anos. Estava tão feliz e ansioso por receber Jesus Cristo, que parecia o mesmo menino da 1ª comunhão quando tinha 7 anos. A minha Mãe que me acompanhou neste Retiro estava muito emocionada e feliz com o regresso do seu filho.

Os ensinamentos do Padre James, a alegria dos cânticos carismáticos, levam à dimensão da Santíssima Trindade (Pai, Filho e Espírito Santo). Nossa Senhora pega na nossa mão e todos os medos desaparecem, sentimo-nos fortalecidos com o derramar do Espírito Santo em nós. A Cura Espiritual é a primeira a revelar-se...os nossos olhos brilham...as lágrimas de comoção, alegria e arrependimento são genuínas e espontâneas...estamos mais atentos... queremos ouvir e absorver cada palavra do Padre James. Sentimo-nos tão bem na presença do seu Ser, tão alegres com o seu entusiasmo contagiante, tão sensíveis às palavras proferidas pelo nosso querido amigo, sempre inspirado no Espírito Santo que derramou sobre ele o Dom do conhecimento e da palavra. Todos os colaboradores, músicos, cantores, juntamente com todos nós participantes entusiastas e cheios de louvor ao Senhor, ajudaram a tornar aquele Retiro em Fátima a experiência viva mais espectacular que alguma vez participei em toda a minha vida. O movimento carismático é a alegria do Senhor. Ser Carismático como diz o Pe. James “é ser conduzido pelo poder do Espírito Santo, o maior dom que Deus nos deu.”•
Neste momento tenho a certeza que voltei a nascer, a renascer e a caminhar na luz do Senhor. Entrego-lhe toda a minha vida e seja feita a Sua vontade. Deus dá-me aquilo que estou a pedir, mas apenas se for bom para a minha santidade. Obrigado Senhor.

Todos sem excepção temos a oportunidade de receber a Cura Espiritual e no meu caso já estou a dar os primeiros passos para a minha cura física. Como diz o Pe. James “é preciso termos a cura interior para termos a cura física”.
Quando o Padre James disse que havia 3 Joãos que estavam curados do estômago...Acreditei, sabia que um era eu. Senti um frio no abdómen e mais tarde percebi que o bloqueio que existia na zona abdominal tinha desaparecido. As lágrimas não paravam, a alegria era imensa! Obrigado Senhor! Eu Te louvo Senhor!
Também sei que Deus estava a curar-me para diminuir as tremuras das pernas. Ao receber a cura lembro-me de dizer “Vamos curar...Vamos curar...Cura-os a todos, Senhor ! Cura todas estas pessoas que Te louvam e agradecem a Ti, Senhor ! Obrigado Senhor, és o nosso Salvador!

O meu problema físico é do foro neurológico no sistema nervoso central e apresenta sintomas de uma paraparésia espástica progressiva. Mais exactamente, os meus sintomas são:
Tensão muscular nas pernas com alguma perda de controlo dos movimentos nos 2 membros inferiores, com menos mobilidade e sensibilidade motora no pé esquerdo, dificuldade para caminhar com consequente falta de equilíbrio.
Este problema físico poderá ter sido provocado quando ainda era bebé, talvez por uma das quedas que dei quando ainda gatinhava.Os médicos não confirmam, e os exames não são conclusivos nem identificam uma doença neurológica conhecida. Daí eu pensar que poderá ter sido provocado por uma queda acidental quando era mais pequeno e na qual perdi a consciência por momentos.
Só a partir dos 13 anos notei que estava com menos mobilidade de movimentos e ao longo do tempo fui tendo mais dificuldade para me deslocar. Aos 18 anos deixei de correr e aos 36 afastei todos os complexos e comecei a caminhar com um bastão para assim estar mais à vontade e equilibrado no meu andar. Nunca desisti de procurar ajuda para o meu problema. Hoje sei que o Espírito Santo veio até mim e estou muito feliz pela oportunidade divina que Deus me concedeu neste Retiro em Fátima.

Hoje a minha postura de costas é mais direita e correcta. Não faço qualquer esforço para estar sentado numa cadeira bem direitinho, o que antes não acontecia, a tendência era ficar curvado com uma postura deselegante. Um bom exemplo disso é que quando estou sentado a trabalhar já não tenho a tendência de escorregar da cadeira. Mantenho uma posição firme sem qualquer esforço e sei que Deus curou a minha zona abdominal. Também em pé sinto mais estabilidade. Estou melhor e acredito que vou melhorar ainda mais. Agora tudo é novo para mim, estou a explorar as minhas novas capacidades e acredito na progressão da minha cura.

Quem acredita em Deus sabe que Ele existe, mas ainda é melhor quando sentimos que Ele está tão perto de nós e nos toca com o seu Amor. “Felizes aqueles que acreditam sem ver” frase bíblica reforçada pela minha namorada que muito amo (ver seu testemunho no Livro de Convidados ?Guestbook com a entrada nº 1572)

Agradeço à minha Mãe o apoio que me deu e a boa companhia durante todo o Retiro. Fico muito feliz por ter partilhado com ela esta experiência tão bela e  enriquecedora. O amor de Mãe para o seu filho representa o amor de Maria para Jesus, e sendo o Retiro em Fátima mais agradecido estou. Obrigado Mãe, o teu filho ama-te muito....

Para terminar, tal como fiz no meu testemunho pessoal para uma plateia bastante numerosa na Consolata junto ao Hotel Pax em Fátima:
É Deus que nos cura espiritualmente e fisicamente através do Padre James.
Acreditem! Deus toca-nos e cura-nos mesmo.
Obrigado Senhor!
Eu Te Louvo Senhor!

Bem hajam todos os que acreditam em Deus Nosso Senhor, a nossa Fé move montanhas, a nossa Fé e o Amor de Cristo Nosso Senhor fazem milagres!!!

Continuo a rezar por todos vós e pelo Pe. James. Todos juntos continuemos a rezar por ele e com ele para que mais pessoas se convertam e sintam também o derramar do Espírito Santo para a cura espiritual e física.

Aleluia!
 

Obrigado,
João Pedro Carvalho Serra.
Cascais, 01 de Março de 2009

Naria Arcelina
Venho por este meio testemunhar uma cura de cancro da mama que recebi  no retiro realizado na Anadia em Setembro de 2007. O cancro foi-me detectado há 7 anos. Fui operada duas vezes no espaço de 5 dias. Tiraram-me 17 gânglios benignos. Fiz quimioterapia durante 5 anos.
Durante a oração de cura pedi ao Senhor que me curasse as células. Logo a seguir o Sr. Padre James referiu que a Arcelina estava curada. Fiz exames e confirmo que  estou curada para Glória do Senhor. Glória a Ti Senhor.
Dei este meu testemunho no retiro do Estoril em Maio de 2008.

Oliveira do Bairro, 12 de Maio de 2008
 

Lino Mirão

O meu nome é Lino Mirão, vou aqui textualmente dar testemunho com verdade, dos meus passos, até receber as Bênçãos Divinas por Intercessão do Pe. James e do Espírito Santo nos dois e únicos retiros em que estive presente, ambos em Fátima: o primeiro dias 8 e 9 de Dezembro de 2007 no Auditório Paulo VI; e o segundo nos dias 7 a 9 de Março de 2008 no Pavilhão do Seminário da Consolata.
Antes porém, quero aqui e agora salientar que a minha presença em ambos os retiros foi a convite da minha companheira e mulher, sem ter a mínima ideia ao que ia, nomeadamente quanto ao primeiro retiro. Contudo, como Cristão e Católico não praticante que sou, com algum ateísmo à mistura, (como eu costumo dizer), lá fui fazer companhia à minha mulher, que é uma pessoa muito crente.
Apesar da minha mistura de, Cristão Católico com ateísmo, sempre levava dentro de mim alguma Fé e Esperança em encontrar algo que se manifestasse Bem acima da minha pouca Fé e Crença e que pudesse contribuir para um chamamento a um melhor Estado de Espírito, Pessoal, Familiar e Profissional.
Efectivamente encontrei, devido à pregação do Padre James, aos cânticos e às celebrações, esse Estado de Espírito e fiquei Imbuído desse tal Chamamento em ambos os retiros, recebendo as Bênçãos que passo a citar.

Bênção no Primeiro Retiro de Dezembro de 2007:
Foi aquando da Efusão do Espírito Santo com a imposição das Mãos nas  nossas cabeças pelo Pe. James, em que senti uma grande corrente elétrica/energia direccionada ao meu coração, que me causou na hora, um aumento do ritmo cardíaco muito diferente do habitual (mas, logo após, estabilizou). Eu era um hipertenso e desde essa altura deixei de sentir todas as manifestações de Hipertensão, Arritmia e Palpitações que tinha, passei a andar muito mais tranquilo, aceitando as contingências da vida, encarando-as como Bênçãos Divinas, pois tudo o que vem de DEUS é PERFEITO. Mais vos digo, que deixei de tomar a medicação que  tomava quando estava mais Hipertenso. Caros Irmãos, com e por causa da Graça de DEUS estou Curado. Dou Graças a DEUS e a JESUS a cada momento por tal GRAÇA. ALELUIA.

Bênçãos no Segundo Retiro de 7 a 9 de Março de 2008:
 1ª Bênção no Segundo Retiro
 Neste segundo retiro logo no primeiro dia (sexta-feira dia 7) recebi de DEUS PAI e de JESUS por meio do Espírito Santo e da intercessão do Pe. James a cura dos meus Ouvidos e da Memória que me faltava desde há cerca de 3 anos a esta parte, depois de ter tido o síndroma de Ménnier.
Este problema de saúde aparentemente parece não ser muito grave, mas é ! Também não tem cura médica/cientifica, um doente com esta enfermidade tem que andar sempre controlado e medicado, pois a qualquer momento o síndroma pode manifestar-se. Contudo, tal enfermidade leva-nos a ficar debilitados e tira-nos algumas das nossas melhores faculdades pois ficamos com: Perda de Memória, Perda de Capacidade de Raciocínio, Perda de Equilíbrio, Alguma Perda de Audição, etc.,.
Um dos sintomas mais evidentes é sentido ao nível da massa encefálica (o cérebro), pois, em determinadas altura mais parecia um balão cheio de água que ao ser mexido, tem aquela forma desalinhada e inconstante. Também a minha cabeça era assim, mais parecia um balão cheio de água, tendo ainda como agravante todas as manifestações anormais ao nível dos ouvidos como, Zumbidos, Ecos, Estalidos, etc.; a minha cabeça mais parecia uma orquestra sinfónica.
Conforme digo, em verdade, logo no primeiro dia, durante a Oração de Cura manifestaram-se os sintomas de CURA relativamente a esta minha enfermidade, sendo que, até à data sinto-me Bem Curado e adquiri por completo as minhas faculdades totais. Caros Irmãos, com e por causa da Graça de DEUS estou Curado.  Dou Graças a DEUS e a JESUS a cada momento por tal GRAÇA. ALELUIA.

2ª Bênção no Segundo Retiro
Esta SEGUNDA BENÇÃO tem a ver com um CHAMAMENTO MUITO FORTE por parte do ESPÍRITO SANTO à Confissão.
Caro Povo de DEUS, eu não me confessava seguramente há mais de 30 anos, como Cristão e Católico não praticante que sou, com algum ateísmo à mistura, (como eu costumo dizer), não via com bons olhos, nem sentia necessidade de me confessar a um Padre, pois, se, eu me confessava e falava com DEUS, com Aquele que tudo Perdoa e que nos AMA sem nos perguntar quem somos e porque somos, em verdade vos digo, não achava importante confessar-me a um Padre até àquele Sábado (dia 8), ao final da tarde. Nesse final de tarde do dia 8/03/2008, após a pregação do Padre James, bateu FORTE, MUITO FORTE, algo no meu humilde coração que me dizia: VAI CONFESSAR-TE; VAI CONFESSAR-TE; TENS DE IR CONFESSAR-TE. Era o DIVINO ESPÍRITO SANTO em mim para mim.
Segui o sentimento de tal CHAMAMENTO do DIVINO ESPÍRITO SANTO e fui logo Confessar-me no Domingo de Manhã (dia 9). DOU GRAÇAS AO MEU DEUS e a JESUS POR TÃO GRANDE BÊNÇÃO.
Dou Graças a DEUS e a JESUS a cada momento por tal GRAÇA. ALELUIA.

3ª Bênção no Segundo Retiro
Esta terceira e última BÊNÇÃO DIVINA, foi novamente no acto da invocação e Efusão do DIVINO ESPÍRITO SANTO quando o Pe. James coloca as SUAS MILAGROSAS MÃOS na cabeça do POVO de DEUS, desta vez não senti a energia como acontecera no último retiro, mas fiquei foi IMBUIDO de um INTENSO PERFUME a ROSAS que perdurou no tempo e no espaço, um PERFUME, PERFUMADO COM AS ROSAS CELESTIAIS.
Dou Graças a DEUS e a JESUS a cada momento por tal GRAÇA. ALELUIA.
Caro POVO de DEUS, estas Graças aconteceram comigo um humilde e pouco crente. Estas são as verdades, verdadeiras, contadas na primeira pessoa. Isto prova que a SANTÍSSIMA TRINDADE está VIVA e bem VIVA e não nos abandona jamais. Basta ACREDITAR, mesmo pouco, basta ACREDITAR e quando se ACREDITA, ELE logo se manifesta em nós e aí o ACREDITAR pouco, passa ao ACREDITAR do tamanho do UNIVERSO. ALELUIA.

TE AGRADEÇO SENHOR por estares presente na minha VIDA a cada momento.
Lá; Lá; Lá; Lá; Lá; Lá; Lá; Lá; Lá; Rá, Chá, Lá; Lá; Lá; Lá; Lá; Rá, Chá, Lá; Lá; Lá; Lá; Lá; ; Lá; Lá; Lá
DEUS está sempre presente na vida de cada um de nós.
Por último uma palavra de Apreço, Respeito e de Louvor para o trabalho de Evangelização do Pe. JAMES, que o DIVINO ESPÍTITO SANTO esteja a cada momento do agora e sempre com ele Pe. JAMES, que o Proteja, que o Ilumine, que lhe proporcione a FORÇA e as BENÇÃOS CELESTIAIS para levar até ao fim o seu CHAMAMENTO com ALEGRIA, DEDICAÇÃO e AMOR ao próximo.
BEM Haja Pe. JAMES, Oro por si !

Lino Mirão
Testemunho concluído em 24/03/2008


Maria Madalena Gomes Neves

Venho por este meio dar o meu testemunho duma extraordinária graça que Nosso Senhor me concedeu através do seu servo Pe. James quando ele fez o retiro na Anadia (Diocese de Aveiro) no mês de Setembro de 2007.
Participei neste retiro e não dei por nada a meu respeito nele. Mas na 2º feira de manhã, no outro dia a seguir ao fim do retiro, dei por uma graça extraordinária em mim. Há já bastantes anos que me apareceu uma bolinha preta no meu olho direito, depois mais tarde apareceu outra, depois outra e várias mais, umas maiores e outras mais pequenas, que continuavam a aumentar de número. Por último já me apareciam como que uns farrapinhos que quando me começaram a aparecer me assustei várias vezes pois parecia uma presença estranha perto de mim, mas afinal era no meu olho. Isto tudo era no meu olho direito. Se eu me olhasse ao espelho nada via, mas no meu dia-a-dia de vez em quando e especialmente mais em contraste com a cor branca, por exemplo um muro pintado de branco eu via dentro do meu olho aquelas bolinhas todas que estavam a aumentar de quantidade.
Na 2ª feira a seguir ao retiro do Sr. Pe. James na Anadia, quando eu estava aqui no meu pátio a fazer um trabalho que dava de contraste com o muro branco desse mesmo pátio, eu dei pela falta deste incómodo. Fiquei maravilhada pela grande maravilha que Nosso Senhor operou em mim, através do seu servo Revmo. Pe. James.
Graças, mil graças a Deus pelo Seu maravilhoso Amor para com os seus filhos. Bendito seja Deus, toda a Honra e Glória Lhe seja dada em toda a terra! O Seu poder é Infinito. Deus abençoe e ajude sempre e proteja sempre o seu grande e maravilhoso servo Sr. Padre James.
Eu gostava de dar este meu testemunho publicamente. Procurei por várias vezes fazê-lo em Fátima, no passado mês de Dezembro mas nunca me foi permitido. Por isso estou a enviá-lo por escrito. Feliz Páscoa e muitas Bençãos de Jesus Ressuscitado.

Maria Madalena Gomes Neves
Aveiro, 10 de Março de 2008


Cláudia Barbosa Lobo

Caros irmãos e irmãs em Cristo, chamo-me Cláudia Barbosa Lobo e tenho 27 anos. Venho partilhar convosco o testemunho da minha experiência pessoal que começou no retiro do Padre James em Março de 2007, no Estoril.
Após ter ido por breves momentos a um primeiro retiro deste santo padre no Estoril em Setembro de 2006 (do qual fugi pois as suas palavras eram tão duras e incompreensíveis para mim, que pensei que só podiam ser delírio) decidi ir, incentivada por familiares, a um retiro do início ao fim no Estoril em Março de 2007. E foi então neste retiro, que a Palavra de Deus pregada pelo Padre James me tocou e se realizaram as minhas curas pessoais, apesar de eu não ter ido em busca de qualquer cura.
A primeira cura de todas foi interior, donde resultou a minha entrega total ao Senhor e à Sua Palavra, perdoando a todos os que me tinham ferido, não deixando mais espaço para qualquer rancor, mágoa, frustração ou desilusão.
Depois de me ter arrependido de ter estado a viver afastada de Jesus, quando o Padre James fez a oração de cura física, senti um grande calor a percorrer-me da cabeça aos pés e soube que estava curada da coluna e dos joelhos.
Desde pequena que eu sofria da coluna e tinha dores diárias permanentes (desde os 5-6 anos até aos 14). Quando finalmente se diagnosticou o meu problema, já era tarde de mais para fazer o que quer que fosse, era apenas possível trabalhar a postura e fazer massagens de forma a atenuar a minha lordose acentuada, para evitar que se agravasse. Estava tudo mais ou menos controlado até ter o meu filho em 2005. O parto foi complicado e a recuperação também e a minha coluna voltou a dar de si. Tinha dores tão fortes que me era muito complicado pegar no meu filho ao colo (que nasceu bem pesadote, com 4kg) durante mais do que 5 minutos (e era sempre muito mais). Voltei então a ter dores acentuadas na coluna. Desde aquele retiro, agora sou capaz de segurar no meu filhote à vontade e agora ele já tem 3 anos bem desenvolvidos!
Quanto aos meus joelhos, devido a uma lesão desportiva em 1994, eles às vezes ficavam como que presos, tendo eu que parar de andar no meio da rua, ou andar ao pé-coxinho para subir e descer escadas. Desde aquele retiro que subo as escadarias do metropolitano a correr sem qualquer problema!
Passados uns dias reparei também que já não necessitava mais de óculos para trabalhar no computador. Desde 1998 que tenho a vista cansada e precisava de óculos para estar ao computador e para ler. Há um ano que não uso óculos e trabalho cerca 7 a 8 horas diárias em frente ao computador!
Neste último retiro em Fátima em Março de 2008 no Pavilhão da Consolata, tive a graça de receber também uma cura interior sobre o momento do meu nascimento. Durante a oração de cura do Padre James, quando regredia até à altura do nosso nascimento, eu senti uma dor muito profunda e não conseguia parar de chorar e ao mesmo tempo senti um amor muito grande que me agarrava com força. O meu nascimento causou muita dor, a mim e à minha mãe; foi muito complicado e tive, inclusivamente, que ser reanimada, não sabendo o médico se eu estava viva ou morta. Sei que foi o Senhor que me salvou por intercessão de Nossa Senhora, a Quem a minha querida mãe nessa altura não cessou de rezar pedindo auxílio, e agora foi o Senhor Quem me libertou desta dor que estava no meu inconsciente.
Nos retiros do Padre James através da sua pregação e Santas Missas, redescobri a Igreja Católica e a Santíssima Trindade, abri-Lhe o meu coração e entreguei-Lhe a minha vida. Agora estou ao serviço do Senhor e têm sido imensas as Suas bênçãos na minha família.
Conhecia muito pouco da Verdade de Jesus e por isso tinha-me afastado d’Ele. Não era capaz de ter certezas e por isso sei que isto me aconteceu, porque eu nunca tive argumentos para falar com as pessoas com quem contactava, dizendo-lhes com toda a segurança Sou Católica, Sou Cristã, porque Jesus está Vivo e caminha entre nós! Mas agora com todas estas provas e sinais que Deus me deu eu sou obrigada a testemunhar e a dizer aquilo que vi e ouvi e posso proclamar com toda a fé e segurança: Jesus é o Caminho, a Verdade e a Vida!
Só me resta louvar a Deus e trabalhar para a Sua glória.

Cláudia Barbosa Lobo
Oeiras, 26 de Março de 2008


Maria Hermínia Matos

Eu Mª Hermínia venho por este meio testemunhar e dar uma notícia muito especial, ou seja, a graça da conversão do meu marido (José de Matos) que hoje, dia 11 de Fevereiro de 2008 se confessou e disse que nunca mais deixaria de ir à Missa de Domingo, ele que já há quase 40 anos não se confessava e andava afastado da Igreja.
Esta conversão aconteceu após ele ter sido “arrastado” para o retiro de casais da semana passada do Senhor Padre James, aí ter sido “tocado” pela sua pregação e   ter tomado consciência da necessidade de uma boa confissão.
Foi uma ou mesmo a maior graça que Deus e Nossa Senhora me concedeu durante a minha vida. Bem hajam a todos vós e ao Senhor Padre James por tudo o que me vai acontecendo.
Um forte abraço em Cristo.
Maria Hermínia Matos
Mora, 11 de Fevereiro de 2008



Teresa
O meu nome é Teresa e tenho 32 anos. Eu e o meu marido fomos ao seu retiro no Estoril e em Fátima em Setembro de 2006 e nós adorámos. Há tantas coisas que eu lhe queria dizer àcerca dos sentimentos que tivémos mas não há palavras para descrever correctamente o que o Espírito Santo fez nas nossas vidas dia após dia, mas nós podemos contar-lhe os efeitos visíveis.
Este ano, em Janeiro, eu estava grávida mas eu perdi a minha criança com 7 semanas de gravidez, o coração dela parou, nós não sabemos porquê. Depois disso eu fui operada em Março (porque a criança morreu mas o meu corpo não expulsou o seu corpo) e os médicos disseram-nos para esperarmos alguns meses antes de eu engravidar de novo. Eu Rezei a Nossa Senhora para nos dar uma criança no dia 13 de Maio mas depois eu disse para mim própria: “porquê o 13 de Maio, todos os dias são bons, talvez Deus tenha ficado triste com a minha oração”. Mas no seu retiro o Senhor Padre contou-nos uma história àcerca de um casal que rezou para ter uma criança no dia de Pentecostes e a sua oração foi escutada por Deus. Por isso eu tive a certeza de que Deus me falou a mim e eu rezei para ficar grávida e também para que Deus me desse crianças que se tornassem sacerdotes ou religiosos. No último dia de retiro, Domingo, o meu marido, que não sabia o que eu tinha pedido a Deus, disse-me: “Eu penso que estás grávida, algo me diz isso”. E 20 dias depois eu tinha a certeza, eu estava grávida!. E os médicos disseram que a criança iria nascer em meados de Maio! Obrigado Jesus.



Luís Filipe e Noémia Fernandes
Durante muitos anos eu fui um católico não praticante, ou antes, praticava à minha maneira. Achei que não necessitava de um intermediário (Padre) para comunicar com Deus. Preferia ir às Igrejas sózinho e quando me apetecesse. Andei de tal maneira afastado da Igreja que já só sabia o Pai Nosso e a Avé Maria e estive praticamente 24 anos sem me confessar. Muitas vezes, deixava a minha mulher na missa e eu ia para o café ler o jornal ou livros, enquanto esperava por ela. Tínhamos muitas vezes discussões por causa disso porque os meus filhos preferiam imitar-me. O meu filho de 10 anos de idade dizia muitas vezes que queria ficar comigo em vez de ir à missa. Há alguns anos, tive conhecimento dos “Rosa Cruzes” (Lectorium Rosicrucianum) que me interessaram e me cativaram mais do que a religião católica durante algum tempo, mas acabei por abandoná-los.
Em Junho de 2007, a minha mulher quis ir a um retiro do Padre James que teve lugar em Setúbal, de quem tinha ouvido falar muito bem. Eu fui (desconfiado) para a acompanhar e, para ver do que aquilo tratava. A minha intenção inicial era de assistir só a umas horas ou, no máximo, um dia. A verdade é que acabámos por ficar os três dias por minha própria vontade e para grande surpresa e alegria da minha mulher que, secretamente, rezava pela minha conversão! Foi impossível ficar indiferente à forma como o Padre James prega a palavra de Deus. A partir daí a nossa vida mudou por completo.  Comecei a frequentar e a dar valor à Igreja e a rezar em família. Posso dizer que, desde então, compreendi o verdadeiro significado dos Sacramentos da Igreja como o Baptismo, o Casamento, a Eucaristia, etc. Eu considerava-me já “convertido” embora em alguns aspectos eu ainda não tivesse dado todos os passos que um bom cristão deve dar, como o da confissão. De facto, eu ainda não tinha feito uma boa confissão como o Padre James não se cansa de nos pedir.
No retiro de casais realizado no Seminário do Verbo Divino em Fátima nos dias 1 a 5 de Fevereiro 2008 eu decidi fazer uma boa confissão ao Padre James. Após a confissão dos meus pecados e quando ele me impôs a sua mão pedindo a minha absolvição, eu senti uma força provir da palma da sua mão, nomeadamente do local exacto do seu estigma como se fosse uma “borracha” que ia e vinha contra a minha testa. A sua mão tremia e todo eu também. Pedindo perdão pelos meus pecados, eu comecei a agradecer, a louvar e a dar graças a Jesus e ao Espírito Santo e as lágrimas irromperam dos meus olhos de forma contínua, a mim, que parecia que já nem sabia chorar. O Padre James disse-me então: “Vai, os teus pecados estão perdoados e lê o capítulo 15 do evangelho de João”. Durante essa tarde eu não senti alívio, nem paz, nem tranquilidade. Pelo contrário, eu senti o meu coração comprimido, dificuldade respiratória e o meu fígado como se estivesse inchado.
Mais tarde, durante a Adoração e Oração de Cura Interior efectuada nessa noite, eu senti durante cerca de 5 segundos antes da proclamação do meu nome pelo Padre James “Filipe – as tuas doenças estão curadas” uma paz e uma tranquilidade no meu coração, uma luz que atravessava os meus olhos fechados e “alguém” mexendo no meu fígado como se estivessem a trocar de lugar “3 bolas”. Sem perceber muito bem o que me estava a acontecer, as lágrimas irromperam novamente pelos meus olhos abaixo e só me vinha à cabeça a pergunta: “Porquê o meu nome, Senhor? Porquê eu, Senhor?” Agradeci e Louvei ao meu Senhor sem cessar com uma devoção que eu nem suspeitava ter.
Graças a Deus eu posso agora testemunhar a relação directa do toque e da acção de cura de Jesus, com a proclamação do meu nome pelo Padre James. Eles estão de facto ligados e “trabalham” em conjunto. Benditos Sejam!
Há 3 anos e meio fui operado 3 vezes no espaço de 3 meses por causa de um tumor carcinóide no apêndice e sofri de outras complicações como pedras nos rins, crises de ansiedade e de stress. Foram-me detectados 3 hemangiomas no fígado já depois de ter sido operado. Agora acredito que estou limpo e curado Graças a Deus, a Jesus e ao Espírito Santo através do Padre James. Louvados Sejam! Ámen.
Os que estiveram presentes neste retiro de casais sabem que eu dei este testemunho oralmente. Agora sei como fui capaz de o fazer, apesar de pouco tempo antes eu ter dito que jamais seria capaz de dar um testemunho em público, de algo que eu considerava do domínio privado e íntimo das pessoas que sentiriam a sua própria cura. Para isso, bastou-me chegar a casa e ler o capítulo 15 do evangelho de João como o Padre James me pedira, para perceber que eu não fizera mais do que cumprir os desígnios de Deus pois na parte final deste capítulo poderemos ler:
Terceira Promessa do Espírito – «Quando vier o Paráclito, o Espírito da Verdade, que procede do Pai, e que Eu vos hei-de enviar da parte do Pai, Ele dará testemunho a meu favor. E vós também haveis de dar testemunho, porque estais comigo desde o princípio.»
Não imaginam a alegria que eu senti nesse momento por ter dado este meu testemunho…
As bênçãos e as graças não param de “chover” na nossa família desde o primeiro retiro com o Padre James.
É um privilégio tão grande continuarmos o nosso caminho para a purificação e para a santidade ajudados pelo Padre James que não devemos desperdiçar nenhuma oportunidade para rezar e estar com ele.
Bendito e Louvado sejas Jesus que no-lo enviaste às nossas vidas.

Luís Filipe e Noémia Fernandes
Os nossos filhos: Ana Luísa e Daniel Filipe (Vila Real)



João Dias
Chamo-me João Silva Dias e tenho 49 anos. Desde os meus 18 anos que sofria de insónia crónica. Desde então percorri todos os melhores especialistas de sono portugueses, mas todas as medicações à base de anti-depressivos, ansiolíticos e mesmo hipnóticos que me foram prescritas não conseguiram funcionar comigo. Ou melhor, algumas medicações funcionavam 1 a 2 dias e depois havia um rápido efeito de habituação que deixava os médicos atónitos e, mesmo tomando os medicamentos, eu passava várias noites em estado de vígilia sem pregar olho ou dormia 2-3 horas.
Além disso alguns médicos prescreveram-me também sessões de massagem de relaxamento indutoras do sono (tipo shiatsu; aliás a sua origem era japonesa) nas suas clínicas que também não tiveram os resultados esperados. Foi-me também sugerido praticar desportos exigentes como o remo ou o rugby, mas também não funcionou comigo. Evitava também depois do jantar trabalhar no computador porque sabia que essa e outras práticas (como a televisão) iam afectar o meu sono.
Para além da medicina convencional e exercício físico, mais tarde também experimentei a medicina alternativa como a acupunctura, o ioga, o shiatsu, o tai-chi, os Florais de Batch e similares, e a homeopatia mas também elas não resultaram comigo. Hoje eu sei que não devemos procurar estas alternativas da Nova Era pois elas são demoníacas.
Nessa altura tinha que usar tampões nos ouvidos e se tomasse a medicação e não conseguisse começar a dormir ao fim de 20-25 minutos depois de ir para a cama  já sabia que era noite certa de insónia, ou seja, não pregava olho e ficava num estado de vígília muito grande detectando e ouvindo tudo o que se passava à minha volta embora passasse a noite de olhos fechados.  Quando a fase das insónias começava elas podiam durar vários dias.
Como é evidente após vários dias sem dormir sentia-me deprimido e começava a desenvolver uma grande angústia pelo facto de não dormir. Mas quando entrava nesse ciclo de insónia automedicava-me fazendo um cocktail de medicamentos ansiolíticos e hipnóticos e lá conseguia uma noite em que dormia 3-4 horas seguidas e depois lá retomava o ciclo das minhas poucas horas de sono. Quando a angústia começava a ser grande, é evidente que quem pagava o meu não dormir eram aqueles que me rodeavam em casa e no trabalho e muitos, antes de falar comigo de manhã, primeiro observavam-me para verem com que tipo de humor eu estava para se certificarem se podiam falar comigo ou não. Havia dias em que eu reconheço que ficava nervoso e intratável devido às más respostas.
Eu não tinha gosto em estar na cama mas tinha que repousar pois, se não o fizesse, não conseguia suportar o meu dia-a-dia. Mas dormindo aquelas horitas e repousando na cama cerca de 8 horas eu conseguia enfrentar o meu dia de trabalho. Fiz o meu Doutoramento e Agregação à Universidade nestas circunstâncias sustentado, sem eu saber, pela Graça de Deus.
No Verão de 2002, após a minha conversão no ano anterior em Medjugorje, eu resolvi acabar com toda a medicação (já tinha tentado fazer, sem sucesso, desmames de medicamentos nos anos anteriores) pois, mesmo tomando-a em média por mês eu dormia 2,5 horas por noite e tinha em média 8 a 10 dias por mês em que não dormia nem um minuto. Acontecia ainda que dormia muitas vezes 2-3 horas e quando acordava ficava com uma despertina tão grande que já não conseguia adormecer mais e passava a noite toda a mexer-me na cama num estado de angústia por vezes tão grande que incomodava, e muito, a minha mulher. O maior problema era quando deixava de dormir um dia pois depois era difícil retomar o ciclo do sono. Mas tinha chegado à conclusão que não era a medicação que me fazia dormir e como estava numa escalada galopante de ingestão de medicamentos anti-depressivos, ansiolíticos e hipnóticos (bem como de estimulantes para conseguir sobreviver de dia!) em que todos os anos ia aumentando as doses, resolvi cortar com tudo de vez.
Ao suspender radicalmente toda a medicação como devem imaginar passei cerca de uma semana sem dormir e 15-20 dias muito muito mal pois em pleno Verão eu tremia de frio e tinha que me vestir quase como que de Inverno com várias camisolas pois todo eu tremia e tinha muito muito frio. Não sabia as consequências deste meu acto mas a decisão estava tomada e eu não queria voltar atrás. Confiava também na Graça de Deus.
O meu organismo foi aos poucos reequilibrando-se e progressivamente além de 2-2,5 horas de sono diário por noite comecei a dormir com muita mais paz e deixei de andar às voltas na cama durante a noite. Também deixei, de início com dificuldade, de usar os tampões nos ouvidos. Aos poucos, as minhas noites de insónia praticamente foram desaparecendo e passei a adormecer sempre que ia para a cama independentemente da hora. Mas os meus períodos de sono continuavam curtos.
Até que nos dias 25-27 de Março de 2007 houve o retiro com o Padre James Manjackal na Escola Salesiana do Estoril. Durante a oração de cura com o Santíssimo Sacramento exposto o Senhor Padre proclamou que estavam a ser curadas várias pessoas que sofriam de insónia. Eu clamei a minha cura, dei Graças a Deus e disse entre outras coisas: “Obrigado Senhor pela cura da minha insónia”. Nessa mesma noite eu dormi cerca de 5-6 horas seguidas e depois permaneci em grande sonolência dormindo um pouco mais e, pela primeira vez ao fim de muitos anos, senti prazer em estar na cama. Desde essa altura, e faz hoje um ano,  continuo a ter um período de sono profundo de 4-5 horas por noite e depois de acordar não fico em vigília como no passado, mas sim num estado de sonolência dormindo normalmente um pouco mais até de manhã.
Além disso no passado qualquer alteração dos meus horários de deitar, mudança de cama ou almofada (andava sempre com a minha almofada atrás para onde quer que fosse), conduziam também a noite de insónia e tal deixou de suceder.
Conhecem algum Médico melhor que Jesus? E quem faça maravilhas tão grandes como o Espírito Santo? Eu não!
Bendito e Louvada seja a Santíssima Trindade. Toda a Honra e Glória para Ti Senhor.  Aleluia!
João Silva Dias
Carcavelos, 26 de Março de 2008



Helena Santos
Chamo-me Helena Santos estou casada há sete anos, desde Dezembro de 1999. A partir de 2001 pensámos em fazer todos os exames médicos para termos filhos. Estava tudo ok, mas em 2002 ainda não tinha engravidado. Então fomos fazer mais exames e não havia razões aparentes para não engravidar, e o meu ginecologista achou que eu devia fazer um tratamento para estimular as hormonas, mas era tão stressante de cada vez que ia ver se já tinha ovulação, que em 2004 deixei de fazer qualquer tratamento. Em 2005 tive de fazer uma cirurgia a um braço; então nesse ano tomei precauções para não engravidar porque seria prejudicial. Mas a partir de 2006 continuava a não engravidar e então o médico falou-me num tratamento com injecções (mas eu detesto agulhas, e já sabia pelo stress que tinha passado). Não queria ter filhos assim, queria que fossem fruto do amor que eu e o meu marido temos.
Em Março de 2007, a minha mãe inscreveu-me no retiro do Padre James no Estoril. Fui no sábado e antes da celebração da Missa consegui Confessar-me, e por isso recebi Jesus. Na  oração de cura, eu pedi que se fosse de acordo com a vontade de Deus, que fizesse a minha vontade de ser mãe!. Aí senti (como um fogo que desceu sobre mim sem que queimasse) que ia ser mãe! E no mesmo segundo o Padre James disse o meu nome. Cheguei a casa e contei ao meu marido e ele só me pediu para eu não contar a ninguém. Comprei o livro do Pe. James "Eis que bato" e li-o e reli-o.
Em Maio fui às comemorações de Fátima e dia 12 fiz uma Confissão maravilhosa. Disse ao padre o que me tinha acontecido e disse-lhe que ia ficar grávida mas não sabia quando. E contei-lhe o que o meu marido me pedira. Ele disse-me para eu anunciar o milagre apenas quando estivesse grávida, para não o revelar até lá. Eu tinha a certeza do milagre de Deus!
Em Junho, eu fui de novo ao retiro do Padre James em Setúbal e na hora da oração de cura o Padre James disse que eu já tinha sido curada. Eu nem duvidei, porque sentia essa certeza!
Na segunda-feira, a seguir ao retiro, eu escrevi um e-mail ao Padre James, dizendo:
“Good Afternoon, Father James!
I was in Estoril, I received physical healing, that it confirmed in Setubal through the Holly Spirit. I believe, I’m going to be a pregnant woman, I do not know when this is going to happen, but I am sure that it is going to happen in my life. I ‘m going to give my testimony, next time you come back here.
Father, please pray for my family can increase fast. Thank you for coming to our country. Portugal loves you. I love you very much. I`m sorry for my English, it is not very good. I pray for you and for your mission. Helena Santos”
(“Boa Tarde, Padre James!
Eu estive no Estoril, eu recebi uma cura física, que foi confirmada em Setúbal pelo Espírito Santo. Eu acredito, que vou ser uma mulher grávida, eu não sei quando é que isso vai acontecer, mas eu tenho a certeza que isso vai acontecer na minha vida. Eu vou dar o meu testemunho, na próxima vez que voltar.
Padre, por favor reze para que a minha família possa aumentar rapidamente. Obrigado por ter vindo ao nosso país. Portugal ama-o. Eu amo-o muito. Peço desculpa pelo meu inglês, que não é muito bom. Eu rezo por si e pela sua missão. Helena Santos”)

O Padre James respondeu-me:
“Dear Helena, Thank you for your letter. I promise to pray for you and your intentions. God bless you richly.
Father James” (“Querida Helena, Obrigado pela sua carta. Eu prometo rezar por si e pelas suas intenções. Deus te abençoe abundantemente. Padre James”)
Nessa mesma semana, sexta-feira dia 6 de Julho de 2007, eu fui fazer um teste de gravidez e deu positivo!
Fui ao médico nesse mesmo dia, ele passou-me vários exames, que eu fiz. O resultado foi que estou com 10 semanas de gravidez actualmente!
Pelas contas médicas o bebé foi concebido pelo dia 15-17 de Maio. A seguir àquela maravilhosa Confissão!
Entretanto fui ao médico com as primeiras análises que fiz e ele mandou-me repeti-las com muita urgência, pois eu estava com um vírus, Toxicoplasmose. Segundo o médico teria de fazer um aborto, se se confirmasse que o vírus tivesse sido contraído depois da gravidez pois o bebé poderia nascer com graves deficiências.
Fui fazer as análises, mas só três dias depois saberia o resultado; fui aos pés de Jesus e pedi-lhe que Ele protegesse o meu bebé e prometi ao meu bebé que o iria proteger com a minha vida. Eu e o meu marido desejávamos muito um filho, mas sempre concordámos com o aborto em circunstâncias de abuso sexual ou de deficiência. Mas eu não conseguia conceber a ideia de abortar o bebé que Deus me tinha dado, mesmo que tivesse alguma deficiência. Finalmente fui mostrar ao médico os resultados dos exames e mostraram que eu já tinha contraído o vírus antes da gravidez, sem consequências para o bebé.
Nesse dia quando cheguei ao escritório e fui ler os e-mails, tinha um e-mail do Padre James que me dizia para ficar tranquila, que a criança que eu esperava iria ser forte e saudável. Deus seja Louvado, ele faz milagres...mas através do Padre James são muito mais rápidos.
Deus é maravilhoso, Ele sempre operou milagres mas eu não O conseguia sentir na minha vida. Devo isso ao Padre James, foi ele que me ensinou a escutá-Lo. Por isso também o AMO Padre James.
ALELUIA!
Helena Santos (Misericórdia, Moita dos Ferreiros)



Estela Barbosa

Há trinta anos que os meus intestinos só funcionavam através de medicamentos vários, sob vigilância médica, tendo de fazer periodicamente alguns exames para verificação de algum efeito maléfico de tais medicamentos. Tomava cerca de 6 a 8 comprimidos diários para que os intestinos funcionassem uma vez por semana e com dificuldades.
Após ter frequentado o Retiro do Rev. Padre James Manjackal nos dias 1 e 2 de Setembro de 2006 nunca mais voltei a tomar qualquer medicamento ou comprimido porque os meus intestinos a partir desse dia – 1 de Setembro de 2006 – passaram a funcionar normalmente.  Louvado seja Deus.

Estela Barbosa
Linda-a-Velha, 19 de Novembro de 2006.


Isilda Barbosa Lobo

Queria dar testemunho da minha cura física, além da cura espiritual que aconteceu no retiro do Padre James Manjackal em Setembro, através da sua oração. O Espírito Santo mimoseou-me com muitas graças. Louvado seja o Senhor!
Sofria de 2 hérnias lombares desde 1995, altura em que estive acamada por 6 meses e a partir daí com vários tratamentos melhorei mas não podia fazer esforços, não podia estar muito tempo sentada e várias outras limitações. No dia 1 de Setembro, ao fim do dia senti que estava curada e tirei a cinta ortopédica que usava sempre desde 1995 e nunca mais precisei dela. Fiz viagem para Fátima para o terceiro dia do retiro e senti-me sempre bem! Deus é Grande, Deus é Bom. O Espírito de Deus está Vivo.
Obrigada por tudo a Deus e ao Padre James que é um sopro do Espírito Santo.

Isilda Barbosa Lobo (Linda-a-Velha)
Lisboa, 19 de Novembro de 2006.


José Sabino

Estava canceroso nos pulmões. Os médicos só me davam três meses de vida. Através da Internet pediu-se ao Pe. James oração de cura. Os meus familiares rezaram muito e fizeram-se sacrifícios.
Eu José, o doente, estive presente na assembleia do Pe. James de 23 a 25 de Março de 2007. O médico diz que estou quase curado.
Glória ao Senhor Deus que faz milagres.

Obrigado Pe. James.
José Sabino


Maria do Rosário Lemos

Louvado Seja o Senhor Nosso Pai e Jesus Cristo, que ilumina o Pe. James através do Espírito Santo e obteve do Senhor, a Graça de eu ser curada dum espasmo facial que tive há 20 anos, que bastante me incomodava tendo de 3 em 3 meses, de ir ao Hospital de Santa Maria em Lisboa, fazer a aplicação duma injecção em volta de toda a vista direita, no canto da boca e no rosto do lado direito.
Graças à cura no dia 24 deste mês não compareci ao tratamento e graças à Vossa Benção, considero-me curada e não quero voltar a fazer a injecção da toxina Botelinica, pelo que agradeço ao Pai a cura através da oração feita pelo Rev, Padre James. O meu abraço de gratidão.

Maria do Rosário Lemos
PS: Esta cura foi feita através da oração no Estoril de Março de 2007. A gratidão da Maria do Rosário.
 



Regina Mateiro

Querido Pe James,

Eu acabo de receber a sua carta amiga que me motivou a dar este testemunho.
Você não tem nada que agradecer; a minha contribuição não é nada no site em relação às curas e graças recebidas no retiro pregado por si em Setembro na Anadia. De facto, eu não disse nada antes porque eu estava à espera do relatório médico para reforçar o meu testemunho que eu passo a citar:
Primeiro eu devo dizer que me preparei a mim própria em oração para este retiro. Eu apenas queria estar perto do meu Senhor.
No sábado, dia da oração de cura interior eu senti-me rodeada de paz, adormeci no Espírito e para a Glória de Deus, eu dou testemunho que eu recebi, sem qualquer dúvida, uma cura interior. Eu lembrei-me de todas as faltas de perdão e de ressentimentos para com as pessoas da minha vida de “trabalho”, perdoando-lhes e pedindo perdão ao Senhor. Como resultado disso tudo se pacificou dentro de mim e, para minha surpresa, eu penso que não precisarei mais deste exercício.
Domingo, quando o Pe. James rezou pela cura física, disse que o Senhor estava a curar alguém com o meu nome. Era acerca de circulação sanguinea. Eu acreditei que fosse eu e disse obrigado. Eu já tinha marcada uma operação para remover duas veias más. Eu tinha uma má circulação sanguínea que me causava muito desconforto. Eu senti no dia a seguir que eu também tinha sido curada deste mal. As manchas castanhas nas minhas pernas devido à má circulação tinham diminuído mas ainda não tinham desaparecido. Mas eu senti-me confortada porque a mancha na minha perna direita parecia uma pomba. Eu tomei-a como um sinal de Deus... e o médico não teve qualquer problema em escrever uma carta acerca da cura. Eu sinto-me muito agradecida a Deus. Eu desejo as maiores bençãos para si e para a sua missão de evangelização por todo o mundo.
Se quiser eu posso dar o meu testemunho em Fátima.
Conte sempre com as minhas orações.
Cumprimentos. Regina

Regina Mateiro
Porto, 4 de Dezembro de 2007
(Testemunho acompanhado de declaração do médico)


Angela e Pedro

Uma rapariga de nome Angela esteve presente na Assembleia de 23 a 25 de Março de 2007. Ouviu o Sr. Padre dizer que estava curada. A cura foi espiritual. Vivia junto com o namorado e decidiu casar-se pela Igreja. O casamento vai realizar-se no dia 7-7-2007. Pedem uma benção através do Sr. Padre para a Sua união.
Angela e Pedro


Maria de Fátima

Eu e o meu marido fomos movidos pela esperança de melhoras, em aspectos não muito relevantes, mas incomodativos da vida de cada um de nós (a minha insónia e o ressonar do meu marido), a ir a sessões de acupunctura. Fui eu a promotora da decisão de ir ali buscar solução para os nossos problemas. Estranhei a forma deveras agitada e apressada de atendimento, sem qualquer observação directa a qualquer de nós, como já tinha experimentado em outros agentes de medicina natural. Mesmo assim, apesar de tudo, perante a descrença do meu marido, insisti em iniciarmos as sessões. Antes de partir, cá em casa, sempre me dirigia ao meu Deus e pedia para que tudo concorresse para o meu bem físico e espiritual; se assim não fosse que se revelasse algo que me fizesse parar.
Logo na sala de espera e ao longo das divisões desse espaço as gravuras e outros símbolos a que eu designo de “chineses” incomodavam-me, tal como a música de fundo. Quanto a mim, fechava os olhos, tentava abstrair-me e rezava ao meu Deus para que me fosse benéfico o “tratamento” ou então que me afastasse daquele lugar. Confiava que após a 6ª ou 7ª sessão, como me (nos) diziam trouxessem melhoras... mas em vão! Após a 3ª sessão as agulhas começavam a doer; uma agulha caíu e a D. Paula não verificou devidamente; ao meu marido espetou no mesmo dia, uma das agulhas, bruscamente, causando dor! Na seguinte sessão apontou a mim um número de agulhas aplicadas que não correspondia às que realmente me tinham sido prescritas! Nesse dia não houve música (felizmente para mim) e dei comigo a reflectir no que andava ali a fazer: a perder o nosso precioso tempo, a gastar o nosso dinheiro que poderia ir ajudar alguém em maior necessidade e, afinal o meu sono e tranquilidade não chegavam. O meu marido continuava com os mesmos problemas e, pior que isso tudo, poderiamos estar em contradição com a lei do meu Senhor que, como católica e boa cristã que desejo ser, acima de tudo, me preocupava bastante.

Nesse dia rezei e pedi muito a Luz para me indicar o caminho recto a seguir. Quando cheguei a casa, o meu marido entregou-me uma carta de uma amiga que me enviava a fotocópia do panfleto a anunciar o retiro do Padre James na Anadia.
Devido ao meu programa de tarefas, e outros compromissos eu não poderia estar presente; mas Deus queria ter-me lá.
Assim aconteceu; deslocámo-nos todas os três dias de retiro até ao local e logo na  primeira noite, após o regresso tardio, deitei-me sem me lembrar de tomar qualquer droga; e, de manhã, dei conta de que tinha dormido, serenamente, o suficiente! Não ouvi o meu marido ressonar toda a noite!
O mesmo sucedeu nas duas noites seguintes, graças a Deus!

Numa das palestras, o bom e santo Pe. James apontou como caminho errado certas buscas de tratamentos para os nossos males, tendo designado a “acupunctura”!. Tive a resposta que tanto esperava; era o meu Deus que me falava! Entendi porque não havia jeito de melhoras trazidas daí e, sem tomar mais nada, após o retiro, comecei a dormir e a não ser perturbada pelo ressonar do meu marido. Toda a droga com símbolos e caracteres chineses foram para o lixo; sinto-me bem e aliviada!
Só o nosso Deus é o Senhor da Vida, só Ele cura!
Entre o MAL e o BEM, eu escolho o BEM...e vós?

Maria de Fátima
Coimbra, 17 de Setembro de 2007



Rita Oliveira Santos Klencovljevic

Reverendíssimo Senhor Bispo
As melhores saudações em Cristo!

Sempre fui católica praticante, sou advogada, tenho 31 anos e moro em Lisboa. Muito obrigada pelos sacerdotes que nos visitam com ensinamentos da sólida doutrina.
De 1 a 5 de Fevereiro fiz um retiro em Fátima com o Pe. James Manjackal. Hoje sinto um Santo orgulho por ser católica!
Nós, os cristãos jovens não gostamos de cristianismo fácil e superficial, mas o autêntico. Damos sentido à nossa fé quando mergulhamos no verdadeiro sofrimento e amor que Cristo revelou aos primeiros apóstolos. Estes sacerdotes Santos encorajam-nos a dar a nossa vida por Jesus e a segui-LO com autenticidade. Nos seus ensinamentos encontramos respostas aos acontecimentos da vida actual e experimentamos a alegria dos primeiros cristãos.
Agradeço mais uma vez em meu nome e em nome de todos os que participámos no encontro do Pe. James e por todas as oportunidades que nos proporcione no futuro. Ele é uma resposta ao pedido do Papa, para uma nova evangelização da Europa. Quando os sacerdotes são felizes no seu ministério, transmitem essa felicidade ao Povo de Deus.
Hoje sou feliz! Bem haja!

Rita Oliveira Santos Klencovljevic
Lisboa, 5  de Fevereiro de 2008


 Ir para a página anterior